Banner Portal
Violência contra as mulheres
PDF

Palavras-chave

Violência
Saúde
Mulher
Gênero

Como Citar

BRITTO, Ana Claudia de Oliveira; ANDRADE, Cristiane Batista; BITENCOURT, Silvana Maria; BRAGA, Aline Azevedo. Violência contra as mulheres: uma análise sobre a inclusão do conceito de patriarcado nas produções científicas na área da saúde. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 19, p. e020011, 2020. DOI: 10.20396/sss.v19i0.8665387. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8665387. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Este artigo visa analisar a utilização do conceito de patriarcado nas produções científicas brasileiras da área de saúde sobre as violências contra as mulheres e questionar em que medida artigos científicos dialogam ou não com o conceito de patriarcado em Heleith Saffioti. Além disso, ressalta a importância da formação dos profissionais que atendem mulheres vítimas de violência terem uma aproximação teórica dos estudos do patriarcado. O recurso metodológico utilizado foi o da revisão de literatura narrativa na base de dados Scielo e BVS-Regional. A amostra analisada permitiu dizer que, quando as produções científicas da área da saúde abordam o conceito de patriarcado, os achados ganham maior visibilidade do poder dos homens sobre as mulheres, as desigualdades entre os gêneros e a violência como uma construção social, histórica e cultural na sociedade patriarcal.

 

https://doi.org/10.20396/sss.v19i0.8665387
PDF

Referências

AGUIAR, N. F. Patriarcado. In: FLEURY, B.; MENEGHEL, S. N. (EDS.). Dicionário feminino da infâmia: acolhimento e diagnóstico de mulheres em situação de violência. Rio de Janeiro, RJ: Ed. FIOCRUZ, 2015, p. 270-272.

ALVES, E. S.; OLIVEIRA, D. L. L. C.; MAFFACCIOLLI, R. Repercussões da Lei Maria da Penha no enfrentamento da violência doméstica em Porto Alegre. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 141-147, Sept. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000300019&lng=en&nrm=iso. Acessado em: 04 Jan. 2017.

BANDEIRA, L. M.; AMARAL, M. Violência, corpo e sexualidade: um balanço da produção acadêmica no campo de estudos feministas, gênero e raça/cor/etnia. Revista Brasileira de Sociologia, v. 5, n. 11, p. 48-85, 2017.

BITTAR, D.; KOHLSDORF, M. Ansiedade e depressão em mulheres vítimas de violência doméstica. Psicologia Argumento, v. 31, n. 400, p. 447, 2013.

CORDEIRO, A. M.; OLIVEIRA, G. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, n. 6, p. 428-431, dez. 2007.

DELPHY, C. Patriarcado (teorias do). In: HIRATA, H. Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Ed. UNESP; 2009, p. 173-179.

DIAS, D. M.R.; BITENCOURT, S. M. A compreensão da Violência Sexual a partir da concepção de Gênero dos/as profissionais de saúde de um serviço universitário de Referência em Cuiabá (MT), 2018. Disponível em:< http://www.uel.br/eventos/gpp/pages/anais/v-simposio-genero-e-politicas-publicas.php>. Data de acesso: 03-10-2019.

GUIMARÃES, M. C.; PEDROZA, R. L. Violência contra a mulher: problematizando definições teóricas, filosóficas e jurídicas. Psicologia & Sociedade, v. 27, n. 2, p. 256-266, ago. 2015.

GRIEBLER, C. N.; BORGES, J. L. Violência contra a mulher: perfil dos envolvidos em boletins de ocorrência da Lei Maria da Penha. Psico, v. 44, n. 2, 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/viewArticle/11463. Acesso em: 30 abr. 2016.

DELPHY, C. O inimigo principal: a economia política do patriarcado. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 17, p. 99-119, 2015.

INSTITUTO DE PESQUISA DATA SENADO. Violência doméstica e familiar contra a mulher. Disponível em: https://dossies.agenciapatriciagalvao.org.br/fontes-e-pesquisas/wp-content/uploads/sites/3/2018/07/DataSenado_RelatorioVDFCM2017_vfinal.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

GOMES, N. P. et al. Cuidado às mulheres em situação de violência conjugal: importância do psicólogo na Estratégia de Saúde da Família. Psicologia USP, v. 25, n. 1, p. 63-69, 2014.

LIMA, M. L. C.; MÉLLO, R. P. Algumas considerações sobre os homens no contexto da violência contra a mulher. Psicologia Argumento, v. 31, n. 400, p. 425, 2013.

LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade - o normal, o diferente e o excêntrico. In LOURO, G. L; FELIPE, J.; GOELLNER, S. V. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 41-51.

MACHADO, D. F. et al. Abordagem da Violência contra a Mulher no Ensino Médico: um Relato de Experiência. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 40, n. 3, p. 511-520, set. 2016.

