‘Universo feminino e masculino’: análise do discurso parental sobre meninos e meninas

Autores

  • Maria Teresa de Assis Campos Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Rafael de Tilio Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v60i3.8651535

Palavras-chave:

Família. Sexualidade e gênero. Análise do discurso.

Resumo

Este estudo teve como objetivo identificar as Formações Discursivas presentes nos discursos de pais de meninos e meninas sobre o feminino e o masculino. Participaram dele cinco casais heterossexuais, com pelo menos um filho e uma filha. Os dados coletados foram analisados à luz da Análise do Discurso de Michel Pêcheux, e indicaram que as famílias reproduzem em seus discursos e práticas estereótipos tradicionais de gênero, respondendo a Formação Ideológica heteronormativa e binária que acentua a dominação do masculino sobre o feminino. Ao final, percebeu-se que a família se caracteriza como importante núcleo interventivo na tentativa de reconfigurar as alternativas discursivas no campo da sexualidade e gênero, criando autonomia e espaços seguros para mulheres e sujeitos dissidentes da heteronorma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Teresa de Assis Campos, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Mestre em Psicologia Laboratório de Estudos e Pesquisa em Sexualidade e Violência de Gênero (HUBRIS). Professora do Departamento de Saúde Coletiva - Instituto de Ciências da Saúde / Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Uberaba-MG

Rafael de Tilio, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Curso de Graduação em Psicologia/UFTM. Programa de Pós-graduação em Psicologia/UFTM. Coordenador do HUBRIS (Laboratório de Estudos e Pesquisa em Sexualidade e Gênero)Coordenador da LIS (Liga de Sexualidade)

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos do Estado: Notas sobre os aparelhos ideológicos de Estado (AIE). Rio de Janeiro, RJ: Graal, 1985.

BEAUVOIR, S. O segundo Sexo: Fatos e Mitos. Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira, 1980.

BINSTOCK, G.; GOGNA, M. La iniciación sexual entre mujeres de sectores vulnerables en cuatro provincias argentinas. Sexualidad, Salud y Sociedad, n. 20, p. 113, 2015.

BIROLI, F. Autonomia, dominação e opressão. In: MIGUEL, L.F. & BIROLI, F. (Org.). Feminismo e Política. São Paulo: Boitempo, 2014, p. 109-122.

BORDIEU, P. A dominação masculina. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil, 2002.

BOTTON, A.; CÚNICO, S. D.; BARCINSK, M.; STREY, M.N. Os papéis parentais nas famílias: analisando aspectos transgeracionais e de gênero. Pensando famílias, v. 19, n. 2, p. 43-56, 2015.

BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da identidade. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 2015.

CHAUÍ, M. O que é Ideologia? São Paulo, SP: Brasiliense, 2012.

CAREGNATO, R. C. A.; MUTTI, R. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto Contexto Enfermagem, v. 15, n. 4, p. 679-84, 2006.

CARVALHO, M. P. de.; LOGES, T. A.; SENKEVICS, A. S. Famílias de setores populares e escolarização: acompanhamento escolar e planos de futuro para filhos e filhas. Estudos Feministas, v. 24, n. 1, p. 81-99, 2016.

FERREIRA, G. G.; AGUINSKY, B. G. Movimentos sociais de sexualidade e gênero: análise do acesso às políticas públicas. Revista Katálysis, v. 16, n. 2, p. 223-232, 2013.

FOUCAULT, M. A Ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, M. A história da sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 2014.

GOMES, A. M. T. Do discurso às formações ideológica e imaginária: análise de discurso segundo Pêcheux e Orlandi. Revista de Enfermagem. UERJ, v. 15, n. 4, p. 555-562, 2007.

KERGOAT, D. Divisão sexual do trabalho e relações de sexo. In: HIRATA, H.; LABORIE, F.; DOARÉ, H. L. & SENOTIER, D. (Org.). Dicionário Crítico do Feminismo. São Paulo: UNESP, 2009, p. 67-75.

LONGARAY, D. A.; RIBEIRO, P. R. C. Espaços educativos e produção das subjetividades gays, travestis e transexuais. Revista Brasileira de Educação, v. 20, n. 62, p. 723-747, 2015.

MARX, K. O Capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

OLIVEIRA, M. A. C.; LEÃO, A. L. M. S. Sendo aos olhos do outro: o papel da alteridade na construção da identidade metrossexual. Revista de Administração, v. 47, n. 2, p. 264-274, 2012.

ORLANDI, E. P. Análise do Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas: Pontes, 2013.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 2014.

PESSOA, C. T.; COSTA, L. H. F. M. Constituição da identidade infantil: significações de mães por meio de narrativas. Psicologia Escolar e Educacional, v. 18, n. 3, p. 501-509, 2014.

PIRES, V. L.; SOBRAL, A. U. Implicações do estatuto ontológico do sujeito na teoria discursiva do Círculo Bakhtin, Medvedev, Voloshínov. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, v. 8, n. 1, p. 205-219, 2013.

SAFIOTTI, H. I. B. O Poder do Macho. São Paulo: Moderna LTDA, 2001.

SAVEGNAGO, S. D. O.; ARPINI, D. M. Conversando sobre sexualidade na família: olhares de meninas de grupos populares. Cadernos de Pesquisa, v. 43, n. 150, p. 924-947, 2014.

SAVEGNAGO, S. D. O.; ARPINI, D. M. A Abordagem do Tema Sexualidade no Contexto Familiar: o Ponto de Vista de Mães de Adolescentes. Psicologia Ciência e Profissão, v. 36, n. 1, p. 130-144, 2016.

SEGOVIA, J. S.; CARO, L. M. Ideales regulatorios sobre embarazo y maternidad en hombres y mujeres jóvenes del norte de Chile. Sexualidad, Salud y Sociedad-Revista Latinoamericana, n. 21, 2015.

SENKEVICS, A. S.; DE CARVALHO, M. P. Casa, rua, escola: gênero e escolarização em setores populares urbanos. Cadernos de Pesquisa, v. 45, n. 158, p. 944-968, 2015.

SOLIVA, T. B.; JUNIOR, J. B. S. Entre revelar e esconder: pais e filhos em face da descoberta da homossexualidade. Sexualidad, Salud y Sociedad-Revista Latinoamericana, n. 17, 2014.

SOUZA, E. de.; BALDWIN, J. R.; ROSA, F. H. A. construção social dos papéis sexuais femininos. Psicologia: reflexão e crítica, v. 13, n. 3, p. 485-496, 2000.

Downloads

Publicado

2018-11-22

Como Citar

CAMPOS, M. T. de A.; TILIO, R. de. ‘Universo feminino e masculino’: análise do discurso parental sobre meninos e meninas. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 3, p. 828–846, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i3.8651535. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8651535. Acesso em: 26 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos