Coarticulação e harmonia vocálica

Autores

  • Maria Bernadete Abaurre Universidade Estadual de Campinas
  • Filomena Sandalo Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v59i3.8650984

Palavras-chave:

Coarticulação. Linguística.

Resumo

Se, por um lado, parece haver consenso em torno da interpretação da ocorrência de certas vogais altas em sílabas pretônicas do português brasileiro como resultado de um processo de harmonia vocálica, não é consensual a interpretação da ocorrência de vogais médias abertas nas pretônicas que antecedem sílabas tônicas com vogais médias abertas como resultado de um processo de harmonia (cf. e.g., Bisol 2013).  Estudos como os de Abaurre & Sandalo (2009) e Sandalo & Abaurre (2014) defendem que há harmonia com altas e médias abertas exceto para a vogal baixa tônica /a/, que não participaria, por hipótese, do sistema de harmonia em dialetos do sudeste do Brasil. Esses trabalhos citados, entretanto, têm como base dados transcritos de oitiva. Os trabalhos publicados a partir de 2016, com base em análises acústicas e verificação estatística, por outro lado, fornecem evidências para a ocorrência de harmonia envolvendo todas as vogais tônicas altas e médias abertas no português do Brasil (PB).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Bernadete Abaurre, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. do Depto. Linguística do IEL

Filomena Sandalo, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. do Depto. Linguística do IEL

Referências

ABAURRE, M.B.M.; SANDALO, F. Representação e subespecicação de vogais no português. Cadernos de Pesquisas em linguística, 4.1: 21-40. Porto Alegre. 2009.

BARBOSA, P.; PAPA, P. B., SILVA, B. & MOURAO, N. Harmonia vocálica e coarticulação vogal a vogal em duas variedades do português brasileiro. DELTA. 2017 (no prelo).

BISOL, L. Harmonização vocálica: efeito parcial e total. Organon 28.54: 49-61. 2013.

BOERSMA, P; WEENINK, D. Praat: Doing phonetics by computer [Computer program]. Versão 6.0.22 (http://www.praat.org). 2016.

CALLOU, D.; MORAES, J. A.; LEITE, Y. As vogais orais: um estudo acústico-variacionista. In ABAURRE, M. B. M. (org), A Construção Fonológica da Palavra. São Paulo: Contexto. 2013.

FLEMMING, E. Contrast and perceptual distinctiveness, em: HAYES, B.; KIRCHNER, R.B.; STERIADE, D. (orgs), Phonetically Based Phonology. Cambridge, Cambridge University Press: 232-76. 2004.

FOWLER, C. Coarticulation and theories of extrinsic timing. Journal of Phonetics 8: 113-133.

Kenstowicz, M. & Louriz, N. Reverse Engineering: Emphatic Consonants and the Adaptation of Vowels in French Loanwords into Moroccan Arabic. Brill’s Annual of Afroasiatic Languages and Linguistics 1: 41–74. 2009.

KENSTOWICZ M.; SANDALO, F. Pretonic vowel reduction in Brazilian Portuguese: Harmony and Dispersion. Journal of Portuguese Linguistics 15:6. 2016. (http://jpl.letras.ulisboa.pt/articles/10.5334/jpl.7/)

KITAHARA, M. Get_dur_F1F2.praat, http://www.f.waseda.jp/kitahara/research. 2010.

LINDBLOM, Björn. Phonetic universals in vowel systems, em OHALA, J. JAEGER, J. Experimental phonology, orlando, academic Press: 13-44. 1986.

MANUEL, S. Y. “The role of contrast in limiting vowel-to-vowel coarticulation in different languages,” Journal of the Acoustical Society of America 88: 1286-1298. 1990.

MIRANDA, I. Análise Acústica das Vogais Orais do Dialeto Capixaba: investigaçnao sobre harmonia vocálica e variação estilística. Tese de doutorado UNICAMP. 2017.

NASCENTES, Antenor. O linguajar carioca. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1953 [1922].

OHMAN, S. E. G. “Coarticulation m VCV Utterances: Spectrographic Measurements,” Journal of the Acoustical Society of America 39, 151-168. 1966.

PRZEZDZIECKI. Vowel harmony and Vowel-to-vowel coarticulation in three dialects of Yorubá. Working papers of the Cornell Phonetics Laboratory 13: 105-124. 2000.

SANDALO, F.; ABAURRE, M. B. M. Assimetrias na harmonia vocálica do português do Brasil. Cadernos de Estudos Linguísticos 56.1: 181-191. 2014.

SANDALO, F; ABAURRE, M. B. M.; MADRUGA, M. R. Dispersão e harmonia vocálica em dialetos do português do Brasil. Organon, 28.54: 13-30. Universidade Federal do rio Grande do Sul. 2013.

VOGELEY, A. e HORA, D. Harmonia vocálica no dialeto recifense. Organon Vol. 28, Issue 54, 63-81. 2013.

WALKER, R. Weak triggers in vowel harmony. Natural Language and Linguistic Theory, 23:917-989. 2005.

WALKER, R. Vowel Patterns in Language. Cambridge: Cambridge University Press. 2011.

Downloads

Publicado

2017-12-04

Como Citar

ABAURRE, M. B.; SANDALO, F. Coarticulação e harmonia vocálica. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 487–497, 2017. DOI: 10.20396/cel.v59i3.8650984. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8650984. Acesso em: 17 jan. 2022.