Banner Portal
Residência multiprofissional em urgência e emergência
PDF

Palavras-chave

Saúde
Serviço social
Urgência
Unidade de AVC

Como Citar

VIEIRA, Kleber José; SILVA, Pâmela Migliorini Claudino da; BRITO, Kelly Paula do Amaral. Residência multiprofissional em urgência e emergência: análise da intervenção do(a) assistente social na unidade de AVC. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 20, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.20396/sss.v20i00.8665458. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8665458. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

O presente estudo objetivou investigar a atuação sócio-ocupacional do(a) assistente social em uma Unidade de Emergência. Trata-se de um estudo exploratório e qualitativo, desenvolvido na Enfermaria de Neurologia em um Hospital Ensino do interior paulista, cuja abordagem metodológica incorporou a triangulação de fonte de dados, a partir da análise documental, de um questionário semiestruturado e, por fim, do relato de experiência do pesquisador. Os resultados demonstraram que as assistentes sociais investigadas no presente estudo desenvolvem, em seu cotidiano, atributos essenciais para a qualidade da atenção à saúde, sendo eles o trabalho multiprofissional, a observância aos preceitos éticos políticos da classe profissional, atendimento humanizado, articulação com a Rede de Atenção à Saúde, autonomia e busca por capacitação/aprimoramento profissional.

https://doi.org/10.20396/sss.v20i00.8665458
PDF

Referências

ALCANTARA, L. S; VIEIRA, J. M. W. Serviço Social e Humanização na Saúde: limites e possibilidades. Textos & Contextos (Porto Alegre), v. 12, n. 2, p. 334 - 348, jul./dez. 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/fass/ojs/index.php/fass/article/view/14332. Acesso em: 10 set. 2019.

ARRUDA, J. S.; REIS, F. P.; FONSECA, V. Avaliação da linguagem após acidente vascular cerebral em adultos no estado de Sergipe. Rev. CEFAC, v. 16, n. 3, p. 853-862, jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-18462014000300853&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 set. 2019.

BERNHARDT, J. et al. “Agreed Definitions and a Shared Vision for New Standards in Stroke Recovery Research: The Stroke Recovery and Rehabilitation Roundtable Taskforce” International Journal of Stroke, vol. 12, n. 5, p. 444–450, jul. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28697708. Acesso em: 10 set. 2019.

BISPO, T. C. R; ALMEIDA, L. C. G; DINIZ, M. N. F. Violência conjugal: desafio para os profissionais de saúde. Revista Baiana de Enfermagem, Salvador, v. 21, n. 1, p. 11-18, jan./abr. 2007. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/3908. Acesso em: 10 set. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília,1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 665, de 12 de abril de 2012. Dispõe sobre os critérios de habilitação dos estabelecimentos hospitalares como Centro de Atendimento de Urgência aos Pacientes com Acidente Vascular Cerebral (AVC), no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), institui o respectivo incentivo financeiro e aprova a Linha de Cuidados em AVC. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3353. Acesso em 05 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Linha de Cuidados em Acidente Vascular Cerebral (AVC) na Rede de Atenção as Urgências e Emergências. 2012. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Protocolos/pcdt-cuidados-AVC.pdf. Acesso em 19 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de rotinas para atenção ao AVC. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_rotinas_para_atencao_avc.pdf. Acesso em 05 jun. 2019.

BYEON, H.; KOH, H. W. The relationship between communication activities of daily living and quality of life among the elderly suffering from stroke. Journal of Physical Therapy Science , v. 28, n. 5, p. 1450-1453, Jan. 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27313349. Acesso em: 10 set. 2019.

CRAVEIRO, A. V.; MACHADO, J. G. do V. C. A predominância do sexo feminino na profissão do Serviço Social: uma discussão em torno desta questão. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/gpp/pages/arquivos/jessica.pdf Acesso em: 19 nov. 2019.

CUNHA, C. L. N. Serviço Social na saúde: os desafios para a garantia do acesso aos direitos sociais dos usuários. Trabalho de Conclusão de Curso. Revista da Graduação, v. 3, n. 2, 2010. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/graduacao/article/viewFile/7910/5594 . Acesso em: 10 set. 2019.

