Os adjuntos temporais na perspectiva da Cartografia Sintática e da Semântica de Eventos

Palavras-chave: Semântica de eventos, Adjuntos temporais, Cartografia sintática

Resumo

O estudo dos sintagmas adverbiais é um produtivo campo para o desenvolvimento de pesquisas no âmbito da sintaxe a semântica das línguas naturais. Os adjuntos temporais, como “em x tempo” e “por x tempo”, mesmo que já bastante descritos pela literatura, ainda carecem de uma descrição mais aprofundada quando se busca entender de que maneira podem influenciar as possíveis interpretações das sentenças em que estão presentes. Tendo isso em mente, o objetivo principal deste artigo é propor uma análise que, ao considerar a metodologia da Cartografia Sintática e da Semântica de Eventos, capture a contribuição do adjunto temporal – mais especificamente do adjunto “em x tempo” – em sentenças do português brasileiro, bem como, argumentar a favor de uma hipótese segundo a qual os traços dos adjuntos temporais sejam valorados em mais de uma posição da hierarquia universal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joao Francisco Bergamini-Perez, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Aquiles Tescari Neto, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Dottorato di Ricerca in Scienze del Linguaggio pelo Università Ca' Foscari Venezia, Itália.
Professor Doutor I MS-3.1 da Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Referências

BELLETTI, A. 1990. Generalized Verb Movement. Turim: Rosenberg & Sellier.

CINQUE, G. 1997. Adverbs and Functional Heads: a Cross-Linguistic perspective. Venezia: Centro Linguistico Interfacoltà, Università degli studi di Venezia.

CINQUE, G. 1999. Adverbs and Functional Heads: A Cross-linguistic Perspective. New York: OUP.

CINQUE, G. 2004. Issues in adverbial syntax. Lingua, 114 (6), p. 683-710.

CINQUE, G. 2006. Restructuring and Functional Heads. Vol.4, New York: OUP.

CINQUE, G. 2017. On the status of functional categories (heads and phrases). Language and Linguistics, 18(4), p. 521-576.

EMONDS, J. 1978. The Verbal Complex V’-V in French. Linguistic Inquiry, 9, p. 151-175.

GALVES, C. 2001. Ensaios sobre as gramáticas do português. Campinas: Editora da UNICAMP.

KAYNE, R.S. 2005. Movement and Silence. New York: Oxford University Press, 2005.

LIMA, B.F. 2020. A cartografia das exclamativas-wh em português brasileiro: categorias e hierarquias. Dissertação (Mestrado em Linguística), UNICAMP.

POLLOCK, J-Y. 1989. Verb Movement, Universal Grammar, and the Structure of IP. Linguistic Inquiry, vol. 20(3), pp. 265-424.

QUAREZEMIN, S.; CARDINALETTI, A. 2017. Non-topicalized preverbal subjects in Brazilian Portuguese, compared to Italian. Rivista Annali di Ca' Foscari. Serie occidentale, vol. 51, pp. 383-409.

RIZZI, L. 1997. The Fine Structure of Left Periphery. In: Haegman, L. (Ed.). Elements of Grammar. Dordrecht, Kluwer Academic Publisher.

RIZZI, L. 2004. Locality and Left Periphery. In: Belletti, A. (Ed.) Structures and Beyond: The Cartography of Syntactic Structures, vol.3. New York/Oxford: Oxford University Press, pp. 223-251.

ROY, I. e SVENONIUS, P. 2009. Complex prepositions in Autour de la Préposition, edited by J. François, É. Gilbert, C. Guimier, and M. Krause. Presses universitaires de Caen, pp. 105–116.

SCHIFANO, N. 2018. Verb Movement in Romance. New York, Oxfor: Oxford University Press.

SILVA, G.V. 2001. Word Order in Brazilian Portuguese. Berlin: Mouton de Gruyter.

VENDLER, Z. 1957. "Verbs and Times". Philosophical Review, pp. 143-160.

Publicado
2020-08-13
Como Citar
Bergamini-Perez, J. F., & Tescari Neto, A. (2020). Os adjuntos temporais na perspectiva da Cartografia Sintática e da Semântica de Eventos. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 62, e020008. https://doi.org/10.20396/cel.v62i0.8658752