Banner Portal
Também para o feminismo, beleza é fundamental? uma análise discursiva do funcionamento dos lugares de autoridade
PDF

Palavras-chave

Lugares de autoridade
Memória
Feminismo

Como Citar

MEDEIROS, Laís Virginia Alves; FATIMA, Wellton da Silva de. Também para o feminismo, beleza é fundamental? uma análise discursiva do funcionamento dos lugares de autoridade. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 64, n. 00, p. e022034, 2022. DOI: 10.20396/cel.v64i00.8659619. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8659619. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

Este trabalho se inscreve no aparato da Análise de Discurso materialista. Analisamos o funcionamento discursivo do que propomos como lugares de autoridade: fatos de linguagem na relação com a memória constituídos como elementos contraditórios, dadas as condições de produção do discurso. Fazemos referência a imagens e dizeres produzidos nas redes sociais sobre declarações polêmicas ou ofensivas a feministas, recortadas seguindo uma regularidade na qual declarações feitas eram rebatidas em páginas e perfis que, embora (re)conhecidos como progressistas, recorreram a determinados saberes fundamentados nos lugares comuns do, assim (re)conhecido, discurso conservador. Em nossa análise, observamos um funcionamento particular da memória discursiva na movência dos sentidos, produzindo um efeito autoritário também a partir do trabalho das formações discursivas em tensão. Constatamos um atravessamento de sentidos colocando discursos aparentemente incompatíveis numa mesma discursividade, produzindo repetição ao invés de ruptura, por meio do funcionamento dos lugares de autoridade.

https://doi.org/10.20396/cel.v64i00.8659619
PDF

Referências

ACHARD, P.. Memória e produção discursiva do sentido. In: ACHARD, P. et al (Org.). Papel da memória. Campinas, Pontes Editores, 1999, p.11-22.

CONCEIÇÃO, A. C. L. Teorias feministas: da "questão da mulher" ao enfoque de gênero. RBSE, v. 8, n. 24, p. 738-757, 2009.

FATIMA, Wellton da Silva de. Do beijo na telenovela ao repúdio parlamentar: discurso, memória e ideologia. In: LAU, Héliton Diego; FATIMA, Wellton da Silva de. (Org.) Raça, gênero e sexualidade em perspectivas discursivas: efeitos e práticas da/na violência. v. 2. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020, p. 270-288.

FOLLMANN, José Ivo; PINHEIRO, Adevanir Aparecida. A categoria raça nas Ciências Sociais: revisitando alguns processos políticos, sociais e culturais na história do Brasil Ciências Sociais Unisinos, vol. 49, núm. 1, 2013, p. 26-29. Universidade do Vale do Rio dos Sinos: São Leopoldo, Brasil. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=93826318008. Acesso em: 16 ago. 2022.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

GONZALEZ, L. A categoria político-cultural de amefricanidade. Tempo brasileiro, Rio de Janeiro, n. 92-93, jan./jun., 1988. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B2_ZK-qR9WEKYWJhZDI3NDYtMTE0Zi00ZDg0LTk1OTMtOTM1NzMxNzhlYjBh/view. Acesso em: 28 maio 2020.

LAGAZZI-RODRIGUES, S. O recorte significante na memória. In: SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO, 3, 2007, Porto Alegre. Anais do SEAD, Porto Alegre: UFRGS, 2007.

MUNANGA, K. Negritude: usos e sentidos. 4. ed. 2. reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 11. ed. Campinas: Pontes, 2013.

ORLANDI, E. P. Segmentar ou Recortar. Série Estudos, Faculdades Integradas de Uberaba, Uberaba-MG, n. 10, p. 9-26, 1984.

PÊCHEUX, M. O papel da memória. In: ACHARD, P. et al (Orgs.). Papel da memória. Campinas: Pontes Editores, 1999. p. 49-58.

PÊCHEUX, M. [1975]. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

PINTO, C. R. J. Feminismo, história e poder. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, 2010.

ZOPPI FONTANA, Mónica Graciela. Lugares de enunciação e discurso. Leitura - Análise do Discurso, n. 23, p. 15-24, 1999.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cadernos de Estudos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.