Entrevista​: Técnica de coleta em pesquisa qualitativa

Entrevista​: Técnica de coleta em pesquisa qualitativa

Everton Martins

Uma técnica importante para terminar o seu TCC é a entrevista. Ainda assim, são poucos os trabalhos que buscam as informações dessa forma direta, principalmente pela dificuldade que muitos têm em entender como aplicar essa técnica de coleta em pesquisa qualitativa.

Para te ajudar a entender como é a melhor forma de complementar sua monografia com entrevistas, explicamos pra você tudo que você precisa saber sobre a técnica.

Contato direto

A entrevista é um método de coleta de dados que permite ao pesquisador um relacionamento direto com o grupo estudado. Ela, como qualquer base de dados, se torna mais eficiente quando o universo de respostas obtidas se torna maior.

As entrevistas podem ser estruturadas, aquelas em que o autor da monografia mantém fixas as perguntas, ou semiestruturadas, o que permite ao pesquisador uma maior liberdade de variar os questionamentos dependendo dos rumos que as respostas tomarem.

As entrevistas estruturadas são básicas e podem até mesmo dispensar que seja o autor do trabalho quem esteja realizando os questionamentos, já que existe um roteiro fixo. Dessa forma, é possível pedir a ajuda de colegas para que mais pessoas sejam entrevistadas. Se for contar com o apoio de alguém, certifique-se que a pessoa sabe o que você está procurando entender com cada questionamento e não se esqueça de incluir o nome do auxiliar nos agradecimentos do TCC.

Planejando a entrevista

entrevista precisa ser devidamente pensada com antecedência. É preciso, por exemplo, ter certeza de que a ordem das perguntas é a ideal. Um questionamento precisa conduzir ao outro e permitir uma boa contextualização para que as respostas façam sentido.

Algumas vezes, duas ou mais perguntas podem parecer muito semelhantes para o entrevistado e as respostas podem acabar idênticas. Para evitar esse problema, tenha a certeza de que o palavreado escolhido permite uma interpretação correta.

Ao escolher os locais e os grupos a serem entrevistados, tenha a certeza de que está tomando as decisões que fazem mais sentido para a sua monografia. Um trabalho sobre hábitos de consumo das classes menos favorecidas da população deve conduzir entrevistas em comunidades onde pessoas dessa camada financeira residem, e não em bairros lotados de prédios de apartamentos caros.

Caso as respostas sejam livres, o ideal é que você grave o áudio da entrevista e depois passe as respostas a limpo, evitando assim ter que anotar à mão e fazer o entrevistado esperar. Se você optar por listar algumas das possíveis respostas para o entrevistado, por outro lado, marcar com caneta pode ser mais eficiente.

Pense bem com relação ao tamanho da entrevista que planeja realizar. Caso planeje entrevistar um grupo grande de pessoas, o ideal é que a entrevista seja composta de poucas perguntas que possam ser respondidas de forma mais sucinta. Caso precise de uma entrevista mais completa e robusta, selecione apenas uns poucos entrevistados que sejam ideais para a sua pesquisa. Dessa forma você evitará ter material demais para processar.

Por que entrevistar?

Mas quais as vantagens, afinal de fazer entrevistas para o TCC? Na verdade essa é uma ferramenta absurdamente versátil e que pode auxiliar a compreensão de vários fenômenos.

Um deles, por exemplo, é o contraste entre diferentes grupos populacionais. Em geral, para isso é indicado que se anote dados referentes à classificação do entrevistado antes das perguntas, como sexo, classe social, hábitos e escolaridade. Depois, é possível separar os grupos e entender suas diferenças.

É possível também compreender a forma como as pessoas observam um determinado “fato”. Para isso, é possível realizar uma pesquisa de opinião. Em uma monografia de direito, ela pode ser por exemplo sobre a aprovação de uma lei. Em um trabalho acadêmico de marketing, sobre uma campanha publicitária. Entre outras.

É possível também transformar uma entrevista numa forma de desenvolver técnicas. Ao entrevistar trabalhadores de uma empresa sobre a organização do departamento de recursos humanos e sua comunicação com os funcionários, por exemplo, é possível escrever sobre correções e cursos de ação diferentes dos já adotados que podem demonstrar mais eficiência.

É importante pensar sobre as escolhas as serem tomadas. Ainda que uma entrevista mais livre permita explorar rumos inesperados e expandir o conhecimento, uma entrevista estruturada sólida permitirá maior facilidade em se transformar as respostas em estatísticas, estendendo a utilidade das entrevistas.

Referências

MARTINS, Everton. Entrevista​: Técnica de coleta em pesquisa qualitativa. Blog Mettzer, 2018, maio. Disponível em: <https://blog.mettzer.com/entrevista-pesquisa-qualitativa/>.  Acesso em: 15 ago. de 2018.

Como citar esse post:

MARTINS, Everton. Entrevista​: Técnica de coleta em pesquisa qualitativa. Blog PPEC, Campinas, v.8, n.1, ago. 2018. ISSN 2526-9429. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/blog/index.php/2018/08/15/entrevista/>.  Acesso em: dia mês abreviado ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.