Afasia e infância: registro do (in)esquecível

Autores

  • Maria Irma Hadler Coudry Universidade Estadual de Campinas
  • Sonia Sellin Bordin Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v54i1.8636976

Palavras-chave:

Neurolinguística Discursiva. Afasia. Fala/Leitura/Escrita.

Resumo

Esse texto aproxima afásicos, que deixam de exercer a língua, de crianças com dificuldades em sua entrada na língua escrita. Tal reflexão se faz com base em práticas com a linguagem envolvendo fala, leitura e escrita; e na teorização atual desenvolvida pela Neurolinguística Discursiva, sobretudo à luz de Jackson, Freud e Jakobson.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Irma Hadler Coudry, Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas

Sonia Sellin Bordin, Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Pesquisadora

Referências

AGAMBEN, G. (1978). Infância e História: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

BALIEIRO A. P. (2001). O sujeito que se estranha: manifestações de subjetividade na afasia. Mestrado, Unicamp, Campinas.

BENVENISTE, E. (1966). Problemas de Linguística Geral I. Trad. Maria da Gloria Novak e Luiza Neri, São Paulo: Editora USP, 1995.

BEHLAU, M. S.; PONTES, P. A. L. (1995). Avaliação e tratamento das disfonias. São Paulo: Lovise.

BORDIN, S. S. (2010). Fala, Leitura e Escrita: encontro entre sujeitos. Tese de Doutorado, Unicamp, Campinas.

BORDIN, S. S. (2008). Excesso de diagnóstico na leitura e escrita: vivências com a linguagem no CCazinho. In: Revista Estudos da Língua(gem), v.6, n.2, dez.

COUDRY, M. I. H. (1986). Diário de Narciso. Discurso e afasia: análise discursiva de interlocuções com afásicos. Tese de doutorado. Unicamp, Campinas, 1986. Publicada em livro, São Paulo: Martins Fontes, 1988.

COUDRY, M. I. H. (1997). A lógica da linguagem patológica. In: Cadernos da F.F.C., v. 6, n. 2, p. 131-148. Marília (SP): UNESP.

COUDRY, M. I. H. (2006). Patologia estabelecida e vivências com o escrito: o que será que dá? Texto apresentado no VII ENAL, Porto Alegre, publicado em CDrom.

COUDRY, M. I. H. (2008). Neurolingüística Discursiva: afasia como tradução. In: Estudos da Lingua(gem), Vitória da Conquista, v. 6, p. 7-36.

COUDRY, M. I. H. (2010a). Relatório do Projeto Integrado em Neurolinguística: avaliação e bancos de dados. CNPq, 65p (impresso).

COUDRY, M. I. H. (2010b). Caminhos da Neurolinguistica Discursiva: o velho e o novo. In: Caminhos da Neurolinguística Discursiva: teorização e práticas com a linguagem. Coudry, M. I. H.; Freire, F. M. P.; Andrade, M. L. F.; Silva, M. A. (orgs). Campinas (SP): Mercado de Letras.

COUDRY, M. I. H.; FREIRE, F. M. P. (2010). Pressupostos teórico-clínicos da Neuroliguística Discursiva. In: Caminhos da Neurolinguística Discursiva: teorização e práticas com a linguagem. Coudry, M. I. H.; Freire, F. M. P.; Andrade, M. L. F.; Silva, M. A. (orgs). Campinas (SP): Mercado de Letras.

CULIOLI, A. (1999). Pour une linguistique de l’énonciation: formalisation et opérations de repérage, v. 2. Paris: Ophrys.

DE LEMOS, C. T. (1981). Interactional Processes in the Child’s Construction of Language. In: Deutsch, W. (Org.). The Child’s Construction of Language. Londres: Academic Press.

DE LEMOS, C. T. (1986). A Sintaxe no espelho. In: Cadernos de Estudos Linguísticos, 10.

FRANCHI, C. (1977). Linguagem – Atividade Constitutiva. In: Caderno de Estudos Lingüísticos 22, p. 9-39, 1992.

FREUD, S. (1891) La Afasia. Buenos Aires: Nueva Visión, 1973.

FREUD, S. (1896/1890). Carta 52. In: Publicações pré-psicanalíticas e esboços inéditos das obras completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, p. 324-331, 1990.

FREUD, S. (1901). Sobre a psicopatologia da vida cotidiana. Rio de Janeiro: Imago, 1969.

GOLDSTEIN, K. (1948). Language and language disturbances: aphasic sympton complexes and their Significance for medicine and theory of language. New York: Grune & Stratton.

HELLER-ROAZEN, D. (2005). Ecolalias: sobre o esquecimento das línguas. Trad. Fabio A. Durão. Campinas (SP): Editora UNICAMP, 2010.

JACKSON, H.. (1874). On the nature of the duality of the brain. In: Medical Press and Circular 1: 19, 41 and 63. Reprinted in Brain 38:80-86; 87- 95; 96-103, 1915.

JAKOBSON, R. (1941). Langage enfantin et aphasie. Paris: Flammarion, 1980.

JAKOBSON, R. (1956) Dois aspectos da linguagem e dois tipos de afasia. In: Lingüística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1975.

JAKOBSON, R. (1959) Aspectos Lingüísticos da tradução. In: Lingüística e comunicação. São Paulo: Cultrix,1975.

LURIA, A. R. (1977). Neuropsychological Studies in Aphasia. Amsterdam: Swets & Zeitlinger B.V.

OLLER D. K.; EILERS, R.. (1988). The role of audition in infant babbling. In: Child Development, 59, p. 441- 449.

PEREIRA DE CASTRO, M. F. (2006). Língua materna e os destinos da fala infantil. Prova didática do concurso público de provimento do cargo de professora titular do Departamento de Línguística do IEL/UNICAMP.

PETITTO, L .A.; MARENTETTE, P. (1991). Babbling in the manual mode: evidence for ontogeny of language. In: SCIENCE, 251, p. 1483-1496.

RODRIGUES, N. (1989). Neurolinguística dos distúrbios da fala. São Paulo: Cortez/EDUC.

SAUSSURE, F.. (1916). Cours de Linguistique Générale. Paris: Payot, 1969.

VYGOTSKY, L. S.. (1934) Pensamento e Linguagem. Trad. Jeferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

COUDRY e BORDIN - Afasia e infância: registro do (in)esquecível

Downloads

Publicado

2012-07-19

Como Citar

COUDRY, M. I. H.; BORDIN, S. S. Afasia e infância: registro do (in)esquecível. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 54, n. 1, p. 135–154, 2012. DOI: 10.20396/cel.v54i1.8636976. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8636976. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>