Omissão de sujeito pronominal anafórico e as construções de dupla negação

Palavras-chave: Construções de dupla negação, Sujeito nulo, Sujeito pronominal expresso

Resumo

Neste artigo, investigamos omissão e a expressão de sujeitos expressos pronominais e nulos em construções de dupla negação em português brasileiro. Para isso, analisamos um corpus de língua falada da região Sul do Brasil, o corpus VARSUL. Apesar de a literatura apontar para o fato de que o PB tem privilegiado orações com sujeito pronominal expresso em detrimento de sujeito nulo (cf. Duarte 2012, entre outros), percebemos que as construções de dupla negação, ao contrário da expectativa, favorecem o sujeito nulo. Acreditamos que tal construção favoreça o sujeito nulo porque veicula conteúdos ativados (que, por princípio, podem ser ocultados da superfície da frase). Além desse fator pragmático, investigamos também a relação desses efeitos com um fator semântico que favorece a retomada por sujeito pronominal expresso: o traço de gênero semântico do referente. Analisamos cenários de confluência e conflito entre esses princípios de natureza gramatical distinta distintos e o que encontramos na análise do corpus corrobora empiricamente nossas previsões teóricas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel de Ávila Othero, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorado em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professor do Ensino Superior da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil.

Marcos Goldnadel, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

ANDERSON, S. R. West Scandinavian vowel systems and the ordering of phonological rules. Tese de Doutorado. Massachusetts Institute of Technology, 1969.

ARONOFF, M. Word formation in generative grammar. Cambridge: MIT Press, 1976.

AYRES, M. R. Aspectos condicionadores do objeto nulo e do pronome pleno em português brasileiro: uma análise da fala infantil. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2016.

BISOL, L.; MONARETTO, V. N. O. Prefácio: VARSUL e suas origens, uma história sumariada. ReVEL, edição especial n. 13, p. 6-11, 2016.

BUTHERS, C. M. Emergência da ordem [XP V (DP)] no Português Brasileiro Contemporâneo e o Parâmetro do Sujeito Nulo: uma abordagem minimalista. Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais. Dissertação de Mestrado, 163f. 2009.

BUTHERS, C. M.; DUARTE, F. B. Português Brasileiro: uma língua de sujeito nulo ou de sujeito obrigatório?. Revista Diacrítica, v. 26, n. 1, 2012, p. 64-88.

CAMARGOS, M. A negativa: uma análise qualitativa. Anais do V Congresso de Ciências Humanas, Letras e Artes, Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto, 2001.

CASAGRANDE, S. Restrições de ocorrência do objeto direto anafórico no Português Brasileiro: gramática adulta e aquisição da linguagem. ReVEL, edição especial n. 6, p. 131-163, 2012.

CAVALCANTE, S. R. O.; DUARTE, M. E. The subject position in Brazilian Portuguese: the embedding of a syntactic change. University of Pennsylvania Working Papers in Linguistics, v. 14, n. 2, 2008, p. 54-62.

COLLISCHONN, G.; MONARETTO, V. Banco de dados VARSUL: a relevância de suas características e a abrangência de seus resultados. ALFA: Revista de Linguística, v. 56, n. 3, p. 835-853, 2012.

CREUS, S; MENUZZI, S. O papel do gênero na alternância entre objeto nulo e pronome pleno em português brasileiro. Revista da ABRALIN, v. 3, n. 1-2, 2004.

CYRINO, S. M. L. O objeto nulo no português do Brasil: um estudo sintático-diacrônico. Tese de doutorado: Unicamp, 1994 (publicada em 1997 pela Ed. da Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR).

CYRINO, S. M. L. Observações sobre a mudança diacrônica no português do Brasil: objeto nulo e clíticos. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.) Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993, p. 163-185.

CYRINO, S. M. L.; DUARTE, M. E.; KATO, M. A. Visible subjects and invisible clitics in Brazilian Portuguese. In: KATO, M. A.; NEGRÃO, E. V. (Ed.) Brazilian Portuguese and the Null Subject Parameter. Frankfurt: Vervuert-Iberoamericana, 2000, p. 55-104.

