Banner Portal
Gestão do tópico e relevância conversacional na interação entre afásicos e não-afásicos, ou quando uma mão lava a outra
PDF

Palavras-chave

Linguística.

Como Citar

MORATO, Edwiges Maria. Gestão do tópico e relevância conversacional na interação entre afásicos e não-afásicos, ou quando uma mão lava a outra. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 48, n. 1, p. 105–114, 2011. DOI: 10.20396/cel.v48i1.8637258. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8637258. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

This article analyses a conversational episode among aphasic and non-aphasic individuals in an inter-active situation. My purpose is to briefly contemplate two reflexive movements derived from the definition of aphasia as a metalinguistic problem or as a loss/alternation of linguistic competence: i) the first problem
stands out processes of establishment and maintenance of discourse topic; ii) the second distinguishes that the co-occurrence of semiotic processes is essential both to the conversational relevance and to the discourse topic maintenance.
https://doi.org/10.20396/cel.v48i1.8637258
PDF

Referências

DASCAL, M. (1982). Introdução – Fundamentos Metológicos da Lingüística. Dascal. M. (org.). Pragmática. Vol. IV. Campinas: Edição do Autor.

FRANÇOIS, F. (1993). Pratiques du l’oral. Dialogue, jeu et variations des figures du sens. Paris: Nathan Pédagogie, 1993.

GOODWIN, C. (2004). A Competent Speaker Who Can’t Speak: The Social Life of Aphasia Journal of Linguistic Anthropology December 2004, Vol. 14, No. 2, pp. 151-170. University of California, Los Angeles

HYMES, D. (1984). Vers la compétence linguistique. Paris: Hatier-Credif.

JUBRAN, C.C.A.S. (2006). Revisitando a noção de tópico discursivo (neste número).

JUBRAN, C.C.A.S. URBANO, H. et al. (1992). Organização tópica da conversação. In. Rodolfo Ilari (Org.). Gramática do português falado. Campinas: Editora da UNICAMP, vol. II – Níveis de análise lingüística, pp. 357-439.

KOCH, I.G.V. (2004). Introdução à Lingüística. São Paulo: Contexto.

MARCUSHI, L. Do código para a cognição: o processo referencial como atividade cognitiva. Juiz de Fora, MG: Veredas 13: 43-62, 2002.

MARCUSCHI, L. A. & Salomão, M.M. (2004). Introdução. In: MUSSALIN & Bentes) Introdução à Lingüística – fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez.

MONDADA, L . (2005) la coordination de la parole-en-interaction et de l´inscription dans l´elaboration collective des topics, in Bouchard, R. Mondada, L. eds Un processus de la rédaction collaborative, Paris : Harmattan, 131-164.

MONDADA, L. (2003).Cognition et parole-en-interaction. Veredas (10): 131-39.

MORATO, E.M. et al. (2005).Análise da competência pragmático-discursiva de sujeitos afásicos que freqüentam o Centro de Convivência de Afásicos (CCA-IEL/UNICAMP). Relatório Final de Pesquisa, FAPESP, processo 03/02604-9.

MORATO, E.M. (2005). Referenciação e subjetividade nas práticas de um Centro de Convivência de Afásicos e nãoafásicos. I Congresso Internacional Interação e Linguagem. UNISINOS. São Leopoldo (RS).

MORATO, E.M.. et al.(2002). Sobre as afasias e os afásicos – subsídios teóricos e práticos elaborados pelo Centro de Convivência de Afásicos (Universidade Estadual de Campinas). Campinas: Unicamp.

MORATO, E.M.. & Bentes. A. C. (2002). Das intervenções de Bourdieu no campo da lingüística: reflexões sobre competência e língua legítima. Horizontes 20: 31-48.

RISSO, M.; JUBRAN, C.C.A S. (1998). O discurso auto-reflexivo: Processamento metadisursivo do texto. DELTA 14.

SPERBER, D. & WILSON, D. (1986). Relevance: Communication and Cognition. Oxford: Basil Blackwell.

O periódico Cadernos de Estudos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.