Efeitos linguísticos na variação de queda de sílaba em Capivari-SP e Campinas-SP

Autores

  • Eneida de Goes Leal Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v60i3.8651045

Palavras-chave:

Queda de sílaba. Estruturas silábica e métrica. Prosódia.

Resumo

Resumo: Este artigo apresenta resultados parciais de Leal (2012) a respeito de efeitos internos sobre a queda de sílaba, comparando-se como o processo é implementado em Capivari-SP e Campinas-SP. Prosódia foi a única variável com um efeito igual nas duas cidades: houve um (leve) favorecimento do processo entre frases fonológicas. Houve dois resultados semelhantes: para Estrutura Silábica, duas sílabas CV favorecem levemente a queda de sílaba em Capivari mas têm efeito neutro em Campinas, sendo que o fator mais relevante para a aplicação do processo é a estrutura da sílaba sujeita ao apagamento (nas duas cidades); para Métrica, há uma tendência ao PAR (Selkirk 1984: 19), mas, diferentemente de Alkmim e Gomes (1982), contextos com choque de acento não são bloqueados, mas desfavorecidos. Por fim, houve diferenças: a variável Número de Sílabas foi selecionada somente em Capivari, enquanto Frequência de Uso de Palavras, apenas em Campinas. Portanto, conclui-se que o processo é implementado diferentemente nas duas cidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eneida de Goes Leal, Universidade de São Paulo

Doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo, Brasil (2012).

Referências

ALKMIM, T.M.; GOMES, C. A. 1982. Dois fenômenos de supressão de segmentos em limite de palavra. Ensaios de Linguística, 7: 43-51.

BATTISTI, E. 2004. Haplologia sintática e efeitos da economia. Organon (UFRGS), Porto Alegre - RS, v. 18, n. 36, pp. 31-39.

BATTISTI, E. 2005. Haplologia no português do sul do Brasil: Porto Alegre. Letras de Hoje 40(3): 73-88.

BISOL, L. 2000. O troqueu silábico no sistema fonológico (Um adendo ao artigo de Plínio Barbosa). D.E.L.T.A. Vol.16, 2: 403-13.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. 2010. Praat: doing phonetics by computer (Versão 5.1.23). Disponível em: http://www.praat.org. Acesso em: 24 mai 2011.

BYBEE, J.L. 2010. Language, Usage and Cognition. Cambridge: Cambridge University Press.

CÂMARA, J.M. 1969. Problemas de Linguística Descritiva. Petrópolis: Vozes.

CHOMSKY, N. 1965. Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge: The MIT Press

CLEMENTS, G.N.; HUME, E. 1995. The Internal Organization of Speech Sounds. J. Goldsmith (ed). The Handbook of Phonological Theory. Oxford: Basil Blackwell, pp. 245-306.

COLLISCHONN, G. 2007. Proeminência acentual e estrutura silábica: seus efeitos em fenômenos do português brasileiro. Gabriel Antunes de Araújo (org.) O acento em português. São Paulo: Parábola.

CRISTÓFARO-SILVA, T. 2001. Difusão Lexical: Estudo de Casos do Português Brasileiro. E.A.M. Mendes, P.M. Oliveira e V. Benn-Ibler (orgs). O Novo Milênio: interfaces lingüísticas e literárias. Faculdade de Letras. Belo Horizonte, pp. 209-218.

FRANÇOZO, E.; OLIVEIRA, L.F.; RUIZ, L.G.; LIMA, P.L.C; NAVAS, A.L.G.P. 2002. Conhecimento Lexical e Processamento da Linguagem. Reunião Anual do GEL, 2002, São Paulo. Anais da 25ª Reunião Anual do GEL. São Paulo: GEL.

GOLDSMITH, J. 1990. Autosegmental and Metrical Phonology. Oxford: Blackwell.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/

LABOV, W. 1972. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pensilvania Press.

LABOV, W. 1994. Principles of linguistic change, vol. I, Internal factors. Malden and Oxford: Blackwell Publishers.

LABOV, W. 2001. Principles of linguistic change, vol. II, Social factors. Malden and Oxford: Blackwell Publishers.