CYRINO, S. M. Para a história do português brasileiro: a presença do objeto nulo e a ausência dos clíticos. Letras de Hoje, v. 38, n. 1, 2003.

DAHL, O. 2001. Infl ationary eff ects in language and elsewhere. In: BYBEE, J.; HOPPER, P. Frequency and the emergence of linguistic structure. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2001, 471–480.

DETGES, U.; WALTEREIT, R. Grammaticalization vs reanalysis: a semantic-pragmatic account of functional change in grammar. Zeitschrift fur Sprachwinssenchaft, 21.1, 2002, p. 151-195.

DUARTE, I.; FIGUEIREDO SILVA, M. C. The null subject parameter and the structure of the sentence in European and Brazilian Portuguese. In: WETZELS, L.; COSTA, J.; MENUZZI, S. M. The handbook of Portuguese Linguistics. West Sussex: Wiley Blackwell, 2016.

DUARTE, M. E. L. A evolução na representação do sujeito pronominal em dois tempos. In: PAIVA, M. C.; DUARTE, M. E. L. (Org.) Mudança linguística em tempo real. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2003, p. 115-128.

DUARTE, M. E. L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Campinas, Universidade Estadua de Campinas. Tese de Doutorado, 1995.

DUARTE, M. E. L. Clítico acusativo, pronome lexical e categoria vazia no português do Brasil. In: TARALLO, F., (org.) Fotografias sociolingüísticas. Campinas: Editora da Unicamp, 1989, p. 19-34.

DUARTE, M. E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993. p. 107-125.

DUARTE, M. E. L. O sujeito em peças de teatro (1833-1992): estudos diacrônicos. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

DUARTE, M. E. Sociolinguística “Paramétrica”. In: MOLLICA, M. C.; FERRAREZI JR., C. Sociolinguística, sociolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2016, p. 33-44.

FIGUEIREDO SILVA, M. C. A posição sujeito no Português Brasileiro – frases finitas e infinitivas. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.

FURTADO DA CUNHA, M. A. Grammaticalization of the strategies of negation in Brazilian Portuguese. Journal of Pragmatics, Amsterdam, v. 39, 2007, p. 1638-53.

FURTADO DA CUNHA, M. A. Grammaticalization of the strategies of negation in Brazilian Portuguese. Journal of Pragmatics, 39, 2007, p. 1638-1653.

FURTADO DA CUNHA, M. A. O modelo das motivações competidoras no domínio funcional da negação. DELTA, 17, 2001, pp. 01-30.

FURTADO DA CUNHA, M. A. O modelo das motivações competidoras no domínio funcional da negação. DELTA 17, 2001, p. 01-30.

GIVÓN, T. Functional English Grammar. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

GOLDNADEL, M. Funções pragmáticas de enunciados de dupla negação: análise de dados de Curitiba. ReVEL, edição especial, no 13, 2016, pp. 144-180.

GOLDNADEL, M.; LIMA, L. S.; BREUNIG, G.; ESQUIVEL, N. A.; LUZ, J. P. Estratégias alternativas de negação sentencial na região sul do Brasil: análise da influência de fatores pragmáticos a partir de dados do projeto VARSUL. RELIN, vol. 21, n. 2, 2013, p. 35-74.

GOLDNADEL, M.; LIMA, L. S.; BREUNIG, G.; ESQUIVEL, N. A.; LUZ, J. P. Estratégias alternativas de negação sentencial na região sul do Brasil: análise da influência de fatores pragmáticos a partir de dados do projeto VARSUL. Rev. Est. Ling., v. 21, no 2, 2013, pp. 35-74.

GOLDNADEL, M.; PETRY, P. Função pragmática de retorno a tópico em enunciados de dupla negação: evidências a partir de dados da cidade de Curitiba. Cadernos de Estudos Linguísticos, no 59 (2), 2017 pp. 397-418.

HAAG, C. R. Editorial: Linguística e Sistemas Complexos. ReVEL, v. 14, n. 27, 2016, p. i-iii.

HANSEN, M. M. Reinforcers in old and middle french: a discourse–functional approach. In: HANSEN, M. M.; VISCONTI, J. Current trends in diachronic semantics and pragmatics. Bingley: Emerald Group Publishing Limited, 2009, p. 227-250.

HOEKSEMA, J. Jespersen recycled. In: VAN GELDEREN, E. Cyclical change. Amsterdam: John Benjamin, 2009, pp. 15-34.

HOEKSEMA, J. Jespersen recycled. In: VAN GELDEREN, E. Cyclical change. Amsterdam: John Benjamin, 2009, p. 15-34.

KATO, M. A. Strong pronouns and weak pronominals in the null subject parameter. Probus (Dordrecht), Berlin, v. 11, n° 1, 1999, p. 1-37.

KATO, M. A.; DUARTE, M. E. Restrições na distribuição de sujeitos nulos no português brasileiro. Revista Veredas, v. 18, n. 1, 2014, p. 1-22.

KIPARSKY, P. “Elsewhere” in phonology. In: ANDERSON, S. R.; KIPARSKY, P. A festschrift for Morris Halle. Holt: Rinehart and Winston, 1973. p 93-106.

KIPARSKY, P.; CONDORAVDI, C. Tracking Jespersen's cycle. In: JANSE, M.; JOSEPH, B.D.; RALLI, A. Proceedings of the 2nd International Conference of Modern Greek Dialects and Linguistic Theory. Mytilene: Doukas, 2006, p. 01-22.

LAMBRECHT, K. Information structure and sentence form: topic, focus, and the mental representations of discourse referents. Cambridge: CUP, 1994.

LARRIVÉE, P. The pragmatic motifs of the Jespersen cycle: Default, activation, and the history of negation in French. Lingua, 120, 2010, p 2240-2258.

LARRIVÉE, P. The role of pragmatics in grammatical change: The case of French preverbal non. Journal of Pragmatics, 43, 2011, p 1987-1996.

LIMA, S. L. Motivações pragmáticas para o surgimento de estruturas de dupla negação: uma análise a partir de dados da região Sul do Brasil. Instituto e Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Dissertação de Mestrado, 110f. 2013.

MATTOSO CÂMARA J. R. Princípios de linguística geral. Rio de Janeiro: Padrão Livraria e Editora, 1977.

NUNES, L. L. Estrutura e funções pragmáticas da negação no sul do Brasil. Porto Alegre. Instituto e Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Dissertação de Mestrado, 110f. 2017.

OLIVEIRA, D. P. O preenchimento, a supressão e a ordem do sujeito e do objeto em sentenças do português do Brasil: um estudo quantitativo. In: TARALLO, F. (Org.) Fotografias sociolinguísticas. Campinas: Pontes, 1989.

OTHERO, G. A.; AYRES, M. R.; SCHWANKE, C.; SPINELLI, A. C. A relevância do traço gênero semântico na realização do objeto nulo em português brasileiro. Working Papers em Linguística v. 17(1), 2016.

OTHERO, G. A.; CYRINO, S.; SCHABBACH, G.; ROSITO, R.; ALVES, L. M. Objeto nulo e pronome pleno na retomada anafórica em PB: uma análise em corpora escritos com características de fala. Revista da Anpoll, v. 1, 2018.

OTHERO, G. A.; SCHWANKE, C. Retomadas anafóricas de objeto direto em português brasileiro escrito. Revista de Estudos da Linguagem (UFMG), v. 26, n. 1, 2018.

OTHERO, G. A.; SPINELLI, A. C. Sujeito pronominal expresso e nulo no começo do séc. XXI (e sua relação com o objeto nulo em PB). Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 1, 2019.

PIVETTA, V. Objeto direto anafórico no português brasileiro: uma discussão sobre a importância dos traços semântico-pragmáticos – animacidade/especificidade vs. gênero semântico. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Rio Grade do Sul, 2015.

PONTES, E. O tópico no português do Brasil. Campinas: Pontes, 1987.

PONTES, E. Sujeito: da sintaxe ao discurso. São Paulo: Ática, 1986.