DAFLON, V. T.; CARVALHAES, F.; FERES. Jr, J. Sentindo na Pele: Percepções de Discriminação Cotidiana de Pretos e Pardos no Brasil. Dados, Rio de Janeiro, v. 60, n. 2, p. 293-330, Apr. 2017 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S001152582017000200293&lng=en&nrm=iso. Acesso em 05.fev.2020.

GONÇALVES, E. P. Iniciação à pesquisa científica. Campinas, SP: Editora Alínea, 2001.

IAMAMOTO, M. V. As dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas no Serviço Social contemporâneo. In: MOTA, A.E. et al. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional, 2006. Disponível em: http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-2.pdf. Acessado em: 20 nov. 2019.

IAMAMOTO, M.V; CARVALHO, R. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 18 ed. São Paulo: Cortez; Lima, Peru: CELATS, 2005.

KUMAR, S.; SELIM, M. H.; CAPLAN, L. R. Medical complications after stroke. The Lancet Neurology, v. 9, n. 1, p. 105-118, Jan. 2010. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/laneur/article/PIIS1474-4422(09)70266-2/fulltext. Acesso em: 10 set. 2019.

LEAO, L. Y. Escuta Qualificada: Instrumental Para Primeiro Atendimento Ao Paciente Oncológico. Monografia – Programa de Aprimoramento Profissional/SES, Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto/SP, 2016. p.20. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/ses/resource/pt/ses-33104. Acesso em: 10 set. 2019.

MAIA, H. A.; CANUTO, O. M. C. A inserção de assistente social na Unidade de Acidente Vascular Cerebral em um hospital terciário do SUS. Serv. Soc. & Saúde, v. 17, n. 2, p. 314-336, 14 dez. 2018.

MORAES, C. A. de S. Pesquisa em Serviço Social: concepções e críticas. Rev. katálysis, Florianópolis, v. 20, n. 3, p. 390-399, Dec. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141449802017000300390&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 Apr. 2021.

NETTO, J.P. A construção do projeto ético-político contemporâneo. In: MOTA, A.E. et al. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional, 2006. Disponível em: http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-2.pdf. Acessado em: 20 nov. 2019.

OLIVEIRA, N. A importância do grupo de acolhimento no Hospital Dia do HCFMRP- SP-USP da cidade de Ribeirão Preto: a porta de entrada para o tratamento. 2015. 32 p. Monografia – Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/ses-31778?lang=fr. Acesso em: 10 set. 2019.

RANGEL, E. S. S.; BELASCO, A. G. S.; DICCINI, S. Qualidade de vida de pacientes com acidente vascular cerebral em reabilitação. Acta paul. enferm. São Paulo , v. 26, n. 2, p. 205-212, 2013 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010321002013000200016&lng=pt&nrm=iso . Acesso em 05 jun. 2019.

REDE BRASIL AVC. Unidades de AVC. 2019. Disponível em: http://www.redebrasilavc.org.br/para-profissionais-de-saude/unidades-de-avc/ . Acesso em 23 mar. 2019.

SANTANA, V. S.; SANTOS, M. F.; OLIVEIRA, M. T. Rotina de trabalho do assistente social de um pronto socorro: limites e possibilidades. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais, v. 1, n.14, p. 211-217, out. 2012. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/index.php/cadernohumanas/article/view/261. Acesso em: 10 set. 2019.

SANTOS, L. L. Protocolo de Intervenção do Assistente Social em uma UTI Geral. Comissão de Curso de Aprimoramento Profissional (COAPRIMO). São José do Rio Preto, 2014. 41p. Disponível em: https://search.bvsalud.org/gim/resource/en/ses-31691. Acesso em: 05 fev. 2020.

TELLES, E. (2012). O significado da raça na sociedade brasileira. Tradução para o português de Race in Another America: The Significance of Skin Color in Brazil. 2004. Princeton e Oxford: Princeton University Press.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Serviço Social & Saúde

Downloads

Não há dados estatísticos.