Revisitando a noção de tópico discursivo

Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran

Resumo


This paper presents some complements to the discourse-topic concept formulated by the Group of Textual-Interactive Organization of the Spoken Portuguese Grammar Project. It also emphasizes the functionality of the analytic category of the discourse topic in the particularization of repetition strategies, paraphrasis and parentheses.

Palavras-chave


Linguística.

Texto completo:

PDF

Referências


HILGERT, J. G. (1993). Procedimentos de reformulação: a paráfrase. Em: Dino Preti (Org.). Análise de textos orais. São Paulo: FFLCH/USP, pp. 103-27.

HILGERT, J. G. (2006). Parafraseamento. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 275-99.

JUBRAN, C. C. A. S. (2006). A perspectiva textual-interativa. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 27-36.

JUBRAN, C. C. A. S. (2006). Tópico discursivo. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 89-132.

JUBRAN, C. C. A. S. (2006). Parentetização. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 301-57.

JUBRAN, C. C. A. S. (1996). Parênteses: propriedades identificadoras. Em: Ataliba Teixeira de Castilho e Margarida Basílio (Orgs.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP; São Paulo: FAPESP, vol. IV – Estudos descritivos, pp. 411-22.

JUBRAN, C. C. A. S. e KOCH, I. G. V. K. (Orgs). (2006). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado.

JUBRAN, C. C. A. S.; URBANO, H. et al. (1992). Organização tópica da conversação. Em: Rodolfo Ilari (Org.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. II – Níveis de análise lingüística, pp. 357-439.

KOCH, I. G. V. K. et al. (1990). Aspectos do processamento do fluxo de informação no discurso oral dialogado. Em: Ataliba Teixeira de Castilho (Org.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP; São Paulo: FAPESP, vol. I – A ordem, pp. 143-84.

MARCUSCHI, L. A. (2006). Repetição. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 219-54.

MARCUSCHI, L. A. (1996). A repetição na língua falada como estratégia de formulação textual. Em: Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Org.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP; São Paulo: FAPESP, vol. VI – Desenvolvimentos, pp. 95-129.

PINHEIRO, C. L. (2005). Estratégias textuais-interativas: a articulação tópica. Maceió: EDUFAL.

RISSO, M. S. (2006). Marcadores discursivos basicamente seqüenciadores. Em: Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran e Ingedore Grunfeld Villaça Koch (Orgs.). Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. I – Construção do texto falado, pp. 427-96.

RISSO, M. S. (1993). “Agora o que eu acho é o seguinte”: um aspecto da articulação do discurso no português culto falado. Em: Ataliba Teixeira de Castilho (Org.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP; São Paulo: FAPESP, vol. III – As abordagens, pp. 31-60.




DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v48i1.8637253

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




(c) Cad. Estud. Linguíst., Campinas (SP) - ISSN 2447-0686.