Banner Portal
No caçar dos erros, a língua que escapa
PDF

Palavras-chave

Língua. Revisão de textos publicitários. Análise do discurso.

Como Citar

NOBLE, Debbie Mello. No caçar dos erros, a língua que escapa. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 60, n. 3, p. 758–774, 2018. DOI: 10.20396/cel.v60i3.8652240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8652240. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

Este artigo, ancorado na Análise do Discurso pêcheuxtiana, objetiva analisar o funcionamento dos dizeres sobre o revisor de textos da publicidade a partir de um corpus experimental, que consta de entrevistas com sujeitos envolvidos na etapa de revisão do processo de criação publicitária. Podemos dizer que o objeto analisado é bastante específico, e, até mesmo, contraditório, posto que a publicidade, em geral, trabalha com uma linguagem coloquial, enquanto a revisão de textos pode ser vista como uma tentativa de blindar a língua, torná-la perfeita e evitar os erros. No entanto, ao observar esta contradição, percebemos algumas outras possibilidades de pensar a língua e o espaço de dizeres da publicidade. A relação língua/revisão de textos permeia as sequências discursivas (SDs) analisadas. Nelas, observamos uma relação de repetibilidade na forma de pré-construídos: o revisor de textos é descrito como um sujeito que domina plenamente a língua portuguesa, um detentor dos conhecimentos gramaticais, uma vez que se toma a noção de língua pela de gramática. Assim, buscamos compreender de que forma esses pré-construídos se constituíram historicamente e que regiões do interdiscurso são mobilizadas para que intervenham como efeito de memória nos dizeres desses sujeitos.
https://doi.org/10.20396/cel.v60i3.8652240
PDF

Referências

AIUB, Giovani Forgiarini. Arquivo em Análise do Discurso: uma breve discussão sobre a trajetória teórico- metodológica do analista. Leitura, Maceió, n. 50, p. 61-82, jul./dez. 2012.

AUROUX, Sylvain. A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

COURTINE, Jean-Jacques. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: Ed. UFSCar, 2009.

COSTA, Thaís de Araujo da. Significando e garantindo a língua nacional: o processo de historicização da língua portuguesa do brasil e a implementação da nomenclatura gramatical brasileira. RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, n. 02, ago./dez. 2013.

DALTOÉ, Andréia da Silva. As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política. 220 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – PPG Letras – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

DORNELES, Elizabeth Fontoura; CAZARIN, Ercília; SCHONS, Carme Regina. Discurso sobre a língua e a constituição da língua da escola. In: SCHONS, Carme Regina; CAZARIN, Ercília Ana. (Orgs.). Língua, escola e mídia en(tre)laçando teorias, conceitos e metodologias. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2011, p. 34-47.

GADET, Françoise; PÊCHEUX, Michel. A língua inatingível. O discurso na história da Linguística. 2. ed. Tradução Bethânia Mariani e Maria Elizabeth Chaves de Mello. Campinas: Editora RG, 2010.

GALLO, Solange Leda Maria. Como o texto se produz: uma perspectiva discursiva. Blumenau: Nova Letra, 2008.

HANSEN, Fábio. A noção de pré-construído e seus desdobramentos no processo criativo do discurso publicitário. Organon, UFRGS, v. 24, n. 48, 2010. Disponível em: seer.ufrgs.br/organon/article/download/28644/17323.

LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina. O caráter singular da língua no Discurso. Organon – Revista do Instituto de Letras da UFRGS, v. 17, n. 35, p. 86-99, Porto Alegre, 2003.

LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina. Memória discursiva em funcionamento. In: ROMÃO, Lucília Maria Souza; CORREA, Fernanda Silveira. Conceitos discursivos em rede. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012.

MARIANI, Bethânia. Os primórdios da Imprensa no Brasil (ou: de como o discurso jornalístico constrói memória). In: ORLANDI, Eni Puccinelli (Org.). Discurso Fundador - a formação do País e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes, 1993, v. 01, p. 32-43.

MITTMANN, Solange. Língua, gramática e normatização em discursos de arquivo. In: UFRGS/COPERSE. Reflexões linguísticas e redação de vestibular. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2010.

ORLANDI, Eni. O próprio da Análise do Discurso. Escritos, Discurso e Política, n. 3, Labeurb, Campinas, 1998.

ORLANDI, Eni. Língua e conhecimento linguístico. Para uma História das Idéias no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso. In: ORLANDI, Eni; LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy (Orgs.). Introdução às Ciências da Linguagem: discurso e textualidade. 2. ed. Campinas: Pontes, 2010a.

ORLANDI, Eni. A contrapelo: incursão teórica na tecnologia - discurso eletrônico, escola, cidade. Revista Rua, Campinas, n. 16, v. 2, nov. 2010b.

ORLANDI, Eni.; GUIMARÃES, Eduardo. Formação de um espaço de produção linguística: a Gramática no Brasil. In: ORLANDI, Eni (Org.). História das Ideias Linguísticas: construção do saber metalinguístico e constituição da Língua Nacional. Campinas: Pontes; Cáceres: Unemat, 2001.

ORLANDI, Eni; SOUZA, Tania de. A língua imaginária e a língua fluida: dois métodos de trabalho com a linguagem. In: ORLANDI, Eni (Org.). Política linguística na América Latina. Campinas: Pontes, 1988.

PÊCHEUX, Michel. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, Eni (Org.). Gestos de Leitura: da história no discurso. Campinas: Unicamp, 1997.

PÊCHEUX, Michel. Papel da memória. In: ACHARD, Pierre et al. Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999.

PÊCHEUX, Michel. Semântica & Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 2009.

PETRI, Verli. Contribuições da análise de discurso para o ensino de língua: em busca da desconstrução da unidade imaginária. In: SCHONS, Carme Regina; CAZARIN, Ercília Ana. Língua, escola e mídia: en(tre)laçando teorias, conceitos e metodologias. Passo Fundo: Editora UPF, 2011.

SARAMAGO, José. História do Cerco de Lisboa. Editorial Caminho, 1989.

SCHERER, Amanda Eloina. A constituição do eu e do outro pela interpelação da língua pela língua na história do sujeito. In: LEANDRO FERREIRA; INDURSKY, Freda. Análise do Discurso no Brasil: mapeando conceitos, confrontando limites. São Carlos: Claraluz, 2007.

SURDI, Marcia; PETRI, Verli. Língua: o “diferente” no interior do mesmo na gramática. Revista de Letras, v. 12, n. 12, 2010. Disponível em: http://www.dacex.ct.utfpr.edu.br/12_LÍNGUA.htm. Acesso em: 26 dez. 2015.

O periódico Cadernos de Estudos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.