Debate sobre juventudes, violência e invisibilidade

Palavras-chave: Invisibilidade, Juventudes, Relações étnico-raciais, Violência.

Resumo

O debate sobre as juventudes é uma questão emergente e importante para tornar conhecidos os modos de vida e as demandas desses sujeitos. O objetivo deste artigo é refletir sobre alguns aspectos das relações entre as juventudes com os processos de formação da violência e invisibilidade. A partir do apoio teórico interdisciplinar e da metodologia qualitativa para a análise de documentos, de dados estatísticos e experiência profissional, observa-se a importância de investimento em políticas públicas que reconheçam as singularidades e diversidades desse público e da elaboração de estratégias de aproximação e leitura das expressões juvenis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Péricles Arruda, Universidade Federal de São Paulo

Professor do Curso de Serviço Social da UNIFESP. Doutor em Serviço Social pela PUC-SP; Pós-Doutor em Psicologia Social pela PUC-SP.

Referências

ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (Org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Fundação Perseu, 2005.

ADORNO, S.; NERY, M. B. Crime e violência em São Paulo: retrospectiva teórico-metodológica, avanços, limites e perspectivas futuras. Caderno Metrópole. Rev. 21, n. 44, São Paulo, jan./abr. 2019. p. 169-194. Epub apr ,15, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2236-9996.2019-4408. Acesso em: 3 ago. 2019.

BAPTISTA, M. V. Algumas reflexões sobre o sistema de garantia de direitos. Serviço Social & Sociedade, Sociedade Civil e Controle Social, n. 109, jan./fev. 2012. p. 179-199. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-66282012000100010. Acesso em: 12 dez. 2018.

BATISTA, V. M. Adesão subjetiva à barbárie. In: BATISTA, V. M. (Org.). Loïc Wacquant e a questão penal no capitalismo neoliberal. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2012.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília,16 jul. 1990.

BRASIL. Lei n. 10.826, de 22 de dezembro de 2003. Dispõe sobre o registro, a posse e comercialização de armas de fogo e munição [Estatuto do Desarmamento]. Diário Oficial da União, Brasília, 22 dez. 2003.

BRASIL. Lei n. 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e as diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve). Diário Oficial da União, Brasília. 6 ago. 2013.

CORTELLA, M. S. Não nascemos prontos. 6. ed. São Paulo: Vozes, 2008.

CHAUI, M. de S. Sobre a violência. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

DECLARAÇÃO Universal dos Direitos Humanos. Assembleia Geral das Nações Unidas. Resolução 217 A III, 10 dez. 1948. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 1 ago. 2019.

FÁVERO, E.; DIAS, J. A.; RAPHAEL, S. L. M.; SANTOS, V. S. N. dos. A dimensão socioterritorial na interface entre a Justiça da Infância e Juventude e a Assistência Social em São Paulo. Serviço Social & Saúde, 13(2), 2015, p. 169-187. Disponível em: https://doi.org/10.20396/sss.v13i2.8634899. Acesso em: 4 ago. 2019.

FREDERICO, C. A arte no mundo dos homens: o itinerário de Lukács. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

GOMES, N. L.; LABORNE, A. A. de P. Pedagogia da crueldade: racismo e extermínio da juventude negra. Educação em Revista, v. 34, Belo Horizonte, 2018, Epub 23, nov. 2018. p. 1-26. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698197406. Acesso em: 5 ago. 2019.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA (Org.). Atlas da violência 2017. Rio de Janeiro: Ipea; FBSP, 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA (Org.). Atlas da violência 2018. Rio de Janeiro: IPEA; FBSP, 2018.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA (Org.). Atlas da violência 2019. Brasília; Rio de Janeiro; São Paulo: IPEA; FBSP, 2019.

KON, N. M.; ABUD, C. C.; SILVA, M. L. da. (Org.). O racismo e o negro no Brasil: questões para a psicanálise. São Paulo: Perspectiva, 2017.

LACAZ, A. S.; LIMA, S. M.; HECKERT, A. L. C. Juventudes periféricas: arte e resistências no contemporâneo. Psicologia Social. v. 27, n.1, Belo Horizonte, jan./abr. 2015. p. 58-67. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1807-03102015v27n1p058. Acesso em: 15 nov. 2018.

MARX, KARL. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MUNANGA, K.; GOMES, N. L. O negro no Brasil de hoje. São Paulo: Global, 2006.

NASCIMENTO, A. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 2. ed., São Paulo: Perspectiva, 2017.

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA (NEV-USP); WORLD HEALTH ORGANIZATION COLLABORATING CENTRE FOR RESEARCH ON VIOLENCE PREVENTION. Prevenindo a violência juvenil: um panorama das evidências. 2015.

SALES, M. A. (In)visibilidade perversa: adolescentes infratores como metáfora da violência. São Paulo: Cortez, 2007.

SOARES, L. E.; MV Bill; ATHAYDE, C. Cabeça de porco. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005.

SOARES, L. E. Justiça: pensamento alto sobre violência, crime e castigo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

SOARES, L. E. Segurança pública: presente e futuro. Estudos Avançados. v.20, n.56, São Paulo, jan./abr. 2006. p. 91-106. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142006000100008 Acesso em: 15 ago. 2019.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2014: os jovens do Brasil. Brasília, 2014.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2015: mortes matadas por armas de fogo. Brasília, 2015.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2016: homicídios por arma de fogo no Brasil. Brasília: Flacso Brasil, 2016.
Publicado
2019-09-25
Como Citar
Arruda, D. P. (2019). Debate sobre juventudes, violência e invisibilidade. Serviço Social E Saúde, 18, e019001. https://doi.org/10.20396/sss.v18i0.8656802