As metodologias de pesquisa ativas e suas contribuições para o trabalho do assistente social na área da Saúde

Palavras-chave: Metodologias de pesquisa ativas, Pesquisa-ação, Pesquisa participativa, Serviço Social

Resumo

Neste artigo objetiva-se discorrer a respeito das metodologias de pesquisa ativas (pesquisa-ação/intervenção e pesquisa participativa) e suas contribuições para o trabalho do assistente social na área da saúde. Metodologicamente, optou-se pelo estudo de revisão, com recorte interdisciplinar vinculado ao Serviço Social e demais produções dos campos das Ciências humanas, sociais e da saúde que abordam o tema em questão. Os resultados da pesquisa indicam que estas metodologias podem, estrategicamente ser trabalhadas em consonância com o projeto ético-político profissional do assistente social brasileiro, reconhecendo o trabalho como fonte de conhecimento, contribuindo com a democratização dos espaços institucionais e garantindo a centralidade dos usuários na oferta e avaliação dos serviços de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Antonio de Souza Moraes, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Serviço Social pela Pontifícia Universiadade Católica de São Paulo. Professor do Departamento de Serviço Social de Campos.

Referências

ABEPSS. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social — 1996. Disponível em: http://www.abepss.org.br/briefing/graduacao/Lei_de_Diretrizes_Curriculares. Acesso em: 11 nov. 2011.

ABREU, M. M. Serviço Social e a organização da cultura: perfis pedagógicos da prática profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

BALDISSERA, A. Pesquisa – ação: uma metodologia do “conhecer” e do “agir” coletivo. Sociedade em Debate, Pelotas, 7 (2): 5-25, Ago. 2001.

BRANDÃO, C.R. Reflexões sobre como fazer trabalho de campo. Sociedade e Cultura. Goiânia: Universidade Federal de Goiás. V. 10, n. 1, p. 11-27. 2007.

BRAVO, M. I. S. Avanços da contrarreforma na saúde intensificadas a partir do governo ilegítimo do temer. 7º Encontro Internacional de Política Social, 14º Encontro Nacional de Política Social. Tema: Contrarreformas ou Revolução: respostas ao capitalismo em crise. Vitória (ES, Brasil), 3 a 6 de junho de 2019.

CANESQUI, A. M. Ciências Sociais e Humanas: interdisciplinaridade no campo da saúde coletiva. In: Pesquisa em saúde coletiva: fronteiras, objetos e métodos/ Organizado por Virgínia Alonso Hortale... [et. al.] – Rio de Janeiro, RJ: Editora FIOCRUZ, 2010.

CAZZOLATO, N. K. Resenha bibliográfica. Organizações em contexto, Ano 4, n. 7, junho 2008.

CFESS. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na saúde. Grupo de trabalho Serviço Social na saúde. Brasília, CFESS, novembro de 2009.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 6 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CRESS/ 7ª Região – RJ. Assistente Social: ética e direitos. Coletânea de Leis e Resoluções. 4ª edição – 1ª reimpressão, Rio de Janeiro, maio 2013.

DUARTE, R. Pesquisa qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo. Cadernos de Pesquisa, n. 115, p. 139-154, março/ 2002.

FREIRE, P. Educação como prática da Liberdade. Rio de Janeiro; Paz e Terra, 1980.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro; Paz e Terra, 2005.

GAMA, S. G. N. da; MATTOS, I. E.; HORTALE, V. A.; MOREIRA, C. O. F. Relatórios de projetos de pesquisa. In: Pesquisa em saúde coletiva: fronteiras, objetos e métodos/ Organizado por Virgínia Alonso Hortale... [et. al.] – Rio de Janeiro, RJ: Editora FIOCRUZ, 2010.

KIND, L. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 10, n. 15, p. 124-136, jun. 2004.

MARSIGLIA, R. M. G. Orientações básicas para a pesquisa. In: Serviço Social e saúde: formação e trabalho profissional. Organizado por Ana Elizabete Mota... [et. al.] – 4 ed. – São Paulo: Cortez; Brasília, DF: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2009.

MARTINELLI, M. L. Pesquisa qualitativa: um instigante desafio. Maria Lúcia Martinelli (org.) São Paulo: Veras editora, 1999.

MATOS, M. C. de. Assessoria, Consultoria, auditoria, supervisão técnica. In: CFESS/ABEPSS. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília, 2009.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

MINAYO, M. C. de S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 3ª ed. Petrópolis. Vozes, 1994.

MONTEIRO, G. T. R; HORA, H. R. M. da. Pesquisa em saúde pública. Como desenvolver e validar instrumentos de coleta de dados.1 ed., Curitiba: Appris, 2013.

MORAES, C. A. de S. A ‘viagem de volta’: significados da pesquisa na formação e prática profissional do assistente social. In: Revista Serviço Social e Sociedade, nº 114, abril/junho 2013, p. 240-265.

MORAES, C. A. de S. O Serviço Social brasileiro na entrada do século XXI: formação, trabalho, pesquisa, dimensão investigativa e a particularidade da saúde. 2016. 318f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

MORAES, C. A. de S. A particularidade da dimensão investigativa na formação e prática profissional do assistente social. In: Serv. Soc. Soc., São Paulo, p. 294 – 316, abr./jun. 2015.

NETO, O. C. O trabalho de campo como descoberta e criação. In: MINAYO. M. C. de S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 3ª ed. Petrópolis. Vozes, 1994, cap. 3, p. 51 – 66.

SANTOS, M. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2006.

SOARES, R. C. A contrarreforma na política da saúde e o Serviço Social: impactos, desafios e estratégias em tempos de neoliberalismo ortodoxo. 7º Encontro Internacional de Política Social, 14º Encontro Nacional de Política Social. Tema: Contrarreformas ou Revolução: respostas ao capitalismo em crise. Vitória (ES, Brasil), 3 a 6 de junho de 2019.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 1985.

THIOLLENT, M. Pesquisa-ação nas organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

Publicado
2019-12-16
Como Citar
Moraes, C. A. de S. (2019). As metodologias de pesquisa ativas e suas contribuições para o trabalho do assistente social na área da Saúde . Serviço Social E Saúde, 18, e019008. https://doi.org/10.20396/sss.v18i0.8656605