Crise do capital e atuais tendências da (des)proteção social: traços ilustrativos da seguridade social brasileira

Autores

  • Diego da Conceição Piedade Universidade Estadual de Campinas
  • Potynara Amazoneira P. Pereira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sss.v15i1.8647308

Palavras-chave:

Crise do capital. Proteção social. Seguridade social

Resumo

Este artigo trata da crise do capital na atualidade e de seus efeitos sociais deletérios. Discute a particularidade sistêmica e estrutural da referida crise, diferenciando-a de outras modalidades, mais frequentes, de caráter setorial, cíclico e conjuntural, observáveis inclusive nas formações sociais pré-capitalistas. Faz distinção entre capitalismo e capital para realçar o fato de o capitalismo ser o primeiro modo de produção no qual o capital não é um simples intermediário, mas o eixo. Não obstante situar a crise no contexto mundial e problematizá-la em sua totalidade realça suas implicações no subfinanciamento do Sistema de Seguridade Social brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego da Conceição Piedade, Universidade Estadual de Campinas

Mestrando em Politica Social pela Universidade de Brasilia - UNB. Graduado em Serviço Social pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB. Membro do Grupo de Estudos Político-Sociais (POLITIZA), certificado pelo Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP), da Universidade de Brasília (UnB) e inscrito no diretório de grupos de pesquisa do CNPq, com Supervisão e Orientação da Professora Potyara Amazoneida Pereira Pereira . Pesquisador e Autor de artigos nas áreas de Politicas Sociais, especialmente Assistência Social, Sistemas de Proteção Social e sua relação com os dilemas do Trabalho.

Potynara Amazoneira P. Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Serviço Social (1965) e em Direito (1974). É mestre (1973-1976) e doutora (1982-1987) em Sociologia pela Universidade de Brasília e pós-doutora em Política Social pela Universidade de Manchester/Grã Bretanha (1991-1992). Foi professora auxiliar e assistente da Universidade Federal do Pará (1966-1968), assistente, adjunta e titular da Universidade de Brasília (1971-1993/2005-2010) e visitante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro- UERJ (2000-2002). 

Referências

ACANDA, J. L. A. Sociedad civil y hegemonia. Centro de Investigación y Desarrollo de la Cultura Cubana Juan Marinello, Habana: Cuba, 2002.

BEHRING, E. R. Acumulação capitalista, fundo público e política social. In: BOSCHETTI, I. et al. (Orgs.). Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008.

BEHRING, E. R. Política social no capitalismo tardio. São Paulo: Cortez, 2009.

BEHRING, E. R. Crise do capital, fundo público e valor. In: BOSCHETTI, I. et al. (Orgs.). Capitalismo em crise, política social e direitos. São Paulo: Cortez, 2010.

BEHRING, E. R. Rotação do capital e crise: fundamentos para compreender o fundo público e a política social. In: SALVADOR, E. et al. (Orgs.). Financeirização, fundo público e política social. São Paulo: Cortez, 2012.

BEHRING, E. R. França e Brasil: realidades distintas da proteção social, entrelaçadas no fluxo da história. Serviço & Sociedade, São Paulo, n. 113, p. 7-52, jan./mar. 2013.

BOSCHETTI, I. Assistência Social no Brasil: um direito entre originalidade e conservadorismo. 2. ed. rev. ampl. Brasília: Gesst/SER/UnB, 2003.

BOSCHETTI, I. A Insidiosa Corrosão dos Sistemas de Proteção Social Europeus. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 754-803, out./dez. 2012.

BOSCHETTI, I. Políticas de desenvolvimento econômico e implicações para as políticas sociais. SER Social, Brasília, v.15, n. 33, p. 261-384, jul. / dez. 2013.

BOSCHETTI, I.; SALVADOR, E. Orçamento da seguridade social e política econômica: perversa alquimia. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, v. 87, p. 25-57, 2006.

BRAVO, M. I. S. Frente Nacional contra a privatização e sua luta em defesa da saúde pública estatal. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 105, p. 185-193, jan./mar. 2011.

BURGAYA, J. La economia del absurdo. Barcelona: Ediciones Deusto, 2015.

