Phonological regularities among defective verbs

Autores

  • Andrew Nevins Universidade Estadual de Campinas
  • Gean Damulakis Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Maria Luisa Freitas Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v56i1.8636522

Palavras-chave:

Verbos defectivos. Generalização de Postma. Design experimental.

Resumo

Este artigo discute regularidades fonológicas dos verbos defectivos em português, a partir de um estudo experimental realizado com intuito de averiguar duas questões: primeiro, se os verbos descritos como defectivos (Cunha & Cintra 2013) são concebidos como tal por falantes nativos; e segundo; se a generalização de Postma (2013) de que a grande maioria dos verbos defectivos em português apresenta uma sonorante coronal (n,l,r,ɲ) seguindo a última vogal da raiz verbal é ou não internalizada pelos falantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrew Nevins, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em ciências cognitivas e ciência da computação pelo Massachusetts Institute of Technology (2000), e doutorado em linguística pelo Massachusetts Institute of Technology (2004). Atualmente é professor titular na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência e produção em linguística, com ênfase em fonologia, morfologia, linguística experimental, e línguas indígenas. 

Gean Damulakis, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Membro do Programa de Pós-Graduação em Linguística (Posling-UFRJ) e Professor Adjunto IV no Departamento de Linguística e Filologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do qual é chefe desde agosto de 2015. Membro do PROFLETRAS (Mestrado Profissional em Letras), polo UFRJ. Possui Mestrado (2005) e Doutorado (2010) em Linguística pela UFRJ, tendo concluído a Graduação em Português-Alemão, em 2002, na mesma instituição. 

Maria Luisa Freitas, Universidade Estadual de Campinas

Professora Adjunta de Linguística na Universidade Federal de Pernambuco. Doutora e Mestre em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas, com período sanduíche no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Graduada em Letras, com habilitação em Linguística e em Português, e formação complementar em Antropologia, pela Universidade Federal de Minas Gerais. 

Referências

ALBRIGHT, Adam. 2003. A quantitative study of spanish paradigm gaps. in G. Garding and M. Tsujimura (eds.), WCCFL 22 Proceedings, Somerville, MA, pp. 1–14. Cascadilla Press.

ALBRIGHT, Adam. 2009. Lexical and morphological conditioning of paradigm gaps. in Modeling ungrammaticality, ed. Curt Rice and Sylvia Blaho, 117–164. London: Equinox Publishing.

ANDERSON, Stephen. 1992. A-morphous Morphology. Cambridge University Press.

ANDERSON, Stephen. 2010. Failing one’s obligations: defectiveness in Rumantsch reflexes. In. In M. Baerman (ed.) Defective Paradigms. London: British Academy/OUP. pp.19-34.

ARREGI, Karlos & NEVINS, Andrew. (2014). A monoradical approach to some cases of disuppletion. Theoretical Linguistics 40(3/4): 311-330.

ARONOFF, Mark. 1994. Morphology by Itself. Cambridge, mA: mit Press.

CINTRA, Lindley; CUNHA, Celso. 2013. Nova Gramática do Português Contemporâneo - 6ª Ed., Rio de Janeiro: Lexicon editorial.

CLEMENTS, G.N. & HUME, Elizabeth . 1995. The Internal Organization of Speech Sounds. In John Goldsmith (ed.) The Handbook of Phonological Theory, Blackwell, pp. 245-206.

DAMULAKIS, Gean & RODRIGUES, Marcella. 2013. Alternativas a harmonia vocalica em português arcaico. Paper presented at SIS-Vogais IV, Recife.

HARLEY, Heidi. (2014). On the identity of roots. Theoretical Linguistics 40(3/4): 225-276.

MAIDEN, Martin & O’NEILL, Paul. 2010. ‘On morphomic defectiveness: evidence from the romance languages of the Iberian peninsula’. In M. Baerman (ed.) Defective Paradigms. London: British Academy/OUP, pp. 103-124.

POSTMA, Gertjan. 2013. Metaphonic Blocking in Portuguese as a Linearization Deadlock. Workshop on metaphony, meertens institute.

STUMP, Gregory. 2010. Interactions between defectiveness and syncretism. In M. Baerman (ed.) Defective Paradigms. London: British Academy/OUP. pp. 181-210.

Downloads

Publicado

2014-10-31

Como Citar

NEVINS, A.; DAMULAKIS, G.; FREITAS, M. L. Phonological regularities among defective verbs. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 56, n. 1, p. 11–21, 2014. DOI: 10.20396/cel.v56i1.8636522. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8636522. Acesso em: 1 fev. 2023.