A representação sintática do aspecto perfect: uma análise comparativa entre o português e o italiano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v60i1.8649668

Palavras-chave:

Aspecto perfect. Análise comparativa. Representação sintática.

Resumo

O objetivo deste trabalho é contribuir para uma proposta de representação sintática do aspecto perfect, a partir da análise comparativa de aspectos morfossintáticos relativos à expressão dos tipos de perfect universal e existencial no português e no italiano. Observamos, nas duas línguas investigadas, uma classe de advérbios distinta para cada tipo de perfect, bem como formas verbais distintas na expressão dos dois tipos. A análise desses aspectos morfossintáticos nos leva a propor uma projeção para cada tipo de perfect na representação sintática da sentença, diferentemente da proposta de que haveria uma única projeção na representação sintática relativa aos dois tipos de perfect verificada em Alexiadou et al (2003). Além disso, propomos que o valor aspectual de continuidade e o valor aspectual de resultatividade estejam associados às projeções de universal e de existencial, respectivamente. Refutamos, portanto, a hipótese de que há uma representação sintática comum para os dois tipos de perfect.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Barros Nespoli, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Aluna de Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Linguística.

Adriana Leitão Martins, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Adjunta do Departamento de Linguística e Filologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nessa mesma instituição, atua ainda no Programa de Pós-Graduação em Linguística e no Programa de Mestrado Profissional em Letras.

Referências

ALEXIADOU, Artemis; RATHERT, Monika; VON STECHOW, Arnim. Introduction: the modules of perfect constructions. In: ALEXIADOU, Artemis. Perfect Explorations. Berlin: Mouton de Gruyter, 2003. p. v-xxxviii.

AROZIO, Fabrizio. Tense, aspect and temporal homogeneity. Tübingen: Seminar für Sprachwiss, 2005.

CINQUE, Guglielmo. Adverbs and Functional Heads: A Cross-linguistic Perspective. New York: Oxford University Press, 1999.

CINQUE, Guglielmo; RIZZI, Luigi. The cartography of syntactic structures. CISCL Working Papers on Language and Cognition, Siena, v. 2, p. 43-59. 2008.

COMRIE, Bernard. Aspect: an introduction to the study of verbal aspect and related problems. New York: Cambridge University Press, 1976.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

DARDANO, Maurizio; TRIFONE, Pietro. La Nuova Grammatica della Lingua Italiana. Bologna: Zanichelli, 1997.

GIORGI, Alessandra; PIANESI, Fabio. Tense and Aspect: from Semantics to Morphosyntax. New York: Oxford University Press, 1997.

HAEGEMAN, Liliane. Elements of Grammar: Handbook in Generative Syntax. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1997.

IATRIDOU, Sabine. About Agr(P). Linguistic Inquiry, Cambridge, v. 21, n. 4, p. 551-577. 1990.

IATRIDOU, Sabine; ANAGNOSTOPOULOU, Elena; IZVORSKI, Roumyana. Observations about the form and meaning of the perfect. In: ALEXIADOU, Artemis; RATHERT, Monika; VON STECHOW, Arnim (Eds.). Perfect Explorations. Berlin: Mouton de Gruyter, 2003. p. 153-205.

ILARI, Rodolfo. Notas sobre o passado composto em português. Revista Letras, Curitiba, n. 55, p. 129-152. 2001.

MCCOARD, Robert. The English Perfect: Tense Choice and Pragmatic Inferences. Amsterdam: North-Holland Press, 1978.

MAGNOTTA, Elizabeth. Past simple & present perfect: Distribution in the Standard Italian of Greater Rome. Working Papers of the Linguistics Circle of the University of Victoria, Victoria, v. 21, p. 92-101. 2011.

MITTWOCH, Anita. Aspects of English Aspect: On the Interaction of perfect, progressive, and Durational Phrases. Linguistics and Philosophy, Dordrecht, v. 11. p. 203-254. 1988.

MOLSING, Karina. Reflexões teóricas sobre o passado composto. Revista Letras, Curitiba, n. 81, p. 177-191. 2010.

NOVAES, Celso Vieira; NESPOLI, Juliana Barros. O traço aspectual de perfect e as suas realizações. Revista FSA, Teresina, v. 11, n. 1, p. 255-279. 2014.

PANCHEVA, Roumyana. The aspectual makeup of Perfect participles and the interpretations of the Perfect. In: ALEXIADOU, Artemis; RATHERT, Monika; VON STECHOW, Arnim (Eds.). Perfect Explorations. Berlin: Mouton de Gruyter, 2003. p. 277-308.

POLLOCK, Jean-Yves. Verb movement, universal grammar and the structure of IP. Linguistic Inquiry, Cambridge, v. 20, p. 365-424. 1989.

SIGURðSSON, Halldór Ármann. Meaningful silence, meaningless sounds. Linguistic variation yearbook, Lund, v. 4, p. 235-259. 2004.

SMITH, Carlota. The Parameter of Aspect. Dordrecht: Kluwer, 1991.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. O aspecto verbal no português: a categoria e sua expressão. Uberlândia: EDUFU, 1981.

Downloads

Publicado

2018-04-06

Como Citar

NESPOLI, J. B.; MARTINS, A. L. A representação sintática do aspecto perfect: uma análise comparativa entre o português e o italiano. Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 1, p. 30-46, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i1.8649668. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8649668. Acesso em: 28 nov. 2020.