Sociolinguística no/do Brasil

Raquel Meister Ko. Freitag

Resumo


A Sociolinguística de orientação variacionista é uma das áreas de pesquisa mais abrangentes e produtivas no Brasil e segue um modo de trabalho muito particular, que se distancia da abordagem proposta por William Labov em “The Social Stratification of English in New York City”. O texto retrospecta as duas obras pioneiras, “The Social Stratification of English in New York City” e “Language in the inner city, para então apresentar uma versão da Sociolinguística do Brasil e prospectar seus rumos, evidenciando a tensão entre o ativismo sociolinguístico e a documentação sociolinguística.

 


Palavras-chave


Ativismo sociolinguístico. Documentação sociolinguística. Sociolinguística variacionista.

Texto completo:

PDF

Referências


BALBACHEVSKY, Elizabeth. A pós-graduação no Brasil: novos desafios para uma política bem sucedida. In: BROCK, Colin; SCHWARTZMAN, Simon. Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005, p. 285-314.

BARONAS, Roberto Leiser, COX, Maria Inês Pagliarini. Por uma vida melhor na mídia: discurso, aforização e polêmica. Linguagem em (Dis)curso, n. 13, v. 1, p. 65-93, 2013.

BISOL, Leda; MENON, Odete Pereira da Silva; TASCA, Maria. VARSUL, um banco de dados. In: VOTRE, Sebastião; RONCARATI, Claudia (ed.). Anthony Julius Naro e a linguística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008, p. 50-58.

CEDERGREN, Henrietta J.; SANKOFF, David. Variable rules: Performance as a statistical reflection of competence. Language, p. 333-355, 1974.

FREITAG, Raquel Meister Ko. (Re)discutindo sexo/gênero na sociolinguística. In: FREITAG, Raquel Meister Ko., SEVERO, Cristine Gorski (ed.). Mulheres, Linguagem e Poder - Estudos de Gênero na Sociolinguística Brasileira. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2015, p. 17-74.

FREITAG, Raquel Meister Ko. Amostras sociolinguísticas: probabilísticas ou por conveniência? (a sair)

FREITAG, Raquel Meister Ko. Documentação sociolinguística – coleta de dados e ética em pesquisa. São Cristóvão: EdUFS (no prelo)

FREITAG, Raquel Meister Ko. Idade: uma variável sociolingüística complexa. Línguas & Letras, v. 6, n. 11, p. 105-121, 2005.

FREITAG, Raquel Meister Ko. Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2014.

FREITAG, Raquel Meister Ko. O social da sociolinguística: o controle de fatores sociais. Diadorim, n. 8, v.1, p. 43-58, 2011.

FREITAG, Raquel Meister Ko; SANTANA, Cristiane Conceição; ANDRADE, Thaís Regina Conceição. Práticas constitutivas do povoado Açuzinho. Revista Ambivalências, v. 2, n. 3, p. 194-217, 2014.

LABOV, William. Afterword: Where are we now?. Journal of Sociolinguistics, v. 20, n. 4, p. 581-602, 2016.

LABOV, William. Language in the inner city: Studies in the Black English vernacular. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1972.

LABOV, William. Padrões Sociolinguísticos. Tradução: Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LABOV, William. Sociolinguistic patterns. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1972.

LABOV, William. The social stratification of English in New York city. Cambridge: Cambridge University Press, 2006 [1966].

LABOV, William. Where does the Linguistic variable stop? A response to Beatriz Lavandera. Sociolinguistic Working Papers, n. 44, p. 1-16, 1978.

LEMLE, Miriam; NARO, Anthony J. Competências básicas do português. Relatório final de pesquisa apresentado às instituições patrocinadoras – Fundação Mobral e Fundação Ford. Rio de Janeiro, 1977.

LUCCHESI, Dante. Ciência ou dogma? O caso do livro do MEC e o ensino de língua portuguesa no Brasil. Revista Letras, n. 83, v.1, p. 83-112, 2013.

MEYERHOFF, Miriam. Methods, innovations and extensions: Reflections on half a century of methodology in social dialectology. Journal of Sociolinguistics, v. 20, n. 4, p. 431-452, 2016.

OLIVEIRA E SILVA, Giselle Machline; SCHERRE, Maria Marta Pereira. Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

RAMOS, Heloísa. Por uma vida melhor: Coleção Viver e Aprender. São Paulo, Editora Global, 2011.

RICKFORD, John R. Labov's contributions to the study of African American Vernacular English: Pursuing linguistic and social equity. Journal of Sociolinguistics, v. 20, n. 4, p. 561-580, 2016.

SALOMÃO, Ana Cristina Biondo. Variação e Mudança Linguística: panorama e perspectivas da sociolinguística variacionista no Brasil. Fórum Linguístico, v. 8, n. 2, p. 187-207, 2011.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Verdadeiro respeito pela fala da outro: realidade possível?. Revista Letra, n. 8, v.1, p. 51-62, 2013.

SCHERRE, Maria Marta Pereira; RONCARATI, Claudia. Programa de estudos sobre o uso da língua (PEUL): origens e trajetórias. In: VOTRE, Sebastião; RONCARATI, Claudia (ed.). Anthony Julius Naro e a linguística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008, p. 37-49.

SOARES, Magda. Linguagem e escola: uma perspectiva social. São Paulo: Ática, 1994.

TURRA, Cleusa; VENTURI, Gustavo. Racismo cordial. São Paulo: Ática, 1995.

VOTRE, Sebastião; RONCARATI, Claudia; NASCIMENTO, Rebeca. Entrevista com Antony Julius Naro. In: VOTRE, Sebastião; RONCARATI, Claudia (ed.). Anthony Julius Naro e a linguística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008, p.13-20.

WEINREICH, Uriel, LABOV, William, HERZOG, Marvin. Empirical foundations for a theory of language change. University of Texas Press.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Empirical foundations for a theory of language change. Austin: University of Texas Press, 1968.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução: Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.




DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v58i3.8647170

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

(c) Cad. Estud. Linguíst., Campinas (SP) - ISSN 2447-0686.