Banner Portal
Construção/reconstrução de objetos-de-discurso: manutenção tópica e progressão textual
PDF

Palavras-chave

Linguística.

Como Citar

KOCH, Ingedore; PENNA, Maria Angélica de Oliveira. Construção/reconstrução de objetos-de-discurso: manutenção tópica e progressão textual. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 48, n. 1, p. 23–32, 2011. DOI: 10.20396/cel.v48i1.8637252. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8637252. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

We postulate in this paper that the construction/reconstruction of discourse objects, in accordance to the principles of centration, concernence, relevance and organicity, is of fundamental importance not only for topic maintenance, as for its identification by the reader or the analist. Among the factores that collaborate
to the construction of discourse objects, we choose Nominal Referential Forms, which we consider some of the main decisions made by readers/writers in order to accomplish their projects of meaning.
https://doi.org/10.20396/cel.v48i1.8637252
PDF

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. (1998). Palavras incertas. As não-coincidências do dizer. Campinas,São Paulo: editora da UNICAMP.

BAKHTIN (Voloshinov). (1929-1930). Tema e significação na língua. In: Marxismo e filosofia da linguagem, pp. 128 -136. São Paulo: Hucitec, 1992.

CONTE, M. E. (1996). Encapsulamento anafórico. In Cavalcanti,M.M; Rodrigues, B. B; Ciulla, A.L (2003) Referenciação. São Paulo: Contexto.

FRANCIS, G (1996). Rotulação do discurso: um aspecto da coesão lexical de grupos nominais. In Cavalcanti,M.M; Rodrigues, B. B; Ciulla, A.L (2003) Referenciação. São Paulo:Contexto

JUBRAN, C. C. A. S. et al. (1992). Organização tópica da conversação. In: ILARI, R. (Org.). Gramática do Português Falado. Campinas: UNICAMP; São Paulo: FAPESP,. V.2, pp. 341- 428.

JUBRAN, C. C. A. S. (2006). Tópico discursivo. In: JUBRAN, C.C.A.S. & KOCH, I.G.V. (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Edunicamp, pp.89-132.

KOCH, I. G.V. (2001). A referenciação como atividade cognitiva e interacional /Conferência apresentada no II Congresso Internacional da ABRALIN. Fortaleza.

KOCH, I. G.V. (2004). Introdução à Lingüística Textual. São Paulo: Martins Fontes.

KOCH, I. G.V. (2004). Sobre a seleção do núcleo das formas nominais anafóricas na progressão referencial. In: Sentido e significação – em torno da obra de Rodolfo Ilari, pp. 244 – 262 .São Paulo: Contexto.

KOCH, I.G.V & MARCUSCHI, L.A.(1998). Processos de referenciação na produção discursiva. Delta, 14: pp.169-190

MONDADA, L. (2003). La constrution de la réferénce comme travail interactif: accomplir la visibilité du détail anatomique durant une opération chirurgicale. In: Cadernos de Estudos Lingüísticos, 44: pp. 57-70. Campinas, São Paulo.

MONDADA, L. & DUBOIS. (1995). Construção dos objetos de discurso e categorização: Uma abordagem dos processos de referenciação. Clássicos da Lingüística I, in Cavalcanti, M.M; Rodrigues, B. B; Ciulla, A.L (2003) Referenciação. São Paulo:Contexto

PENNA, M.A.O.(2006). As Formas Nominais Referenciais e suas funções na progressão textual. UNICAMP – IEL : dissertação de mestrado.

O periódico Cadernos de Estudos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.