A cidade se mexe. Da bicicleta ao cycle chic

Autores

  • Mónica Graciela Zoppi-Fontana Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v53i2.8636987

Palavras-chave:

Mobilidade Urbana. Espaço Público. Discurso Jurídico. Processos de Identificação.

Resumo

Este artigo explora, a partir de uma análise das materialidades discursivas, os processos de subjetivação/identificação que constituem o(s) sujeito(s) das diferentes práticas urbanas, especificamente em relação ao espaço da rua e às disputas para se afirmar nela como identidades legitimadas socialmente. Interessanos, especialmente, compreender o funcionamento dos diversos efeitos de inclusão/exclusão, segregação e silenciamento que a sobreposição de espaços e memórias múltiplos e conflitantes produz sobre os processos de construção discursiva da identidade de sujeitos socialmente discriminados em relação à cidade (em) que eles (se) significam. Focalizamos, especificamente, os processos de identificação referentes aos ciclistas e à presença da bicicleta na cidade, analisando as contradições, materialmente presentes nos enunciados, estabelecidas a partir do cruzamento das diferentes discursividades que interpretam a cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mónica Graciela Zoppi-Fontana, Universidade Estadual de Campinas

Atualmente é professora Livre-Docente do Departamento de Linguística, do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, atuando nos cursos de graduação e pós-graduação.

Referências

FUCHS, C. & M. PÊCHEUX. (1990). A propósito da Análise Automática do Discurso: Atualização e Perspectivas. Trad. Péricles Cunha. 1 ed:1975. In: F. Gadet & T. Hak (orgs.) Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas, Editora da UNICAMP.

HAROCHE, Claudine. (1992). Fazer Dizer, Querer Dizer. Trad. Eni P. de Orlandi. 1 ed.1984. São Paulo, Hucitec.

LUCCA, Julia Frascarelli. O Sentido de Motoboy Transgressor. Língua, Literatura e Ensino. Campinas: UNICAMP, v. 5. p. 173-180 out. 2010. Disponível em: http://www.iel.unicamp.br/revista/index.php/ lle/article/viewFile/1159/937. Acesso em: 10 maio 2011

MARIANI, Bethânia S.C. (2001). Questões sobre a solidariedade. Em: Orlandi, Eni (org.) Cidade Atravessada. Campinas, Pontes.

MORELLO, Rosângela. (2003). Definir e Linkar: em que Sentido? In: Eni P. Orlandi. (Org.). Para uma Enciclopédia da Cidade. Campinas: Pontes/Labeurb-Unicamp, v. 1, p. 121-132

ORLANDI, Eni P. de. (1992). As formas do Silêncio. No movimento dos Sentidos. Campinas, Editora da UNICAMP.

ORLANDI, Eni P. de. (2004). Cidade dos sentidos. Campinas, Pontes.

ORLANDI, Eni P. de. (2009).Terrorismo: uma difícil tarefa de definição. In: Resende, Letícia M. et alii. Léxico e gramática: dos sentidos à construção da significação. Série Trilhas Linguísticas, n. 16, São Paulo: Cultura Acadêmica.

ORLANDI, Eni P. de (org). (2001). Cidade atravessada. Os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas, Pontes.

ORLANDI, Eni P. de (2003). Para uma enciclopédia da cidade. Campinas, Pontes.

ORLANDI, Eni P. de (2010). Discurso e Políticas Públicas Urbanas. A fabricação do consenso. Campinas, RG Editora.

SOARES MELO, Edna A. (2007). A bicicleta no espaço pública da cidade: um fato de linguagem. In: N. Zattar & O. Maluf Fronteiras discursivas. Espaços de significação entre a Linguagem a História. Campinas: Pontes, p.39-50

PÊCHEUX, Michel. (1990). Análise Automática do Discurso. 1ª ed. 1969.Trad. Eni P. de Orlandi. Em: F. Gadet & T. Hak (orgs) Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas, Editora da UNICAMP.

PÊCHEUX, Michel. (1988). Semântica e Discurso. Uma Crítica à Afirmação do Óbvio. 1ª ed. 1975. Trad. Eni P. de Orlandi et alii. Campinas, Editora da UNICAMP.

PÊCHEUX, Michel.(1990). O discurso: Estrutura ou Acontecimento. 1ª ed. 1983a .Trad: Eni P. de Orlandi. Campinas: Pontes.

PÊCHEUX, Michel. (1991). Delimitações, Inversões, Deslocamentos. 1ª ed. 1982a.Trad. José H. Nunes. In: Cadernos de Estudos Lingüísticos 19, p. 7-24. Campinas, IEL/UNICAMP.

ZOPPI-FONTANA– A cidade se mexe. Da bicicleta ao Cycle Chic

ZOPPI-FONTANA, Mónica. (1998). Cidade e discurso: paradoxos do real, do imaginário, do virtual. In: RUARevista do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade, núm. 4, p.39-54. Campinas, NUDECRI.

ZOPPI-FONTANA, Mónica. (1999a).Ordem jurídica, ordem política e a (des)ordem nas ruas. In: Discurso y Sociedad, 1,1, p. 105122. Madrid, Gedisa.

ZOPPI-FONTANA, Mónica. (1999b). É o nome que faz fronteira. In: Indursky, F. (org) O Múltiplo território da Análise do Discurso. Porto Alegre, Sagra-Luzzatto, p. 202-215.

ZOPPI-FONTANA, Mónica. (1999c). Um estranho no ninho: entre o jurídico e o político, o espaço público urbano. Em: RUARevista do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade, número especial, p. 53-65. Campinas, NUDECRI.

ZOPPI-FONTANA, Mónica. (2004). Nossa casa, nossa cidade, nosso jardim. As miragens do cidadão comum. In: Morello, R. Giros na cidade. Campinas, Labeurb/Unicamp.

Downloads

Publicado

2011-12-26

Como Citar

ZOPPI-FONTANA, M. G. A cidade se mexe. Da bicicleta ao cycle chic. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 53, n. 2, p. 179–196, 2011. DOI: 10.20396/cel.v53i2.8636987. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8636987. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos