Discurso na fanpage “só gordinhas” sobre a personagem Perséfone da novela amor à vida

Autores

  • Ane Cristina Thurow Universidade Católica de Pelotas
  • Clóris Maria Freire Dorow Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - Campus Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v57i2.8642403

Palavras-chave:

Facebook. Formação discursiva. Silêncio

Resumo

O uso crescente da Internet, principalmente das redes sociais, tem influenciado cada vez mais a vida das pessoas. Um site de rede social muito utilizado é o Facebook, que permite o acesso e a criação de fanpages (comunidades). Partindo do entendimento de que o discurso da fanpage está inscrito numa formação discursiva de “aceitação do corpo”, o trabalho tem como objetivo geral refletir sobre os possíveis efeitos de sentido gerados nas práticas discursivas produzidas no espaço enunciativo da fanpage “Só Gordinhas” a respeito da personagem Perséfone apresentada na novela “Amor à Vida” da Rede Globo. Para tanto, o procedimento metodológico desenvolvido constitui-se na análise interpretativa dos enunciados produzidos na fanpage. E assim, com base nos pressupostos da Análise de Discurso pecheuxtiana, consideram-se alguns conceitos primordiais para a interpretação desse corpus, dentre os quais: discurso como “efeito de sentido entre locutores” (PÊCHEUX, 2009); sujeito discursivo, que ocupa um lugar social, atravessado pelo inconsciente e interpelado pela ideologia; formação discursiva, representando o lugar de constituição do sentido e da identificação do sujeito; e silêncio, que possibilita pensar na incompletude constitutiva de todo discurso. Com este trabalho, espera-se evidenciar as diferentes posições-sujeito que se entrecruzam numa dada formação discursiva, constituídas por discursos acerca da popularização da imagem da personagem citada, que pode ser analisada como uma figura que emana simpatia e/ou preconceito imposto pela mídia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ane Cristina Thurow, Universidade Católica de Pelotas

É doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas (PPGL/ UCPel) e aluna do Curso de Psicologia na mesma universidade. É mestre em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas (PPGL/ UCPel) e especialista pelo Curso de Pós-graduação Lato Senso em Linguagens Verbais e Visuais e suas Tecnologias - IFSUL. Graduou-se no curso de Letras e respectivas Literaturas (Português/ Espanhol/ Inglês) pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Atuou como pesquisadora de Iniciação Científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pelo Programa de Iniciação Científica (BIC/ UCPel). Tem experiência na área de Linguística com ênfase em Análise do Discurso e em Linguística Cognitiva, produzindo trabalhos relacionados aos seguintes temas: discurso, (inter)subjetividade, efeitos de sentido, corpo e obesidade.

Clóris Maria Freire Dorow, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - Campus Pelotas

Atualmente é professora e coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Linguagens Verbo-Visuais e Tecnologia. Doutora em Letras , com ênfase em Análise de Discurso, participa de grupos de pesquisa, atuando principalmente nos seguintes temas: discurso jurídico, subjetividade, corpo, heterogeneidade e mulher. Foi coordenadora e professora de dois pós-graduações Lato Sensu, do Instituto: Pós- Graduação em PROEJA e Pós-Graduação em Linguagens Verbais e Visuais e suas Tecnologias.Também foi coordenadora do primeiro curso de PROEJA do Instituto.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Obesidade. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. (Cadernos de Atenção Básica, n. 12)

CORBIN, A. O encontro dos corpos. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do corpo: Da Revolução à Grande Guerra. Trad. João Batista Kreuch; Jaime Clasen. Vol. II. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 181-266

COURTINE, J-J. Análise do Discurso Político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Paulo: EdUFSCar, 2009.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Trad. Sírio Possenti. Ijuí: Fidence, 1973.

GARCIA, W. Corpo, mídia e representação: estudos contemporâneos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

GRANTHAM, M. R. Da releitura à escritura: um estudo da leitura pelo viés da pontuação. 340f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

ORLANDI, E. P. Discurso e textualidade. 2. ed. Campinas: Pontes Editores, 2010.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. (1999) 10. ed. Campinas: Pontes Editores, 2012a.

ORLANDI, E. P. Discurso em análise: Sujeito, sentido e ideologia. 2. ed. Campinas: Pontes Editores, 2012b.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi. 4. Ed. Campinas: Pontes Editores, 2008.

PÊCHEUX, M. (1988) Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi et al. 4. ed. Campinas: Ed. da UNICAMP, 2009.

PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, Françoise & HAK, Tony. Por uma Análise Automática do Discurso: Uma introdução à Obra d Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, 2014. p. 59-158.

PÊCHEUX, M. A análise de discurso: três épocas. In: GADET, Françoise & HAK, Tony. Por uma Análise Automática do Discurso: Uma introdução à Obra d Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, 2014. p. 307-315.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. (Coleção Cibercultura).

RECUERO, R. A conversação como apropriação na comunicação mediada pelo computador. Disponível em: http://www.raquelrecuero.com/raquelrecuerolivrocasper.pdf Acesso em: 15 ago. 2013.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi (org.). Políticas do corpo. São Paulo: Estação Liberdade, 1995.

Downloads

Publicado

2015-12-16

Como Citar

THUROW, A. C.; DOROW, C. M. F. Discurso na fanpage “só gordinhas” sobre a personagem Perséfone da novela amor à vida. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 57, n. 2, p. 227–247, 2015. DOI: 10.20396/cel.v57i2.8642403. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8642403. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos