Les orientations pour les jeunes : ethos, scénographie et stéréotypes

Autores

  • Anna Flora Brunelli Universidade Estadual Paulista
  • Marcela Franco Fossey Universidade Estadual de Campinas
  • Marília Molina Furlan Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v60i1.8649834

Palavras-chave:

Orientações. Adolescentes. Ethos.

Resumo

Neste trabalho, com base nas reflexões que Dominique Maingueneau desenvolve sobre os aspectos enunciativos do discurso, analisamos o discurso de orientação para adolescentes, procurando apreender a imagem de adolescente que o discurso projeta. Mais exatamente, considerando certos mecanismos enunciativos que caracterizam esse discurso, analisamos o ethos do enunciador e a cenografia em que emerge. A análise revela que o fiador, inserido em cenografias de uma conversa informal, está relacionado a um ethos jovial. Além disso, a análise revela que, nesse discurso, a imagem do enunciatário, considerado essencialmente como um jovem inseguro e imaturo, prevalece sobre a do enunciador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Flora Brunelli, Universidade Estadual Paulista

Docente da área de Língua Portuguesa do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL); membro do Grupo de Pesquisa CNPq FEsTA.

Marcela Franco Fossey, Universidade Estadual de Campinas

Atualmente, desenvolve pesquisa de pós-doutoramento em Linguística Aplicada (IEL/Unicamp/CAPES).

Marília Molina Furlan, Universidade Estadual Paulista

Mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de São José do Rio Preto, desde 2013. Licenciada em Letras pela mesma Universidade desde 2010

Referências

AMOSSY, R.; PIERROT, A. H. Stéréotypes et clichés. Paris: Editions Nathan, 1997 (version consultée: Estereótipos y clichés. Buenos Aires: Eudeba, 2001).

BOUER, J.; FRANCINE, S. Tipo assim: adolescente. Campinas: Papirus, 2005.

BRUNELLI, A. F.; DALL’ AGLIO-HATTNHER, M. M. As qualificações do saber, do dever e do poder : uma análise linguística do discurso de autoajuda. In: BARONAS, R. G. (org.). Análise do discurso: teorizações e métodos. Campinas: Mercado de Letras, 2010, pp. 13-31.

BRÉSIL. Ministère de la Santé. Carnet de santé de l’adolescent. Brasilia: Ministère de la Santé, 2009. Disponible sur: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderneta_saude_adolescente_menino.pdf Consulté le 7.07.2010.

BRÉSIL. Ministère de la Santé. Carnet de santé de l’adolescent. Brasilia: Ministère de la Santé, 2008. Disponible sur: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderneta_saude_adolescente_menina.pdf Consulté le 7.07.2010.

FIORIN, J. S. As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. 2. ed. São Paulo: Ática, 2001, pp. 127-256.

FOUCAULT, M. Revenir à l’Histoire. In: Dits et écrits (1954-1988), tome II: 1976-1988. Paris: Gallimard, 1994 (version consultée: Retornar à história. In: MOTA, M. B. (org.). Michel Foucault – Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Coleção Ditos e Escritos, II. Trad. de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000, pp. 282-295).

FOSSEY, M. Polêmica sobre sexo saudável: uma abordagem discursiva. 2011.182f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 2011.

FURLAN, M. M. Cenas de enunciação e ethos discursivo: análise do discurso de autoajuda para adolescentes. 2013. 162f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São José do Rio Preto, 2013.

GUERRA, A. R. Funções textual-interativas dos marcadores discursivos. 2007. 233f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São José do Rio Preto, 2007.

HENGEVELD, K. Mood and modality. In: BOOIJ, G., LEHMANN, C., MUGDAN, J. (ed.). Morphology: a handbook on inflection and word formation. v. 2. Berlim : Mouton de Gruyter, 2004, pp. 1190-1202.

JERSILD, A. T. The psychology of adolescence. New York : Macmillan, 1957 (Version consultée: Psicologia da adolescência. Trad. de José Severo de Camargo Pereira e João Alves dos Santos. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1961.)

MAINGUENEAU, D. Nouvelles tendances en analyse du discours. Paris: Hachette, 1987 (Version consultée : Novas tendências em Análise do Discurso. Trad. de Freda Indursky. Campinas: Pontes/Editora da UNICAMP, 1989).

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. POSSENTI, S., SOUZA-E-SILVA, M. C. P. (org.). Divers traducteurs. Curitiba : Criar Edições, 2006.

MAINGUENEAU, D. A propósito do ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (org.). São Paulo: Contexto, 2008, pp. 11-29.

MAINGUENEAU, D. Discours et analyse du discours – Introduction. Paris: Éditions Armand Colin, 2014 (Version consultée: Discurso e Análise do Discurso. Trad. de Sírio Possenti. São Paulo: Parábola, 2015).

NEVES, M. H. M. A modalidade. In: KOCH, I. G. V. (org.). Gramática do português falado. Campinas : Editora da UNICAMP/FAPESP, volume IV, 1996, pp.163-199.

OLIVEIRA E SILVA, G. M.; RISSO, M. S.; URBANO, H. Traços definidores dos marcadores discursivos. In: JUBRAN, C. C. A. S.; KOCH, I. G. V. (org.) Gramática do português culto falado no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, 2006, pp. 403-425.

Downloads

Publicado

2018-04-06

Como Citar

BRUNELLI, A. F.; FOSSEY, M. F.; FURLAN, M. M. Les orientations pour les jeunes : ethos, scénographie et stéréotypes. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 1, p. 295–313, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i1.8649834. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8649834. Acesso em: 31 jan. 2023.