Foucault nosso próximo

Autores

  • Pedro de Souza Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v58i3.8648008

Palavras-chave:

Enunciação. Singularidade. Subjetividade. Discurso.

Resumo

Neste texto, proponho uma análise pontual de fragmentos de fala de Michel Foucault focada no emprego que o filósofo faz do pronome “nós”. O objetivo é mostrar a maneira singular com que o pensador francês se torna próximo das realidades históricas, politicas e sociais de que se ocupa, mesmo quando se encontra local e temporalmente distante dos acontecimentos em que se engaja. Concluímos que em Foucault o sujeito que se torna próximo está atrelado a um ato inclusivo e co-extensivo de descentramento de si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Avaliador

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e o testemunho (Homo Sacer III). São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

BENVENISTE, É. “Estrutura das relações de pessoa no verbo francês”. Problemas de Lingüística Geral II. Campinas: Pontes, 1995.

BROSSAT, A. Quand Foucault dit “nous”... In http://appareil.revues.org/1265. Acesso em 03/02/2016.

FOUCAULT, M. “A cena da filosofia”. In:Ditos e escritos VII Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina. Org. Manuel de Barros da Motta. Tradução de Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011, p. 222-247.

FOUCAULT, M., Historia da Sexualidade I. A vontade de saber. Trad. Costa Albuquerque e Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, M., “Uma revolta a mãos nuas”. In Ditos e escritos VI. Repensar a política. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2010, p. 241, 244.

FOUCAULT, M. “Afilosofia analítica da política (1978)”. In: Ditos e escritos V. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004, p. 37-55.

FOUCAULT, M. “Foucault estuda a razão de Estado”. In: Ditos e escritos IV. Estratégia-Poder-Saber,Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003, p. 317-322.

FOUCAULT, M. “Manifesto do GIP” In: Ditos e Escritos IV. Estratégia, Poder-Saber. Org. Manoel Barros da Motta. Trad. Vera Lúcia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003, p.1-3.

FOUCAULT, M. “O intelectual e os poderes”, In: Ditos e Escritos VI. Repensar a Politica.Org. Manoel Barros da Motta. Trad. Ana Lucia Paranhos Pessoa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010, p. 371-376.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Trad. Luiz Felipe Baeta Neves.Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1986.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas, uma arqueologia das ciências. Trad. Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes.

FOUCAULT, M. História da Loucura na Idade Clássica.Trad. José Teixeira Coelho Netto. São Paulo: Perspectiva, 1978.

Downloads

Publicado

2016-12-19

Como Citar

SOUZA, P. de. Foucault nosso próximo. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 58, n. 3, p. 535–549, 2016. DOI: 10.20396/cel.v58i3.8648008. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8648008. Acesso em: 8 fev. 2023.