CARCANHOLO, R. Marx, Ricardo e Smith: sobre a teoria do valor trabalho. Vitória (ES): EDUFES, 2012.

CASTELO, R. O novo desenvolvimentismo e a decadência ideológica do pensamento econômico brasileiro. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 613-636, out./dez. 2012.

CHESNAIS, F. Mundialização: o capital financeiro no comando. Revista Outubro, São Paulo, n. 5, Instituto de Estudo Socialistas, 2001.

CISLAGHI, J. F. MP 520/2010: Golpe na Saúde Pública e na Democracia. 2011. Disponível em: http://www.sinmedrj.org.br/2012/clipping/2011/boletim.pdf

DURIGUETTO, M. L. Sociedade civil e democracia: um debate necessário. Libertas, Juiz de Fora, v.8, n.2, p. 83 – 94, jul-dez / 2008.

FATORELLI, M. L.; ÁVILA, R. Os números da dívida. Brasília: Auditoria Cidadã da Dívida, 2012.

FATORELLI, M. L.; ÁVILA, R. Os números da dívida. Brasília: Auditoria Cidadã da Dívida, 2014.

GONÇALVES, R. Governo Lula e o nacional desenvolvimentismo às avessas, 2011. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/oldroot/hpp/intranet/pdfs/texto_nacional_desenvolvimentismo_as_avessas_14_09_11_pdf.pdf

HARVEY, D. O Novo Imperialismo. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARVEY, D. O Neoliberalismo: história e implicações. Tradução: Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

LOPES, M. L. As Medidas Provisórias nº 664 e 665 restringem direitos e confirmam o curso ininterrupto da contrarreforma da previdência social. ADUF Informa, Paraíba, João Pessoa, ed. 114 (edição especial), abril de 2015.

MANDEL, E. Tratado de economia marxista. V. 2. México: Ediciones ERA, 1975.

MANDEL, E. O capitalismo tardio. São Paulo: Nova Cultural, 1982.

MANDEL, E. A Crise do Capital. São Paulo: Unicamp; Ensaio, 1990.

MARX, K.O Capital. Livro 1, vol 1 e 2. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1980.

MÉSZÁROS, I. Século XXI – Socialismo ou Barbárie, Boitempo Editorial, São Paulo, 2003, p. 15.

MÉSZÁROS, I. A crise estrutural do capital. Boitempo, São Paulo, 2009.

MOTA, A. E.; AMARAL, A.; PERUZZO, J. O novo desenvolvimentismo e as políticas sociais na América latina, In: MOTA, A. E. (Orgs.) Desenvolvimentismo e Construção de Hegemonia, São Paulo: Cortez 2012.

NETTO, J. P. Crise do Capital e consequências societárias. Serviço Social & Sociedade. São Paulo, n. 111, jul./set. 2012.

OLIVEIRA, Í. M. de. Cultura política, direitos e política social. In: BOSCHETTI, I. et al. (Orgs.). Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008.

PAULANI, L. M. Capitalismo financeiro, estado de emergência econômico e hegemonia às avessas no Brasil. In: OLIVEIRA, F.; BRAGA, R.; RIZEK, C. Hegemonia às avessas. São Paulo: Boitempo, 2010.

PEREIRA, P. A. P. Política Social: temas e questões. São Paulo: Cortez, 2011.

SALVADOR, E. Fundo Público e o financiamento das Políticas Sociais no Brasil. Apresentado no I Simpósio Orçamento Público e Políticas Sociais, no dia 10 de abril de 2012, na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Acesso em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/ssrevista/article/view/12263

SALVADOR, E. Financiamento tributário da política social no pós-real. In: SALVADOR, E. et al. (Org.). Financerização, fundo público e política social. São Paulo: Cortez Editora, 2012, p. 123-152.

SAMPAIO JR., P. de A. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 672-688, out./dez. 2012.

Downloads

Publicado

2016-10-24

Como Citar

PIEDADE, D. da C.; PEREIRA, P. A. P. Crise do capital e atuais tendências da (des)proteção social: traços ilustrativos da seguridade social brasileira. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 51–70, 2016. DOI: 10.20396/sss.v15i1.8647308. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8647308. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos