A relevância social da sociolinguística

o efeito de escolaridade na marcação de número

Autores

  • Roberto Gomes Camacho Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v58i3.8647219

Palavras-chave:

Concordância nominal, Predicativo, Escolaridade, Paralelismo formal

Resumo

Com o foco centrado em dados extraídos do Iboruna, um córpus coletado na região noroeste do Estado de São Paulo, este trabalho pretende mostrar a relevância social da pesquisa variacionista com base num estudo da marcação variável de plural em predicativos de um único componente (substantivos, adjetivos e particípios passivos). Como reiteração de marcas, esse fenômeno variável se mostra em grande parte motivado por paralelismo formal, definido como uma restrição interna, mas se mostra também passível de ser explicado especialmente por grau de escolaridade, definido como uma restrição externa. Esse resultado, de natureza nitidamente social, converge com os principais princípios postulados pela Sociolinguística em seu surgimento 50 anos atrás, quando foi publicada a tese de Labov The Social Stratification of English in New York City.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Gomes Camacho, Universidade Estadual Paulista

Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Pós-doutorado em Gramática Funcional pela Universidade de Amsterdã. Professor Adjunto da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Referências

BAGNO, Marcos. 2003. A norma oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola.

BRANDÃO, Silvia F.; VIEIRA, Silvia R. 2012. Concordância nominal e verbal: contribuições para o debate sobre o estatuto da variação em três variedades urbanas do português. Alfa, São Paulo, 56 (3): 1035–1064.

BRIGHT, William. 1974 [1966]. As dimensões da sociolinguística. In: FONSECA, M.S.V.; NEVES, M. F. (orgs.) Sociolinguística. Trad.de E. N. Araújo Jorge. Rio de Janeiro: Eldorado, p. 17-24.

CALVET, Louis-Jean. 2002. Sociolinguística: uma introdução crítica. Trad. M. Marcionilo. São Paulo: Parábola Editorial.

CAMACHO, Roberto G. 2013. Da linguística formal à linguística social. São Paulo: Parábola Editorial.

CAMACHO, Roberto G.; SALOMÃO, Mircia H. 2012. Motivações em competição na variação sociolinguística: o plural dos predicativos na variedade de São José do Rio Preto. Alfa, São Paulo, 56(3): 1065–1097.

CAMPOS, Odette G. L. de S; RODRIGUES, Ângela C. S. Flexão nominal: indicação de pluralidade no sintagma nominal. In: ILARI, R. (org.) Gramática do Português falado (v. 2: Níveis de análise linguística), 4ª ed. revista. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002, p. 101-122.

CEDERGREN, Henriette. 1973. The interplay of social and linguistic factors in Panama. Tese. (Doutorado em Linguística). Ithaca. Cornell University.

FASOLD, Ralph. 2006. The politics of language. In: FASOLD, R.; CONNOR-LINTON, J. An introduction to language and linguistics. Cambridge: Cambridge University Press. p. 373–400.

GARCÍA, Erica. C. 1985. Shifting variation. Lingua, v. 67, p. 189–224.

GONÇALVES, Sebastião Carlos. L.; TENANI, Luciani E. 2008. Problemas teórico-metodológicos na elaboração de um sistema de transcrição de dados interacionais: o caso do projeto ALIP Amostra Linguística do Interior Paulista. Gragoatá 25, 165–184.

HAIMAN, John. 1983. Iconic and economic motivation. Language, LSA, 59(4):781– 819.

HAIMAN, John. 1985. The iconicity of grammar. Language. V. 56, p. 515–540.

ILARI, Rodolfo. 2004. O estruturalismo linguístico: alguns caminhos. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A.C. Introdução à linguística. São Paulo: Cortez. p. 53–92. (Vol 3: Fundamentos epistemológicos).

KIPARSKY, P. 1982. Explanation in Phonology. Dordrecht: Foris.

KOERNER, Ernst F. Konrad. 1991. Toward a history of modern Sociolinguistics. American Speech. 66 (1): 57–70.

LABOV, William. 1969. Contraction, deletion and inherent variability of the English copula. Language, Baltimore, v. 45, p. 715–762.

LABOV, William. 1978. Where does the linguistic variable stop? A response to Beatriz Lavandera. Sociolinguistic Working Papers, v. 44.

LABOV, William. 1994. Principles of linguistic change. Vol 1: Internal factors. Oxford/Cambridge: Basil Blackwell.

LABOV, William. 2006 [1966]. The social stratification of English in New York City. 2nd edition. Cambridge: Cambridge University Press.

LABOV, William. 2008 [1972]. Padrões Sociolinguísticos. Trad. M. Bagno; M. Scherre, C. S. Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial.

LAVANDERA, Beatriz. 1978. Where does the sociolinguistic variable stop? Language in Society. v. 7, p. 171–82.

MENDES, Ronald Beline; OUSHIRO, Livia. 2012. O paulistano no mapa sociolinguístico brasileiro. Alfa, São Paulo, 56(3): 973-1001.

MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luíza. (orgs.) 2003. Introdução à sociolinguística. O tratamento da variação. São Paulo: Contexto.

OUSHIRO, Livia. 2015. Identidade na pluralidade. Avaliação, percepção e produção linguística na cidade de São Paulo. 2015. 372f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

PAIVA, Maria da Conceição; PAREDES SILVA, Vera Lúcia. 2012. Cumprindo uma pauta de trabalho: contribuições recentes do PEUL. Alfa, São Paulo, 56(3): 739–770.

POPLACK, Shana. 1980. Deletion and Disambiguation in Puerto Rican Spanish. Language, 56 (2), 371–385.

ROMAINE, Suzanne. 1981. The status of variable rules in sociolinguistic theory. Journal of Linguistics, v. 17, p. 93–119.

RUBIO, Cássio Florêncio; GONÇALVES, Sebastião Carlos L. 2012. A fala no interior paulista no cenário da sociolinguística brasileira: panorama da concordância verbal e da alternância pronominal. Alfa, São Paulo, 56(3): 1003–1034.

SALOMÃO, Mircia H. 2010. A variação de pluralidade nas estruturas predicativas da variedade falada na região de São José do Rio Preto. 2010. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos), Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

SANKOFF, David; CEDERGREN, Henriette. 1971. Some results of sociolinguistic study of Montreal French. In: DARNELL, R. (ed.) Linguistic diversity in Canadian Society. Edmonton: Linguistic Research, Inc. p. 61–87

SANKOFF, David; TAGLIAMONTE, Sali; SMITH, Eric. 2005. Goldvarb X: A variable rule application for Macintosh and Windows, Department of Linguistics, University of Toronto. (Acessible in: http://individual.utoronto.ca/tagliamonte/goldvarb.htm), acesso em 15 de março de 2008.

SCHERRE, Maria Marta P. 1988. Reanálise da concordância nominal em português. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

SCHERRE, Maria Marta P. 1991a. A concordância de número nos predicativos e nos particípios passivos. Organon 18 (5): 52–70.

SCHERRE, Maria Marta P. 1991b. Marking in discourse: birds of a feather. Language Variation and Change 3: 23-32.

SCHERRE, Maria Marta P. 1994. Aspectos da concordância de número no português do Brasil. Revista Internacional de Língua Portuguesa 12: 37–49.

SCHERRE, Maria Marta P. 1998. Paralelismo linguístico. Revista de Estudos da Linguagem 7 (2): 29-59.

SCHERRE, Maria Marta P. 2001. Phrase-level parallelism effect on noun phrase number agreement. Language Variation and Change 13: 91–107.

SCHERRE, Maria Marta P. 2005. Doa-se lindos filhotes de poodle: variação linguística, mídia e preconceito. São Paulo: Parábola Editorial.

SCHERRE, Maria Marta P.; NARO, Anthony J. 1992. The serial effect on internal and external variables. Language Variation and Change 4: 1-13.

TARALLO, Fernando. 1983. Relativization Strategies in Brazilian Portuguese. Tese (Doutorado em Linguística). University of Pennsylvania, Philadelphia.

TRUDGILL, Peter. 1974. The social differentiation of English in Norwich. Cambridge: Cambridge University Press.

WEINER, Judith; LABOV, William. 1983. Constraints on the agentless passive. Journal of Linguistics. v. 19: 29-58.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin I. 2006 [1968]. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Trad. M. Bagno e C.A. Faraco. São Paulo: Parábola Editorial.

WOLFRAM, Walt. 1969. A linguistic description of Detroit negro speech. Washington, D.C.: Center for Applied Linguistics.

WOLFRAM, Walt; FASOLD, Ralph W. 1974. The study of social dialects in American English. Englewood Cliffs, N.J.: Prentice Hal.

Downloads

Publicado

2016-12-19

Como Citar

CAMACHO, R. G. A relevância social da sociolinguística: o efeito de escolaridade na marcação de número. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 58, n. 3, p. 461–479, 2016. DOI: 10.20396/cel.v58i3.8647219. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8647219. Acesso em: 5 fev. 2023.