ROBERTS, C. Information structure in discourse: towards an integrated formal theory of pragmatics. Semantics and Pragmatics, v. 5, 2012, pp 1-69.

RONCARAT I, C. A negação no português falado. In: MACEDO, A. T.; RONCARAT , C.; MOLLICA, M. C. Variação e discurso. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996, pp. 97-112.

SCHWEGLER, A. Predicate negation in contemporary Brazilian Portuguese: a change in progress. Orbis, Leuven, v. 34, p. 187-214, 1991.

SCHWENTER, S. A. Fine-Tuning Jespersen’s Cycle. In: Birner, B.; Ward , G. Drawing the Boundaries of Meaning: Neo-Gricean Studies in Pragmatics and Semantics in Honor of Laurence R. Horn. Amsterdam: Benjamins, 2006, p. 327-344.

SCHWENTER, S. A. Fine-Tuning Jespersen’s Cycle. In: BIRNER, B.; WARD , G. Drawing the Boundaries of Meaning: Neo-Gricean Studies in Pragmatics and Semantics in Honor of Laurence R. Horn. Amsterdam: Benjamins, 2006, pp. 327-344.

SCHWENTER, S. A. Null objects across South America. Selected proceedings of the 8th Hispanic Linguistics Symposium. Somerville: Cascadilla Press, 2006.

SCHWENTER, S. A. The pragmatics of negation in Brazilian Portuguese. Lingua, v. 115, 2005, pp. 1427-56.

SCHWENTER, S. A. The pragmatics of negation in Brazilian Portuguese. Lingua, Amsterdam, v. 115, p. 1427-56, 2005.

SCHWENTER, S. A. Two kinds of differential object marking in Portuguese and Spanish. Portuguese-Spanish interfaces: Diachrony, synchrony, and contact, 2014.

SEIXAS, V. C.; ALKMIN, M. G. R. A negação sentencial em textos de autores brasileiros dos séculos XVIII e XIX: considerações sobre implementação, transição e origem da estrutura [NãoVNão]. Veredas, v. 17, no 2, 2013, p. 83-113.

SOUSA, L. T. A Gramaticalização do não no português brasileiro e a etapa do processo. Domínios de Lingu@gem, v. 1, n. 2, 2007, p. 1-17.

SOUZA, A. S.; LUCCHESI. D. Estruturas de negação em uma comunidade rural afro-brasileira. Hyperion, no 7, 2004.

TARALLO, F. Relativization strategies in Brazilian Portuguese. Tese de Doutorado. University of Pennsylvania, 1983.

VALLDUVI, E. The informational component. Tese de Doutorado. University of Pensilvania, 1993.

VAN DER AWERA, J. On the diachrony of negation. In: HORN, L. The expression of negation. New York: Walter de Gruyter, 2010, p. 73-109.

VAN DER AWERA, J. The Jespersen Cycles. In: VAN GELDEREN, E. Cyclical change. Amsterdam: John Benjamin, 2009. p. 35-71.

VAN DER AWERA, J. The Jespersen Cycles. In: VAN GELDEREN, E. Cyclical change. Amsterdam: John Benjamin, 2009, p. 35-71.

VAN KUPPEVELT , J. Main structure and side structure in discourse. Linguistics, 33, 1995b, pp. 809-833.

VAN KUPPEVELT, J. Directionality in Discourse: Prominence Differences in Subordination Relations. Journal of Semantics, 13, 1996, pp. 363-395.

VAN KUPPEVELT, J. Discourse structure, topicality and question. Journal of Linguistics, 31, 1995a, pp. 109-147.

VOSSEN, F.; VAN DER AUWERA, J. The Jespersen cycles seen from Austronesian. In: HANSEN, M. B. M.; VISCONTI, J. The diachrony of negation. Amsterdam: John Benjamin, 2014, pp. 47-82.

Publicado
2020-08-24
Como Citar
Othero, G. de Ávila, & Goldnadel, M. (2020). Omissão de sujeito pronominal anafórico e as construções de dupla negação. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 62, e020011. https://doi.org/10.20396/cel.v62i0.8658593