Banner Portal
Aspectos cognitivos e pragmáticos das construções condicionais contrafactuais.
PDF

Palavras-chave

Linguística.

Como Citar

MEIRELES, F. A. R. Aspectos cognitivos e pragmáticos das construções condicionais contrafactuais. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 45, p. 107–117, 2011. DOI: 10.20396/cel.v45i0.8637021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8637021. Acesso em: 28 mar. 2023.

Resumo

This paper taker a sociocognitive approach on conditional counterfactual constructions in Brazilian Portuguese. Following work on Construction Grammar (Fillmore & Kay 1993, Goldberg1995), it is argued that tense and mood are related to contextually determined phenomena such as epistemic stance and epistemic
distance. The main argument is that past morphology is responsible for hypothetical or counterfactual interpretations. Moreover, this fact shows the interaction between verbs and constructions, confirming the Construction Grammar’s viewpoint.
https://doi.org/10.20396/cel.v45i0.8637021
PDF

Referências

COULSON, S. (1997). Semantic Leaps: the role of frame-shifting and conceptual blending in meaning construction. Dissertation for the degree Doctor of Philosophy in Cognitive Science. University of California, San Diego.

CUTRER, L. M. (1994). Time and Tense in Narrative and in Evereday Language. University of California, San Diego.

DANCYGIER, B. (1993). Interpreting Conditionals: Time, Knowledge and Causation. Journal of Pragmatics, 4034.

DUCROT, O. (1972). Dire et ne pas dire: principes de sémantique linguistique. Paris: Herman Éditeurs.

EEMEREN, F. H. van. (2002). Argumentation: an overview of theoretical approaches and research themes. Online Journal: www.argumentation.spb.ru.

EEMEREN, F. H. van. (1996). Fundamentals of Argumentation Theory. Mahwah, N. .: Lawrence Erlbaum.

FAUCONNIER, G. Mental Spaces. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

FAUCONNIER, G. & SWEETSER, E. (eds.). Spaces, Worlds & Grammar. Chicago and London: The University of Chicago Press, 1996.

FAUCONNIER, G. (1997). Mappings in thought and language. Cambridge: Cambridge University Press.

FAUCONNIER, G. & TURNER, M. (2002). The Way We Think – Conceptual Blending and the Mind’s Hidden Complexities. New York: Basic Books.

FERRARI, L. V. (1999). Postura epistêmica, ponto de vista e mesclagem em construções condicionais na interação conversacional. Veredas 4 (4): 115-128.

FIORIN, J. L. (2001). As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo: Ática.

GILLE, J. (2001). Pautas argumentativas em el diálogo espontâneo. Doctoral dissertation. Stockholm University.

GOFFMAN. E. (1999). Footing. In: RIBEIRO, B. T. & GARCEZ, P. M. (orgs.) Sociolingüística Interacional: antropologia, lingüística e sociologia em análise do discurso. Porto Alegre: AG .

GRYNER, H. (1990). A Variação de tempo-modo e conexão nas orações condicionais do português. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro. UFRJ.

GRYNER, H. (2001). A seqüência argumentativa: estrutura e funções. Juiz de Fora: Veredas nº 7.

IATRIDOU, S. (2000). The Grammatical Ingredients of Counterfactuality. Linguistic Inquiry, Volume 31, Número 2, 231-270.

ILARI, R. (1997). A expressão do tempo em Português. São Paulo: Contexto.

LAKOFF, G. & JOHNSON, M. (1980). Metaphors we live by. Chicago: TheUniversity of Chicago Press.

MIRANDA, N. S. (1999). Domínio conceptuais e projeções entre domínios: uma introdução ao Modelo dos Espaços Mentais. Veredas 4 (4): 81-95.

MIRANDA, N. S. (2000). A configuração das arenas comunicativas no discurso institucional: professores versus professores.Tese de Doutorado, UFMG.

SALOMÃO, M.M.M. (1996). Espaços Mentais e a gramaticalização dasrepresentações espácio-temporais em português. Projeto Integrado de Pesquisa:Rio de Janeiro/Juiz de Fora.

SALOMÃO, M.M.M. (1997). Gramática e interação: o enquadre programático da hipótese sócio-cognitiva sobre a linguagem. Veredas, 1. (1): 23-39.

SALOMÃO, M.M.M. (1999). O processo cognitivo da mesclagem na análise lingüística do discurso. Projeto Integrado de Pesquisa: Rio de Janeiro/Juiz de Fora.

SHIBATANI, M. & THOMPSON, S. (1996). Grammatical constructions. Oxford: Clarendon Press.

SWEETSER, E. (1990). From Etymology to Pragmatics. Cambridge: Cambridge University Press.

VIEIRA, A. T. (2002). Movimentos argumentativos em uma entrevista televisiva: uma abordagem discursivointeracional. Dissertação de Mestrado, UFJF, 152pp.

O periódico Cadernos de Estudos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.