MENEGHEL, S. N.; PORTELLA, A. P. Feminicídios: conceitos, tipos e cenários. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 9, p. 3077-3086, set. 2017.

MENEGUEL, S.N.; MARGARITES, A. N. Feminicídios em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil: iniquidades de gênero ao morrer. Cad. Saúde Pública. V. 33, n. 12. p. 1-11, 2017.

MENEGHEL, S. N.; MARGARITES, A. F. Feminicídios em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil: iniquidades de gênero ao morrer. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2017 [citado em: 14 set. 2019]; 33(12). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102-311X2017001205014&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 14 set. 2019.

MIGUEL, L. F. Voltando à discussão sobre capitalismo e patriarcado. Revista Estudos Feministas, v. 25, n. 3, p. 1219-1237, dez. 2017.

MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G.; SOUZA, E. R. Os múltiplos tentáculos da violência que afeta a saúde. In: MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. (Org.) Novas e velhas faces da violência no século XXI: Visão da literatura brasileira sobre o campo da saúde. Rio de Janeiro: Ed Fiocruz, 2017, p. 39-61.

MOREIRA, G. A. R. et al. Qualificação de profissionais da saúde para a atenção às mulheres em situação de violência sexual. Trabalho, Educação e Saúde, v. 16, n. 3, p. 1039-1055, 2018.

OLIVEIRA, E. C. S; ARAÚJO, M. F. O Teatro Fórum como dispositivo de discussão da violência contra a mulher. Estudos de Psicologia. Campinas, v. 31, n. 2, p. 257-267, jun. 2014.

PAULA, S. R. B; BITENCOURT, S. M. Feminicídios em discurso de profissionais da segurança pública e conhecidos/as das vítimas. Caderno Espaço Feminino. Uberlândia, MG. v. 31. n. 2. P. 385-405. jul./dez. 2018.

PORTO-CRUZ, M.; BUCHER-MALUSCHKE, J. S. N. A Permanência de Mulheres em Situações de Violência: Considerações de Psicólogas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 30, n. 3, p. 267-276, 2014.

RAMOS, M. E. C. Homens e mulheres envolvidos em violência e atendidos em grupos socioterapêuticos: união, comunicação e relação. Revista Brasileira de Psicodrama, v. 21, n. 1, p. 39-53, 2013.

ROMAGNOLI, R. C; ABREU, L.L.G.; SILVEIRA, M. F. A violência contra a mulher em Montes Claros: análise estatística. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 6, n. 2, p. 282-297, 2013.

ROTHER, E.T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta paul. enferm. São Paulo, v. 20, n. 2, p. v-vi, jun de 2007.

SAFFIOTI, H. I. B. Violência de gênero no Brasil atual. Estudos Feministas, vol. 2. Nº especial/2º sem./1994 - Colóquio Internacional Brasil, França e Quebec p. 443-461.

SAFFIOTI, H. I. B. Violência doméstica ou a lógica do galinheiro. In: KUPSTAS, M. (Org.). Violência em Debate. São Paulo: Moderna, 1997, p. 39-57.

SAFFIOTI, H. I. B. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero. Cadernos Pagu, n. 16, 2001, p. 115-136.

SAFFIOTI, H. I. B. A discriminação de gênero e as diversas formas de violência contra a mulher. In: MORAES, M. L. Q.; NAVES, N. (Org.). Advocacia ProBono em defesa da mulher vítima de violência. Campinas: Editora da Unicamp, 2002, p. 33-41.

SAFFIOTI, H. I. B. Gênero, patriarcado, violência. 2º ed. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2015.

SAFFIOTI, H. I. B.; ALMEIDA, S. S. de. Violência de gênero: poder e impotência. Rio de Janeiro, RJ: Revinter, 1995.

SILVA, A. C. L. G. da; COELHO, E. B. S.; MORETTI-PIRES, R. O. O que se sabe sobre o homem autor de violência contra a parceira íntima: uma revisão sistemática. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 35, p. 278-283, abr. 2014.

SILVA, A. DA S. E; GARCÍA-MANSO, A.; BARBOSA, G. S. da S. Una revisión histórica de las violencias contra mujeres. Revista Direito e Práxis, v. 10, n. 1, p. 170-197, 2019.

SILVEIRA, R. S; NARDI, H. C. Gender, race and ethnicity intersectionality and Maria da Penha’s law. Psicologia & Sociedade, v. 26, n. SPE, p. 14-24, 2014.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da Violência 2015: Homicídio de mulheres no Brasil. Brasília, 2015. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2015/MapaViolencia_2015_mulheres.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Serviço Social & Saúde

Downloads

Não há dados estatísticos.