A oratória popular na imprensa anarquista brasileira

um estudo de caso do jornal A Plebe

Palavras-chave: Análise do discurso, Oratória popular, Imprensa anarquista.

Resumo

Com base nos postulados teóricos e nos procedimentos metodológicos da Análise do discurso, o artigo analisa textos das quatro primeiras edições do jornal anarquista A Plebe, publicadas no Brasil, durante o mês de junho de 1917. O objetivo da análise consiste em descrever e interpretar um conjunto de enunciados extraídos desses textos de A Plebe, nos quais a oratória seja tematizada, com vistas a identificar discursos sobre as práticas de fala pública popular provenientes de posições ideológicas progressistas. Mais precisamente, a abordagem discursiva desses textos permite mais bem compreender o que dizem os enunciadores anarquistas sobre a oratória popular, em condições históricas de formação e de particular efervescência do movimento operário. Além disso, o desenvolvimento das análises possibilita uma maior compreensão de aspectos e fenômenos da formulação linguística desses enunciados anarquistas que tratam da fala pública popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Piovezani, Universidade Federal de São Carlos

Professor associado do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Carlos. Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa na Universidade Estadual Paulista.

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. As palavras incertas: as não coincidências do dizer. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

BENVENISTE, E. Estruturas das relações de pessoa no verbo. In: Problemas de linguística geral. V. 1. Campinas: Editora da Unicamp / Pontes, 1995, p. 247-259.

COURTINE, J.; PIOVEZANI, C. (Org.) História da fala pública: uma arqueologia dos poderes do discurso. Petrópolis, Vozes, 2015.

FERREIRA, M. N. A imprensa operária no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1978.

FIORIN, J. L. Categorias da enunciação e efeitos de sentido. In: BRAIT, B. (Org.). Estudos enunciativos no Brasil: histórias e perspectivas. Campinas: Pontes, 2001, p. 107-129.

GIANNOTTI, V. História das lutas dos trabalhadores no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

INDURSKY, F. A fala dos quartéis e as outras vozes. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

KHOURY, Y. As greves de 1917 em São Paulo. São Paulo: Cortez, 1981.

LOPREATO, C. O espírito da revolta: a greve geral anarquista de 1917. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2000.

PEREIRA, A. A imprensa operária no Brasil. Revista Novos Rumos, n. 18/19, 1990.

PIOVEZANI, C. Instantâneos de duradouros estigmas: consensos sobre as vozes popular e feminina (da Retórica antiga à mídia contemporânea). In: CURCINO, L.; SARGENTINI, V.; PIOVEZANI, C. (Org.). (In)subordinações contemporâneas: consensos e resistências nos discursos. São Carlos: EdUFSCar, 2016, p. 73-101.

PIOVEZANI, C. A língua, o corpo e a voz de Lula em discursos da imprensa brasileira. Língua e Instrumentos linguísticos. v. 39, p. 85-112, 2017.

RANCIÈRE, J. A noite dos proletários: arquivos do sonho operário. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SARGENTINI, V. Vozes anarquistas: gêneses do trabalhismo brasileiro. In: GREGOLIN, M. R. Filigranas do discurso. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2001, p. 213-229.

ZOPPI-FONTANA, M. Cidadãos modernos: discurso e representação política. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

Publicado
2019-08-29
Como Citar
Piovezani, C. (2019). A oratória popular na imprensa anarquista brasileira. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 61, 1-19. https://doi.org/10.20396/cel.v61i0.8654545

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)