Praças públicas na contemporaneidade: história, multidão e identidade

Autores

  • José Horta Nunes Universidade Estadual Paulista em São José do Rio Preto

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v53i2.8636985

Palavras-chave:

Discurso. Cidade. Praça.

Resumo

Este trabalho efetua uma análise de discursos de organização das praças públicas no espaço urbano. A praça é considerada como um objeto discursivo, como um espaço simbólico e de significação, constituído pela linguagem e pelas práticas sociais em determinadas conjunturas históricas. São analisadas algumas das condições de produção dos discursos das praças contemporâneas. Em seguida, são apresentadas análises de algumas formas de discursos de praças, que envolvem a produção de imaginários da história, da multidão, das parcerias entre público e privado e da constituição de identidades institucionais, empresariais e comunitárias. Finalmente, opera-se o conceito de tópica cívica para se compreender a relação entre os discursos analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Horta Nunes, Universidade Estadual Paulista em São José do Rio Preto

Atualmente é pesquisador do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade da UNICAMP. 

Referências

CASTILHO, A.; VARGAS, H. C.; L. H. (2009). Intervenções em Centros Urbanos: objetivos, estratégias e resultados. 2ª ed. Barueri: Manole.

NUNES– Praças públicas na contemporaneidade...

DIARIOWEB. http://www.diarioweb.com.br/editorial. Acesso em 16/08/2011.

DIMENSTEIN, G. Folha Online. http://www1.folha.uol.com.br/folha/dimenstein/ noticias/ gd200906d.htm). Acesso em 16/08/11.

FERRARI, C. (2004). Dicionário de Urbanismo. São Paulo: Disal.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. (1999). Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa / Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. 3ª ed. totalmente revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

FILHO, A. C. (2008). Praça XV: projetos do espaço público. Rio de Janeiro: 7Letras.

LEWKOWICZ et alii. (2003). Do fragmento à situação – anotações sobre a subjetividade contemporânea. Buenos Aires: Editora Altamira.

MACHADO, J. (2010). Comunicação e Cidades Patrimônio Mundial no Brasil. Brasília: UNESCO, IPHAN.

NUNES, J. H. (2006a). Escrita e subjetivação na cidade. In: B. Mariani (Org.). A escrita e os escritos. São Carlos: Claraluz, p.45-58.

NUNES, J. H. (2006b). O sujeito no discurso: um lugar para falar na praça. In: Marchezan, R.C.; Cortina, A.. (Org.). Os fatos da linguagem: esse conjunto heteróclito. 1 ed. Araraquara: FCL-UNESO Laboratório Editorial, v. 10, p. 21-38.

ORLANDI, E. (2001). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas: Pontes.

ORLANDI, E. (2006). À flor da pele: indivíduo e sociedade. In: A Escrita e os Escritos: reflexões em análise do discurso e em psicanálise. B. Mariani (Org.). São Carlos: Claraluz.

ORLANDI, E. (2010). Discurso e Políticas Públicas Urbanas: a fabricação do consenso. Campinas: Editora RG.

ORLANDI, E. (2011). Discurso, Espaço, Memória.- caminhos da identidade no Sul de Minas. Campinas: Editora RG.

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOTUCATU. http://www.botucatu.sp.gov.br/. Acesso em 16/08/2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS.http://www.campinas.sp.gov.br /governo/ servicos-publicos/dpj/ gauc.php. Acesso em 16/08/11.

ROBBA, F. (2003). Praças Brasileiras. 2ª ed. São Paulo: EDUSP: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DE MINAS GERAIS. http://www.cultura.mg.gov.br/. Acesso em 16/08/11.

Downloads

Publicado

2011-12-26

Como Citar

NUNES, J. H. Praças públicas na contemporaneidade: história, multidão e identidade. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 53, n. 2, p. 157–168, 2011. DOI: 10.20396/cel.v53i2.8636985. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8636985. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos