Texto, contexto e construção da referência: programas televisivos brasileiros em foco

Anna Christina Bentes, Beatriz Ferreira-Silva, Ana Cecília Almeida Accetturi

Resumo


Ao longo deste artigo, com base nas reflexões desenvolvidas em trabalhos anteriores do nosso grupo de pesquisa sobre os programas televisivos Manos e Minas e Conexões Urbanas e com base na articulação de postulações dos campos de estudos do texto e do discurso, da antropologia linguística e da sociologia, buscaremos responder as seguintes perguntas: (i) quais tipos de ancoragem possibilitam a construção referencial que é, em parte, responsável pela emergência de determinadas categorizações e também pela identidade social dos programas?; (ii) como essas ancoragens podem propiciar uma melhor compreensão sobre as relações entre a construção referencial dos/nos programas e o contexto  social mais amplo a partir do qual essas específicas configurações genéricas emergem? Para tanto, partimos de uma concepção ampliada de texto, considerando que os programas televisivos em análise apresentam uma dimensão textual de caráter multimodal. Sendo assim, trataremos nesse artigo dos processos de ancoragem, considerados aqui como processos (con)textuais, enfocando a questão da introdução referencial.

Palavras-chave


Texto. Contexto. Referência multimodal. Programas televisivos.

Texto completo:

PDF

Referências


ACCETTURI, A. C. A. Gêneros midiáticos e textualidade: o caso do programa Conexões Urbanas. Trabalho de Conclusão do Curso de Letras, Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015, 60 p.

AGHA, A. Language and social relations. Cambridge, MA: Cambridge, University Press, 2007, 427 p.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003, 476 p.

BENTES, A.C. Contexto e multimodalidade na elaboração de raps paulistas. Investigações, Recife, v. 21, n. 2, p.p. 199-220, 2008.

BENTES, A.C. Tudo que é sólido desmancha no ar: sobre o problema do popular na linguagem. Gragoatá, Niterói, v. 27, p. p. 12-47, segundo semestre de 2009.

BENTES, A.C. De frente para o ‘campo de batalha’: investigando as relações entre produção textual e contexto social no campo da cultura popular urbana paulista. In: BATTISTI, E.; COLLISCHONN, G. (Orgs). Língua e linguagem: perspectivas de investigação. Rio Grande do Sul: EDUCAT, 2011, 324 p. p.p. 59-88.

BENTES, A.C. Temáticas como estratégias discursivas de legitimação social em programas televisivos brasileiros. no prelo.

BENTES, A. C. RIO, V. C. A construção conjunta da referência em uma entrevista semi-monitorada com jovens universitários. In: KOCH, I.G.V.; MORATO, E. M; BENTES, A.C. (Orgs.). Referenciação e discurso. 1. ed., São Paulo: Editora Contexto, 2005, 342 p. p. p. 265-292.

BENTES, A. C.; RAMOS, P. E.; ALVES FILHO, F. Enfrentando desafios no campo de estudos do texto. In: BENTES, A. C.; LEITE, M.Q. (Orgs.). Linguística de Texto e Análise da Conversação: panorama das pesquisas no Brasil. 1ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010, 428 p. p.p. 07-13.

BENTES, A. C.; FERRARI, N. L. “E agora o assunto é trabalho”: organização da experiência social, categorização e produção de sentidos no programa Manos & Minas. Revista Diadorim, v. 10, p. p. 75-93, 2011.

BENTES, A. C.; FERREIRA-SILVA, B.; MARIANO, R. D. Atenuação e impolidez como estratégias estilísticas em contexto de entrevista televisiva. Cadernos de Letras da UFF. Niterói, n. 47, p. p. 285-314, 2013.

BENTES, A. C.; REZENDE, R. C. O texto como objeto de pesquisa. In: GONÇALVES, A. V. ; GOIS, M. L. S. (Orgs.). Ciências da linguagem: o fazer científico. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2 v., 2014, 452 p. p.p. 137-176.

BENTES, A.C.; MARIANO, R.D.; ACCETTURI, A.C. Temas e estratégias referenciais em Conexão: analisando processos de estabilização e de mudança em um programa televisivo. ReVEL, v. 13, n. 25, p. p. 316-354, 2015.

BENTES, A.C.; MARIANO, R.D.; ACCETTURI, A.C. “Eu quero muito trabalhar um tema”: estratégias argumentativas no programa televisivo Conexões Urbanas”. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 42, n. 73, p. p. 110-123, 2017.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996, 231 p.

BOURDIEU, P. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997, 143 p.

CAVALCANTE, M. M. Anáfora e dêixis: quando as retas se encontram In: KOCH, I.G.V.; MORATO, E. M; BENTES, A.C. (Orgs.). Referenciação e discurso. 1. ed., São Paulo: Editora Contexto, 2005, 342 p. p. p. 125-150.

CAVALCANTE, M. M. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2011, 192 p.

ERLANGER, L. José Junior: no fio da navalha. São Paulo: Record, 2015, 280 p.

FERREIRA-SILVA, B. Metadiscursividade em entrevistas: a inscrição de Mano Brown no campo jornalístico. Dissertação (Mestrado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2015, 278 p.

GRANATO, L. B. Gêneros discursivos em foco: dos programas televisivos Manos e Minas e Altas Horas. Dissertação (Mestrado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2011, 353 p.

HANKS, W.F. Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. In: BENTES, A.C.; REZENDE, R.C.; MACHADO, M.A. (Orgs.). São Paulo: Cortez Editora, 2008, 280 p.

JENKINS, H. Convergence Culture: Where Old and New Media Collide. New York: New York University Press, 308 p.

JUNIOR. J. Da favela para o mundo: a história do Grupo Cultural Afro Reggae. 2. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006, 279 p.

KOCH, I. G. V. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez Editora, 2002, 168 p.

KOCH, I. G. V. Introdução à Linguística Textual: trajetória e grandes temas. São Paulo: Martins Fontes, 2004, 190 p.

KOCH, I. G. V. (2008). As tramas do texto. Rio de Janeiro: Nova Fronteira: Lucerna, 222 p.

KOCH, I.G.V.; MORATO, E. M.; BENTES, A.C. Referenciação e discurso. 1. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2005, 337 p.

KOTSCHO, R. A prática da reportagem. 4. ed. São Paulo: Ática, 2000, 80 p.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Multimodal discourse: the modes and media of contemporary communication. 1 reimpr. London: Bloomsbury Academic, 2010, 142 p.

MARCUSCHI, L. A. Anáfora indireta: o barco textual e suas âncoras. In: KOCH, I. G. V.; MORATO, E. M.; BENTES, A. C. (Orgs.) Referenciação e discurso. São Paulo: Editora Contexto, 2005, 342 p. p. p. 53-103.

MARIANO, R. D. Marcadores discursivos e sequências textuais: uma análise das ações de textualização em programas midiáticos. Dissertação (Mestrado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2014, 260 p.

MONDADA, L. Verbalisation de l’espace et danrication du savoir. Approche linguistique de la construction des objets de discurs. Lausanne: Thése pour obtenir lê grade de docteus em lettres, Faculte de Lettres, Université de Lausanne, Lausanne, 1994, 670 p.

MONDADA, L; DUBOIS, D. Construção dos objetos de discurso e categorização: Uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, M.M.; RODRIGUES, B.B.; CIULLA, A. (Orgs.). Referenciação. São Paulo: Editora Contexto, 2003, 249 p. p.p. 17-52.

MORATO, E. M. et al. Processos implícitos, contextuais e multimodais na construção referencial em conversações entre afásicos e não afásicos: relato de pesquisa. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 12, n. 3, p. p. 711-742, set./dez. 2012.

MOURA, J. T. V.; SILVA, M. K. Atores sociais em espaços de ampliação da democracia: as redes sociais em perspectiva. Revista de Sociologia e Política, v. 16, número suplementar, p. p. 43-54, 2008.

NASCIMENTO, E. P. do. É tudo nosso! Produção cultural na periferia paulistana. Tese (Doutorado em Antropologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 2011, 214 p.

POCHMANN, M. Nova classe média?: o trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012, 127 p.

PRINCE, E. Toward a taxonomy of given-new information. In: COLE, Peter. (ed.) Radical pragmatics. New York: Academic Press, 1981, 328 p. p.p. 223-255.

SANTOS, B. de S. Sociedade-providência ou autoritarismo social? Revista Crítica de Ciência Sociais, n. 42, p.p. 1-4, 1995.

SANTOS, B. de S. A difícil democracia – reinventar as esquerdas. 1ed., São Paulo: Boitempo Editorial, 2016, 224 p.

SCHIAVONI, J. E. Vinheta: uma questão de identidade na televisão. Dissertação (Mestrado em Comunicação), Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, 2008, 129 p.

SILVA, R. S. A periferia pede passagem: trajetória social e intelectual de Mano Brown. Tese (Doutorado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012, 302 p.

SOUZA, J. Uma nova classe trabalhadora brasileira?. In: SOUZA, J. (Org.) Os batalhadores brasileiros: nova classe média ou nova classe trabalhadora?. Belo Horizonte: UFMG, 2012, 354 p. p.p. 19-57.

VAN DIJK, T. A. Discourse and Knowledge - a sociocognitive approach. 1. ed. Cambridge, Inglaterra: Cambridge University Press, v. 1., 2014, 400 p.




DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v59i1.8648474

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

(c) Cad. Estud. Linguíst., Campinas (SP) - ISSN 2447-0686.