Histórias sobre o convívio com a Doença de Alzheimer: contribuições da noção de referenciação para a análise de narrativas no contexto de interações de um Grupo de Apoio

Autores

  • Caio Mira Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Anderson Carnin Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v59i1.8648426

Palavras-chave:

Doença de Alzheimer. Narrativa. Referenciação.

Resumo

A Doença de Alzheimer é uma síndrome demencial que altera processos neurológicos, cognitivos e interacionais. Desinformação, falta de preparo e apoio aos familiares são alguns fatores que complicam ainda mais as formas de comprensão e enfrentamento no convívio e na rotina de cuidados às pessoas acometidas por essa patologia. Diante desse panorama, existem Grupos de Apoio que promovem a socialização de informações e oferecem um espaço no qual os familiares cuidadores podem compartilhar as experiências de cuidado e convívio com pessoas portadoras da Doença de Alzheimer. É a partir desse domínio empírico que o presente trabalho objetiva demonstrar como as estratégias referenciais estão envolvidas nos níveis de posicionamento do narrador e personagens dentro do universo narrativo em uma situação de interação de grupo. Para tanto, por meio de pesquisa qualitativa, a metodologia desse trabalho é baseada nos princípios da análise da narrativa de Bamberg (1997), de Georgakopoulou (2007) e na noção de referenciação de Mondada e Dubois (2003). Os resultados de nossas análises demonstram que a noção de referenciação pode contribuir para uma investigação mais apurada dos aspectos textuais e interativos de narrativas que são contextualizadas em uma determinada situação de fala.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Mira, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade de Franca. É Mestre e Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas e mAtualmente, é Professor do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Anderson Carnin, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Possui graduação em Letras - Habilitação Língua Portuguesa - pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, mestrado e doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Atualmente é professor assistente da Unisinos, atuando junto ao Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada.

Referências

APOTHÉLOZ, D. Nominalisations, référents clandestins et anaphores atypiques. In: BERRENDONNER, A.; REICHLER-BEGUELIN M-J. (Orgs.). Du sintagme nominal aux objets-de-discours. Neuchâtel: Université de Neuchâtel. 1995, p. 143- 173.

BALLENGER, J. F. Self, senility, and Alzheimer’s disease in modern America: a history. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2006.

BAMBERG, M.; GEORGAKOPOULOU. G. Small stories as a new perspective in narrative and identity analysis. Text & Talk. v. 28, n. 3. 2008, p. 377–396.

BAMBERG, M. Why narrative? Narrative Inquiry, v. 22, n. 1. 2012, p. 202-210.

BAMBERG, M. Positioning Between Structure and Performance. Language and Society. v. 25. 1997, p. 167-203.

CARVALHO, J. A. M; GARCIA, R. A. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19. n. 3. 2003, p. 725-733.

CRUZ, C. A. G.; BASTOS, L. C. Histórias de uma obesa: a teoria dos posicionamentos e a (re)construção discursiva das identidades. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 15, n. 3. 2015 p. 367-384, set./dez.

CRUZ, F. M. Linguagem, interação e cognição na doença de Alzheimer. Tese (Doutorado) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP, 2008.

DE FINA, A.; GEORGAKOPOULOU, A. Analyzing Narrative. Discourse and Sociolinguistic Perspectives. New York/Cambridge: Cambridge University Press, 2012.

FLANNERY, M. De “Grandes” a Pequenas Estórias: contribuições de uma nova perspectiva para a análise da narrativa. Revista Investigações, v. 23. N.2, p.117-142. Recife, 2010.

FLANNERY, M. Reflexões sobre as abordagens linguísticas para o estudo da narrativa oral. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 46, n. 1. 2011, p. 112-119, jan./mar.

FLANNERY, M. Uma Introdução à Análise Linguística da Narrativa Oral: Abordagens e Modelos. Pontes Editores. Campinas, 2015.

FRANCIS, G. Rotulação do discurso: um aspecto da coesão lexical de grupos nominais. In: CAVALCANTE, M. M.; BIASI-RODRIGUES, B.; CIULLA, A. (Orgs.) Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003.

GEORGAKOPOULOU, A. Small stories research: Methods, analysis, outreach. In: DE FINA, A; GEORGAKOPOULOU, A. The Handbook of Narrative Analysis. Sussex: Wiley Blackwell. 2015, p. 255-271.

GEORGAKOPOULOU, A. Small Stories. Interactions and Identities. Amsterdam/Philadelphia: Johns Benjamins, 2007.

GIVÓN, T. Functionalism and Grammar. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 1995.

HANKS, W. O que é contexto? In: BENTES, A. C.; REZENDE, R. C; MACHADO, M. A. R. (Orgs). Língua como prática social: das relações entre língua cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2008.

IZQUIERDO, I. Memória, Porto Alegre: Artmed, 2002.

JUBRAN, C. C. A. O tópico discursivo. In: JUBRAN. C.C.A. & KOCH.I.G.V. (Orgs.). Gramática do português falado culto no Brasil: a construção do texto falado. Campinas: Editora da Unicamp, v. 1, 2006.

KOCH, I. Como se constroem e reconstroem os objetos do discurso. Investigações (UFPE. Impresso), v. 21, n.2. 2008, p. 99-114.

KOCH, I. Introdução à Linguística Textual. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

LABOV, W. Some Further Steps in Narrative Analysis. Journal of Narrative and Life History. v. 7, n. 1-4. 1997 p. 395-415.

LABOV, W; WALETZKY, J. Narrative Analysis: oral versions off personal experience. In: HELM, J. (Org.). Essays on the verbal and visual arts. Seatlle, WA: University of Washington Press. 1967, p.12-44.

MARCUSCHI, L. A. Análise da Conversação. São Paulo: Ática, 1998.

MIRA, C. Afasia e interação: uma análise da dinâmica de turnos e da gestão do tópico nas práticas conversacionais de sujeitos afásicos e não-afásicos. Tese (Doutor) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2012.

MIRA, C. Conversação nas Afasias: Uma Análise do Tópico Discursivo e do Turno Conversacional sob a Perspectiva Textual-Interativa. Ling. (dis)curso, Tubarão, v. 16, n. 1. 2016, p. 133-152, Apr.

MONDADA, L.; DUBOIS, D. Construção de objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, M. M.; BIASI-RODRIGUES, B.; CIULLA, A. (Orgs.). Referenciação. São Paulo: Contexto. 2003, p. 17-52.

OCHS, E.; CAPPS, L. Living narrative: creating lives in everyday storytelling. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 2001.

SÉ, E. V. G. Interpretação de provérbios por sujeitos com Doença de Alzheimer em fase inicial. Tese (Doutorado) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP, 2011.

TANNEN, D. Talking voices: repetition, dialogue and imagery in conversational discourse. Cambridge University Press, 2.ed, 2007.

TANNEN. D; WALLAT. C. Enquadres interativos e esquemas de conhecimento em interação: exemplos de um exame/consulta médica. In: RIBEIRO, B.T.; GARCEZ, P. M. Sociolinguística Interacional, 2. ed. São Paulo: Loyola, 2002.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista de Saúde Pública, v. 43, n. 3. 2009, p. 548-554.

Downloads

Publicado

2017-04-26

Como Citar

MIRA, C.; CARNIN, A. Histórias sobre o convívio com a Doença de Alzheimer: contribuições da noção de referenciação para a análise de narrativas no contexto de interações de um Grupo de Apoio. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 59, n. 1, p. 157–174, 2017. DOI: 10.20396/cel.v59i1.8648426. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8648426. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

A questão da referência e do contexto na interface multimodal cognição-discurso-interação