A base nacional comum curricular brasileira e o lugar da fonética e da fonologia no ensino fundamental anos iniciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v60i3.8652230

Palavras-chave:

Fonética. Fonologia. Ensino de língua portuguesa.

Resumo

Apesar de serem áreas de fundamental importância à reflexão sobre a língua e à ampliação dos saberes linguísticos dos alunos, a Fonética e a Fonologia, tradicionalmente, fazem-se presentes no currículo escolar brasileiro de maneira incipiente (CAGLIARI, 2009). Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa foi analisar o espaço ocupado por essas áreas na recém-lançada Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017), especificamente no Ensino Fundamental Anos Iniciais. O estudo fundamentou-se em Cagliari (2009) e em Simões (2006) e evidenciou que as áreas em pauta têm papel de destaque nesse nível de ensino durante todo o processo de apropriação e de sedimentação do sistema de escrita alfabética. Entretanto, mostrou também que, apesar de se embasar no sociointeracionismo discursivo para apresentar a sua compreensão de língua e de linguagem, a BNCC distancia-se de tal perpectiva, ao tratar a variação linguística como um conteúdo (um objeto do conhecimento) e não como um princípio que transversaliza a Fonética e a Fonologia, bem como os demais níveis de análise linguística, o que contribui com o fortalecimento da visão genérica e estereotipada do fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Siane Gois Cavalcanti Rodrigues, Universidade Federal de Pernambuco

É doutora em Letras pela UFPE e professora associada do Departamento de Letras da mesma Universidade, onde atua nos programas de pós-graduação acadêmico e profissional. Orienta dissertações de mestrado e teses de doutorado. Ministra aulas na graduação presencial e a distância, é membro do NUCEPI (Núcleo de Estudos em Compreensão e Produção Interlinguísticas) e do CEEL (Centro de Estudos em Educação e Linguagem).

Cristina Manuela Sá, Universidade de Aveiro

É doutorada em Didática pela Universidade de Aveiro e cocoordenadora do Laboratório de Investigação em Educação em Português (LEIP), do Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores da Universidade de Aveiro.

Referências

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Do campo para a cidade: um estudo sociolinguístico de migração e de redes sociais. São Paulo: Parábola, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 04/04/2018

BRASIL. Plano Nacional de Educação – PNE/Ministério da Educação. Brasília, DF: INEP, 2014.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e Linguística. 11.ed. São Paulo: Scipione, 2009.

CÂMARA JÚNIOR, Mattoso. Estrutura da língua portuguesa. 43.ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

CEREJA, Willian e MAGALHÃES, Tereza Cochar.​ Português: ​linguagens. 6º ano. São Paulo: Atual, 2015.

GONZÁLEZ, César Augusto. Variação inguística em livros de portugues para o EM. In: ZILLES, Ana Maria Stahl e FARACO, Carlos Alberto. Pedagogia da Variação Linguística: língua, diversidade e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

MORAIS, Artur Gomes de. Ortografia: Ensinar e Aprender. São Paulo: Ática, 2009.

MORAIS, Artur Gomes de. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

RODRIGUES, Siane Gois Cavalcanti. & NASCIMENTO, Glácia Renata Pereira. Compreensão de professores de língua portuguesa acerca da natureza de fenômenos relacionados à fonética e à fonologia subjacentes à dificuldade de escrita de estudantes do ensino básico. In: Revista Letras e Letras, vol 32/4-julho/dezembro/2016). Universidade Federal de Uberlândia (MG). Disponível em http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras. Acesso em 08/08/2017.

SAUSSURE, Ferninand de. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006 [1916].

SILVA, Thaís Cristóafaro. Fonética e Fonologia do Português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto, 2007.

SIMÕES, Darcilia. Considerações sobre a fala e a escrita: fonologia em nova chave. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

VELOSO, João e RODRIGUES, Aleaxandra Soares. A presença da fonética e da fonologia no ensino do português (ensino básico e secundário): algumas considerações preliminares, in Duarte, I. M. et al., Anais do Encontro Comemorativo dos 25 anos do Centro de Linguística da Universidade do Porto, vol. 1, Porto, C.L.U.P., 2002, (p. 231-246). Disponível em: https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/3314 Acesso em 20/08/2017.

Downloads

Publicado

2018-11-22

Como Citar

RODRIGUES, S. G. C.; SÁ, C. M. A base nacional comum curricular brasileira e o lugar da fonética e da fonologia no ensino fundamental anos iniciais. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 3, p. 584–603, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i3.8652230. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8652230. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos