Banner Portal
O papel dos frames na organização do tópico discursivo e na coesividade comunicacional na interação entre afásicos e não afásicos
PDF

Palavras-chave

Frames. Tópico discursivo. Referenciação.

Como Citar

MORATO, Edwiges Maria; MARTINS, Erik Fernando; FERRARI, Natália Luisa; MARIANO, Rafaela Defendi; PARINTINS LIMA, Rafahel. O papel dos frames na organização do tópico discursivo e na coesividade comunicacional na interação entre afásicos e não afásicos. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 59, n. 1, p. 91–110, 2017. DOI: 10.20396/cel.v59i1.8648347. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8648347. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Postulamos em nosso estudo que modelos cognitivos de tamanho e escopo diferentes, como contextos mentais e frames, base do envolvimento e do enquadramento das interpretações levadas a cabo pelos indivíduos em interação, funcionariam como face sociocognitiva da referência. Em outros termos, enquadres sociocognitivos são tão importantes quanto as expressões referenciais para a manutenção, a continuidade e a gestão do tópico, bem como para a coerência discursiva e a coesividade comunicacional. As perguntas teóricas que nortearam nosso estudo foram: (i) como a instauração e a mobilização de frames (re)organizam o desenvolvimento do tópico discursivo? (ii) como os frames atuam na construção da referenciação (sobretudo, mas não só) no contexto das afasias? Entre os resultados obtidos, ressaltamos que os interagentes afásicos e não afásicos realizam um percurso discursivo sociocognitivamente ancorado em construções referenciais, em processos de centração e de organicidade inter e intratópica, em frames localmente ativados e construídos.
https://doi.org/10.20396/cel.v59i1.8648347
PDF

Referências

CIENKI, A. Frames. Idealized cognitive models and domains. In: GEERAERTS, D.; CUYCKENS, H. (Eds.). The Oxford handbook of cognitive linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

CROFT, W; CRUSE, D. A. Cognitive Linguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

ENSINK, T.; SAUER, C. Social-functional and cognitive approaches to discourse interpretation: the role of frame and perspective. In: Framing and perspectivising in discourse. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2003, p.1-22.

FILLMORE, C. J. Frame semantics. Linguistics in the morning calm: selected papers from SICOL-1981 (The linguistic society of Korea). Seoul: Hanshin Publishing Company, 1982.

GOFFMAN, E. Interaction ritual: Essays in face to face behavior. New York, 1967. GUMPERZ, J. J. Discourse strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.

HAMILTON, H. E. Conversations with an Alzheimer’s patient. Cambridge University Press, 1994.

JAKOBSON, R. Dois aspectos da linguagem e dois tipos de afasia. In: Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1981 [1954].

JEFFERSON, G. Transcription notation. In: ATKINSON, J.; HERITAGE, J. (Eds). Structures of social interaction. New York: Cambridge University Press, 1984. JUBRAN, C.C.A.S. Revisitando a noção de tópico discursivo. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 48(1), Campinas, 2006, p. 33-41.

JEFFERSON, G.; et al. Organização tópica da conversação. In: ILARI, R. (Org.). Gramática do Português Falado. Campinas: Editora da Unicamp, v. II: Níveis de análise linguística, 1992, p. 357-439.

KAMP, H. Representing de se thoughts and their reports. Ms. Austin/Stuttgart, 2011. http://nasslli2012.com/files/kamp_2011.pdf.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Texte et contexte. SCOLA - Sciences Cognitives, Linguistique & Intelligence Artificielle 6, 1996, p. 40-59.

KOCH, I. G. V. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

KOCH, I. G. Introdução à linguística textual. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

KOCH, I. G.; MARCUSCHI, L. A. Processos de referenciação na produção discursiva. DELTA, v. 14: special issue. São Paulo, 1998, p. 169-190.

KOCH, I. G.; PENNA, M. A. Construção/reconstrução de objetos-de-discurso: manutenção tópica e progressão textual. Caderno de Estudos Linguísticos, n. 48(1), 2006, p. 23-31. LAKOFF, G. Women, fire, and dangerous things: what categories reveal about the mind. Chicago: The University of Chicago Press, 1987.

KOCH, I. G.. Don’t Think of an Elephant: know your values, frame the debate. Vermont: Chelsea Green Publishing, 2004.

MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. São Paulo: Ática, 1987.

MARCUSCHI, L. A.. Atos de referenciação na interação face a face. Cadernos de Estudos Linguísticos, v. 41, Campinas, 2001, p. 37-54.

MARCUSCHI, L. A.. Anáfora indireta: o barco textual e suas âncoras. In: KOCH, I. V.; MORATO, E. M.; BENTES, A. C. Referenciação e Discurso. São Paulo: Contexto, 2005, p. 53-101.

MARCUSCHI, L. A. Referenciação e progressão tópica: aspectos cognitivos e textuais. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 48(1), Campinas, 2006, p. 7-22.

MIRANDA, N. S.; BERNARDO, F. C. Frames, discurso e valores. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 55(1), p. 81-97. Campinas, 2013.

MONDADA, L. Temporalité, séquentialité et multimodalité au fondement de l’organisation de l’interaction: Le pointage comme pratique de prise du tour. In: FILLIETTAZ, L. (ed.). Les modèles du discours face au concept d’action. Cahiers de Linguistique Française, n. 26, 2004, p. 269-292.

MORATO, E.M. (org.). A semiologia das afasias: perspectivas linguísticas. São Paulo: Cortez, 2010a.

MORATO, E.M. A noção de frame no contexto neurolinguístico: o que ela é capaz de explicar? Cadernos de Letras da UFF. Dossiê: letras e cognição, n. 41, 2010b, p. 93-113.

MORATO, E.M. Neurolinguística. In: MUSSALIM, F. e BENTES, A.C. (orgs.). Introdução à Linguística: Domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2012 [2001]. pp. 167-200.

MORATO, E.M; BENTES, A. C. Frames em jogo na construção discursiva e interativa da referência. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 55(1), Campinas, 2013, p. 125-137. SCHWARZ, M. Indirekte Anaphern in Texten. Tübingen: Niemeyer, 2000. TOMASELLO, M. A natural history of human thinking. Cambridge: Harvard University Press, 2014.

VAN DIJK, T. Cognição, discurso e interação. São Paulo: Contexto, 1992 [1988].

VAN DIJK, T. Discurso e contexto: uma abordagem sociocognitiva. São Paulo: Contexto, 2012 [2008].

VEREZA, S. Entrelaçando frames: a construção do sentido metafórico na linguagem em uso. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 55(1), Campinas, 2013, p. 109-122.

O periódico Cadernos de Estudos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.