Serviço Social e tecnologias de saúde

o desafio da subversão democrática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/sss.v17i1.8655203

Palavras-chave:

Serviço Social, Tecnologia, Democracia, Saúde, Tecnocracia.

Resumo

O presente artigo procura analisar a vinculação das tecnologias de saúde com os distintos projetos médico assistenciais e sanitaristas, bem como, identificar possíveis contribuições do Serviço Social à democratização e garantia do direito à saúde, tomando como base os estudos sociais da tecnologia. Trata-se de um estudo teórico-bibliográfico, que parte do pressuposto de que a tecnologia constitui-se numa das principais fontes de poder da atualidade, sendo isenta de neutralidade. Este trabalho está estruturado em três eixos: no primeiro eixo discute o conceito de tecnologia; no segundo, aproxima o debate das relações entre tecnologia, política e democracia, buscando fundamentar teoricamente a prática profissional do assistente social, visto que a mesma é mediada pela tecnologia na política pública de saúde; e, no terceiro eixo, discorre sobre os dois principais projetos sanitaristas em disputa e suas relações com a tecnologia, mostrando que cada projeto prioriza diferentes tipos de tecnologias, que devem ser construídas e socializadas de modos distintos. Apoiada no modelo médico hegemônico de saúde, a tecnologia tende a se apresentar de maneira hierárquica e autoritária, focada em procedimentos. Já respaldada pelo modelo de assistência à saúde defendido pelo Movimento de Reforma Sanitária, tende a ser construída de maneira democrática, participativa, voltada sua centralidade para os usuários. Nessa direção, são tecidas considerações para a construção contra hegemônica das tecnologias por parte dos usuários e profissionais de Serviço Social com vistas ao enfrentamento das relações assimétricas e autoritárias, distanciadas da perspectiva de garantia de direitos e da construção do trabalho em equipe no SUS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Nunes da Rosa Mangini, Universidade Federal de Santa Maria

Assistente Social, mestre e doutora pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Sheila Kocourek, Universidade Federal de Santa Maria

Assistente Social, mestre e doutora pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Docente do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Laureana Vargas Silveira, Prefeitura Municipal de Santa Maria

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Assistente Social da Prefeitura Municipal de Santa Maria.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRAVO, M. I. Saúde e serviço social no capitalismo: fundamentos sociohistóricos. São Paulo: Cortez, 2013.

BRAVO, M. I. S.; MATOS, M. C. Projeto ético-político do Serviço Social e sua relação com a Reforma Sanitária: elementos para o debate. In: MOTA, A. E.; et al. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2015.

CECÍLIO, L.; MERHY, E.E. Integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R.A; CAMARGO, K. (Orgs.). Construção da integralidade, cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: Abrasco, 2003. p.197-210.

CFESS. (Org.) O estudo social em pericias, laudos e pareceres técnicos: debates atuais no judiciário, no penitenciário e previdência social. 11ª ed. São Paulo: Cortez, 2014.

CFESS. Código de Ética Profissional do Assistente Social. 10ª ed. 1993.

CUPANI, A. filosofia da tecnologia: um convite. Florianópolis: UFSC, 2011.

FALEIROS, V. P. Estratégias em Serviço Social. 2ª ed. São Paulo, Cortez, 1999.

FRAGA, L. S. Tecnologia e democracia: racionalização subversiva em movimentos sociais brasileiros. In: JORNADAS LATINO-AMERICANAS DE ESTUDOS SOCIAIS DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, 11, 2016, Curitiba. Anais... Curitiba: UFPR, 2016.

FEENBERG, A. Racionalização subversiva: tecnologia, poder e democracia. In: NEDER, R. T. (Org.) A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina / CDS / UnB / Capes, 2010.

FEENBERG, A. Transforming technology: a critical theory revisited. New York: Oxford University, 2002.

MANGINI, F. N. R. O conhecimento profissional do assistente social: tecnologia para a transformação social. 2015. 186 p. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

MERHY, E. E. O ato de cuidar como um dos nós críticos “chaves” dos serviços de saúde. 1999. Disponível em: http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/artigos-04.pdf. Acesso em: 23 fev. 2018.

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

MERHY, E. E. Um ensaio sobre o médico e suas valises tecnológicas: contribuições para compreender as reestruturações produtivas do setor saúde. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 4, n. 6, p. 109-116, fev. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci-arttext&pid=S1414-32832000000100009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 fev. 2018.

MERHY, E. E.; FEUERWERKER, L.C.M. Novo olhar sobre as tecnologias de saúde: uma necessidade contemporânea. In: MANDARINO, A.C.S.; GOMBERG, E. (Orgs.). Leituras de novas tecnologias e saúde. São Cristóvão: Editora UFS, 2009. p.29-74. Disponível em: http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/capitulos25.pdf. Acesso em: 12 jul. 2017

MITCHAM, C. Thinking through technology: the path between enginnering and philosophy. Chicago: University of Chicago, 1994.

PAGLIOSA, F. L; DA ROS, M. A. O relatório Flexner: para o bem e para o mal. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 4, n. 32, p. 492–499, 2008.

PAIM, J. Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Salvador: UDUFBA; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

SILVA, A. X. da. A reforma sanitária brasileira na contemporaneidade: resistência ou consenso. Revista Katálysis, v. 17, n. 2, p. 159-166, jul./dez. 2014.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

MANGINI, F. N. da R.; KOCOUREK, S.; SILVEIRA, L. V. Serviço Social e tecnologias de saúde: o desafio da subversão democrática. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 65–94, 2018. DOI: 10.20396/sss.v17i1.8655203. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8655203. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos