Linguagem e afasia: uma abordagem discursiva da neurolingüística

Autores

  • Maria Irma Hadler Coudry Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v42i0.8637143

Palavras-chave:

Linguística.

Resumo

Para responder ao convite da Profa. Eni Orlandi - e fazer parte do número temático dos Cadernos destinado à história das idéias lingüísticas, em domínios de estudo da linguagem que compõem uma área de investigação - apresento alguns caminhos tomados por uma Neurolingüística que têm sua origem traçada por condições históricas, início dos anos oitenta, em nosso Departamento, tempo caracterizado por debates fundantes, nele, de idéias e ideais da Lingüística, em várias de suas dimensões, que abriam novas possibilidades de interfaces - envolvendo uso, funcionamento e conhecimento da linguagem e de sistemas de línguas naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Irma Hadler Coudry, Universidade Estadual de Campinas

É professora Titular (2012) e Livre-docente (2002) do Departamento de Lingüística da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

BALIEIRO, A.P.J. (2001). O sujeito que se estranha: manifestações da subjetividade na afasia. Dissertação de Mestrado, co-orientada por Ester Scarpa. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

BAKHTIN, M. (1984). Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec.

BENVENISTE, E. (1966). “Da subjetividade na linguagem”, in Problemas de Linguística Geral, vol. I. Trad. De Maria da Gloria Novak e Luiza Neri, São Paulo: Cia. Ed. Nacional e Ed. da USP (original de 1958).

CANGUILHEM, G. (1995). O normal e o patológico, Rio de Janeiro: Forense Universitária.

CARVALHO, L. (2001). Zur auffassung der aphasien: a vigência de Freud para o estudo lingüístico das afasias. Dissertação de Mestrado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

COUDRY M.I.H. (1986/88). Diário de Narciso: discurso e afasia. São Paulo: Martins Fontes.

COUDRY M.I.H. “Lingüística e Neurolingüística”. In B.P. Damasceno & M. I. Hadler Coudry (orgs.). São Paulo: SBPn, 12-19.

COUDRY M.I.H. (1991/96). “O que é dado em Neurolinguística?”, in Maria Fausta C. Pereira de Castro (org.), O método e o dado no estudo da linguagem, Campinas: Editora da UNICAMP, 179-194.

COUDRY M.I.H. & POSSENTI, S. (1983). “Avaliar discursos patológicos, in Cadernos de Estudos Lingüísticos, 5, Campinas, IEL, UNICAMP, 99-109.

COUDRY M.I.H. & MORATO, E.M. (1992). “Processos de significação: a visão da Neurolingüística”, in ABRALIN, 13, São Paulo, 59-73.

COUDRY M.I.H. & GANDOLFO, M. C. (1994). “Afasia Pragmática?”, texto apresentado no I Congresso Internacional da ABRALIN, Salvador (mimeo).

COUDRY M.I.H. (1997). “Condições de subjetividade e patologia cerebral”, texto apresentado no II CELSUL, Forianópolis.

COUDRY M.I.H. (1997b). “Língua, discurso e a lógica da linguagem patológica”, in Cadernos da F.F.C., v. 6, n.2, 131-148.

DAMASCENO, B.P. (1990). “Neuropsicologia da atividade discursiva e seus distúrbios”, in Cadernos de Estudos Linguísticos, 19, Campinas, IEL, UNICAMP, 147-157.

DAMASCENO, B.P. (1997). “Neuropsicologia e Neurolingüística”, in Cadernos de Estudos Lingüísticos, 32, Campinas, IEL, UNICAMP, 87-92.

DUTRA, L.S. (2001). A repercussão da afasia na vida de sujeitos afásicos e familiares (Projeto FAPESP: 00/00349-3).

FEDOSSE, E. Da relação linguagem e praxia: estudo neurolingüístico de um caso de afasia. Dissertação de Mestrado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

FELIZATTI, P. (1998). Aspectos fonético-fonológicos da disartria pós-traumática: Um estudo de caso. Dissertação de Mestrado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

FOLSTEIN, M., FOLSTEIN, S. & McHUGH, P. (1974). Mini Mental State, in Journal Psychiat., v. 12, p. 189-198.

FOUCAULT, M. (1961). Doença mental e psicologia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

FOUCAULT, M. (1969/1995). Arqueologia do saber. São Paulo: Forense Universitária.

FOUCAULT, M. (1971). L’ordre du discours. Paris: Gallimard.

FRANCHI, C. (1977). “Linguagem - Atividade Constitutiva”, in Almanaque, 5, São Paulo: Brasiliense, 927.

FRANCHI, C. (1986). “Reflexões sobre a hipótese da modularidade da mente”, in ABRALIN, 8:17-35.

FREIRE, F.M.P. (1999). “Enunciação e discurso: a linguagem de programação Logo no discurso do afásico”. Dissertação de Mestrado. IEL/UNICAMP.

FREITAS, Margareth de Souza. Alterações fono-articulatórias nas afasias motoras: contribuições para uma caracterização lingüística da afasia. Tese de Doutorado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

FREUD, S. (1891/1973). La afasia. Buenos Aires: Nueva Visión.

GERALDI, J.W. (1990). Portos de Passagem. São Paulo:Martins Fontes:

GANDOLFO, M.C. (1994). “Síndrome frontal (leve) ou afasia semântico-pragmática”. Dissertação de Mestrado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp. Publicada em livro (1996) Às margens do sentido, São Paulo: Plexus.

GHENCEV, R. (2002). Um estudo comparativo da jargonafasia (Projeto FAPESP: 01/07583-4)

GOLDSTEIN, K. (1995). The orgasnism.New York: Zone Books.

GUINDASTE, R.M.G. (1996). “O agramatismo: um estudo de caso em Português”. Tese de Doutorado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

JACKSON, H. (1931-32/77). “Huglings Jackson’s doctrine of aphasia”, in W. Riese Selected papers on the history of aphasia. Amsterdam: Swets & Zeitilinger, 100-121.

JAKOBSON, R. (1969). “Dois aspectos da linguagem e dois tipos de afasia”, in Lingüística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 34-62.

JAKOBSON, R. (1975). “Les règles des dégâts grammaticaux” in Julia Kristeva, Jean-Claude Milner et Nicolas Ruwet (dir.), Langue, discours, société. Paris: Seuil, 11-25.

LAHUD, M. (1979). A propósito da noção de dêixis. São Paulo: Ática.

LEBRUN, Y. (1983). Tratado de Afasia, São Paulo: Panamed, 9- 19, 35-39, 97-105.

LURIA, A.R. (1976). Basic Problems of Neurolinguistics. The Hague: Mouton.

LURIA, A.R. (1977). Neuropsychological Studies in Aphasia, Amsterdam: Swets & Zeitlinger B. V.

MACCABE, C. (1981). On discourse, in MacCabe (org.), The talking cure: Essays in Psychoanalysis. London: The McMillan Press.

MAINGUENEAU, D. (1987/89). Novas Tendências em Análise do Discurso, Campinas: Pontes.

MAINGUENEAU, D. (1990) L’Analyse du Discours - introduction aux lectures de l’archive. Paris: Hachette.

MÁRMORA, C.H.C. (2000). “Linguagem, afasia, (a)praxia: uma perspectiva neurolingüística”. Dissertação de Mestrado. IEL/UNICAMP.

MORATO, E.M. (1995). “Um estudo da confabulação no contexto neuropsicológico: O discurso à deriva ou as sem-rezões do sentido”. Tese de Doutorado; co-orientada por Ingedore Villaça-Koch. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

MORATO, E.M. & COUDRY, M.I.H. (1992). “Digressão e confabulação na afasia: as formas marginais do dizer”, in Estudos Linguísticos XXI, Jaú, 644-651.

MORATO, E.M. & NOVAES-PINTO, R. (1997). “ A relação entre neologismo e jargonafasia: implicações neurolinguísticas (apresentado no II Círculo Linguístico do Sul/CELSUL).

MORATO, E.M. (1998). “Aspectos Enunciativos da Jargonafasia” - Caderno de Estudos Linguísticos XXVII , p. 396 – 401.

NOGUCHI, M.S. (1997). A linguagem da doença de Alzheimer: considerações sobre o modelo de funcionamento lingüístico cognitivo. Mestrado em Neurociências, Unicamp. Orientador: Prof. Dr. Benito Pereira Damasceno, Co-orientadora: Profª. Drª. Maria Irma Hadler Coudry.

NOVAES PINTO, R. (1999). A contribuição do estudo discursivo para uma análise crítica das categorias clínicas. Tese de doutorado (inédita). IEL/UNICAMP.

ORLANDI, E. (1996). Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis:Vozes.

OSAKABE, H. (1979). Argumentação e discurso político. São Paulo: Kairós.

PADILHA, A.M.L. (2000). Bianca: o ser simbólico: para além dos limites da deficiência mental. Mestrado em Educação, Unicamp. Orientador: Prof. Dr. Angel Pino Sirgado, Co-orientadora: Profª. Drª. Maria Irma Hadler Coudry.

PÊCHEUX, M. & FUCHS, C. (1990). “A propósito da Análise Automática do Discurso: atualização e perspectivas (1975)”. In Gadet & Hak (orgs.) Por uma análisre automática do discurso. Uma introdução à obra de Michel atualização e perspectivas. Campinas: Ed. da Unicamp.

PEREIRA, S.E. (1998). Um estudo do fenômeno da relevância no discurso patológico. Dissertação de Mestrado. Campinas, Dep. de Lingüística, IEL, Unicamp.

POSSENTI, S. (1986/88). Discurso, estilo e subjetividade. São Paulo:Martins Fontes.

POSSENTI, S. (1995). “Língua: sistema de sistemas”, In B.P. Damasceno & M. I. Hadler Coudry (orgs.). Temas de Neuropsicologia, vol. IV. São Paulo: SBPn, 20-25.

POSSENTI, S. & COUDRY, M.I.H. (1991). “A relevância de piadas em protocolos de afasia”, in Estudos Linguísticos XVI, Anais de Seminários do GEL, Franca: 725-732.

RIBEIRO, I. Quais as faces do português culto brasileiro? (a sair).

SCISCI, L. (2002). Estudo da atribuição de sentido em contextos interativos envolvendo processos de significação verbais e não-verbais de sujeitos afásicos e não afásicos (Projeto FAPESP: 01/011797).

VYGOTSKY, L.S. (1988). A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

2011-08-08

Como Citar

COUDRY, M. I. H. Linguagem e afasia: uma abordagem discursiva da neurolingüística. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 42, p. 99–130, 2011. DOI: 10.20396/cel.v42i0.8637143. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8637143. Acesso em: 11 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)