Contexto no processo de categorização de tiras brasileiras em ambientes digitais

Autores

  • Paulo Ramos Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v59i1.8648402

Palavras-chave:

tiras, contexto, categorização.

Resumo

O ingresso das tiras nos ambientes digitais trouxe algumas mudanças. Uma delas é a possibilidade de criação das histórias em formatos diferentes do tradicional, constituído de uma faixa retangular e horizontal. A questão que se faz é como as narrativas construídas nessas dimensões ampliadas são percebidas pelos leitores. Seriam categorizadas como tiras? O objetivo deste artigo é responder a essa pergunta. Ancorada nos pressupostos teóricos da Linguística Textual e em estudos sobre tiras digitais, esta pesquisa trabalha com a premissa de que os aspectos contextuais são relevantes para explicar o modo como essas produções são assimiladas pelos leitores. A análise usará exemplos da série Will Tirando, do desenhista brasileiro Will Leite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Ramos, Universidade Federal de São Paulo

Professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo.

Referências

CASTRO, Thiago Estevão Calixto de. Tiras cômicas online: mediação e interações na linguagem das tiras. 195 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia). Programa de Pós-Graduação em Tecnologia, Universidade Federal Tecnológica do Paraná. Curitiba, 2016. Disponível em: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/1802/1/CT_PPGTE_M_Castro,%20Thiago%20Estev%C3%A3o%20Calixto%20de_2016.pdf Acesso em: 27 fev. 2017.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães; CUSTÓDIO FILHO, Valdinar; BRITO, Mariza Angélica Paiva. Coerência, referenciação e ensino. São Paulo: Cortez, 2014.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

HANKS, William F. Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. Trad. Anna Christina Bentes, Marco Antônio Rosa Machado, Marcos Rogério Cintra e Renato Cabral Rezende. São Paulo: Cortez, 2008.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. As tramas do texto. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008. (Série Dispersos).

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Introdução à Linguística Textual. 2 ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

KRESS, Gunther; VAN LEEUWEN, Theo. Multimodal discourse: the modes and media of contemporary communication. 1 reimpr. London: Bloomsbury Academic, 2010.

LEITE, Will. Will Tirando. Disponível em: http://www.willtirando.com.br/. Acesso em: 25 fev. 2017.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Linguística de Texto: o que é e como se faz? Recife: Mestrado em Letras e Linguística/Universidade Federal de Pernambuco, 1983. (Série Debates 1).

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Linguística de Texto: o que é e como se faz? Recife: Editora da Universidade Federal de Pernambuco, 2009. (Coleção Luiz Antônio Marcuschi).

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Linguística de Texto: o que é e como se faz? São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

MONDADA, Lorenza; DUBOIS, Daniéle. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. Trad. Mônica Magalhães Cavalcante. In: CAVALCANTE, Mônica Magalhães; RODRIGUES, Bernardete Bisai; CIULLA, Alena (orgs.). Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 17-52. (Coleção Clássicos da Linguística 1).

NICOLAU, Vitor. Tirinhas & Mídias Virtuais: a transformação deste gênero pelos blogs. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2013.

NICOLAU, Vitor; MAGALHÃES, Henrique. As tirinhas e a cultura da convergência: um estudo sobre a adaptação deste gênero dos quadrinhos às novas mídias. In: LUIZ, Lucio (org.). Os quadrinhos na era digital: HQtrônica, webcomics e cultura participativa. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2013. p. 63-79.

RAMOS, Paulo. Faces do humor: uma aproximação entre piadas e tiras. Campinas, SP: Zarabatana Books, 2011.

RAMOS, Paulo. O papel revolucionário dos blogs na circulação de tiras no Brasil. In: LUIZ, Lucio (org.). Os quadrinhos na era digital: HQtrônica, webcomics e cultura participativa. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2013. p. 81-92.

RAMOS, Paulo. Pontos de fuga: registros do processo de alargamento do formato das tiras. Nona Arte: Revista Brasileira de Pesquisas em Histórias em Quadrinhos. São Paulo: Observatório de Histórias em Quadrinhos; ECA-USP, 2014. v. 3. n. 1. p. 85-103. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/nonaarte/ojs/index.php/nonaarte/article/view/96/117 Acesso em: 27 fev. 2017.

RAMOS, Paulo. Raio-X das tiras no Brasil. Nona arte: revista brasileira de pesquisas em histórias em quadrinhos. São Paulo: Observatório de Histórias em Quadrinhos; ECA-USP, 2015. v. 4, n. 1. p. 49-58. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/nonaarte/ojs/index.php/nonaarte/article/view/159/152 Acesso em: 27 fev. 2017.

VAN DIJK, Teun. Discurso e contexto. Trad. Rodolfo Ilari. São Paulo: Contexto, 2012.

Downloads

Publicado

2017-04-26

Como Citar

RAMOS, P. Contexto no processo de categorização de tiras brasileiras em ambientes digitais. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 59, n. 1, p. 215–227, 2017. DOI: 10.20396/cel.v59i1.8648402. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8648402. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

A questão da referência e do contexto na interface cognição-texto-interação