LEAL, E.G. 2006. Elisão silábica e haplologia: aspectos fonológicos do falar da cidade paulista de Capivari. 165f. Dissertação (Mestrado em Semiótica e Linguística Geral) – Universidade de São Paulo, FFLCH, São Paulo.

LEAL, E.G. 2007. A queda da sílaba: análise do contexto consonantal pela geometria de traços. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL. Edição especial n. 1. Disponível em: www.revel.inf.br.

LEAL, E.G. 2012. Teoria fonológica e variação: a queda de sílaba em Capivari e em Campinas. 242f. Tese (Doutorado em Semiótica e Linguística Geral) – FFLCH-USP, São Paulo, 2012.

LEAL, E.G. 2018. Variação e definição de queda de sílaba: o contexto segmental em Capivari-SP e Campinas-SP. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 26, n. 1, pp. 187-220.

LEBEN, W. 1973. Suprasegmental Phonology. Ph.D. Dissertation. MIT: Cambridge, Massachusetts.

MENDES, R.M.G. 2009. A haplologia no português de Belo Horizonte. Dissertação (Mestrado), Belo Horizonte: PUCMINAS.

McCARTHY, J. 1979. On stress and syllabification. Linguistic Inquiry 10: 443-465.

McCARTHY, J. 1986: OCP effects: Gemination and antigemination. Linguistic Inquiry 17, pp.207-63.

McCARTHY, J. 1988. Feature geometry and dependency: A review. Phonetica 45: 84-108.

NESPOR, M.; VOGEL, M. 1986: Prosodic phonology. Dordrecht: Foris Publications.

OLIVEIRA, A.J. 2012. ‘Comendo o final das palavras’: Análise variacionista da haplologia, elisão e apócope em ltaúna/MG. Tese de doutorado. Belo Horizonte, UFMG.

OLIVEIRA, A.J.; VIEGAS, M.C. 2013. Casos especiais de elisão silábica: Uma contribuição aos estudos de gramaticalização. In VIEGAS, M. do C. (Org.). Minas é singular. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG.

OLIVEIRA, M.; PAZ, F. 2013. Haplologia na região amazônica: Imagens preliminares. Estudos de Lingüística Galega 5, pp. 69-87.

PAVEZI, V.C. 2006. A haplologia na variedade paulista. Dissertação de mestrado. São José do Rio Preto: Unesp.

PAZ, F.H.S. 2013. Haplologia no falar paraense. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Belém.

Prefeitura Municipal de Campinas. Disponível em: http://www.campinas.sp.gov.br/

Prefeitura Municipal de Capivari. Disponível em: http://www.capivari.sp.gov.br/

SANDALO, F.; TRUNKENBRODT, H. 2002. Some notes on phonological phrasing in Brazilian Portuguese. The MIT Working Paper, Cambridge, v.42, p. 285-310.

SANKOFF, D.; TAGLIAMONTE, S.; SMITH, E. 2005. Goldvarb X: A variable rule application for Macintosh and Windows. Department of Linguistics, University of Toronto.

SELKIRK, E.O. 1984. Phonology and Syntax: the relation between sound and structure. Cambridge, Mass: MIT Press.

SIMIONI, T.; AMARAL, F.U. 2011. A haplologia e o princípio do contorno obrigatório. In.: MARTINS, Marco Antônio (Org.). Revista do GELNE, v.13, p. 53-67.

TAGLIAMONTE, S.A. 2006. Analysing Sociolinguistic Variation. Cambridge: Cambridge University Press.

TENANI, L.E. 2002. Domínios prosódicos no português do Brasil: implicações para a prosódia e para a aplicação de processos fonológicos. Tese de doutorado. Campinas, Unicamp.

TENANI, L.E. 2003. Haplologia e domínios prosódicos. Letras de Hoje, Porto Alegre: Edipucrs.

TENANI, L.E. 2006. Considerações sobre a relação entre processos de sândi e ritmo. Estudos da Língua(gem), Vitória da Conquista, v. 03, p. 105-122.

Downloads

Publicado

2018-11-22

Como Citar

LEAL, E. de G. Efeitos linguísticos na variação de queda de sílaba em Capivari-SP e Campinas-SP. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 3, p. 604–629, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i3.8651045. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8651045. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos