Aspectos fonológicos dos lapsos de fala

uma análise do processo morfofonológico de blending

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v64i00.8666588

Palavras-chave:

Fonologia, Lapsos de fala, Blending

Resumo

Este estudo teve como objetivo examinar a estrutura sonora de blends lexicais de lapsos de fala (BL), isto é, de palavras formadas por blending e resultantes de uma falha de processamento linguístico, como em mosquilongo (pernilongo+mosquito). Para tanto, a composição de BL foi analisada tendo em vista os traços segmentais, o acento lexical e a estrutura silábica de 40 BL coletados de modo naturalístico. A análise do corpus indica que enquanto a produção de BL respeita as restrições sonoras do PB, assim como identificado, na literatura, para blends neológicos, a manutenção e a coincidência das estruturas dos itens originais suscitam a hipótese de que a similaridade estrutural dos elementos acessados é um aspecto que favorece a produção de BL.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Macedo Balduino, Universidade de São Paulo

Doutoranda em Letras na Universidade São Paulo , Brasil.

Shirley Freitas, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Doutorado em Letras pela Universidade de São Paulo. Professor Adjunto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Brasil.

Mayara Espadaro, Universidade de São Paulo

Mestra em Linguística pela Universidade de São Paulo, Brasil.

Referências

ALVES, I. M. Neologismo: criação lexical. São Paulo: Editora Ática, 1990.

ARAUJO, G. Morfologia não-concatenativa em português: os portmeanteux. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas. v. 39, p. 5-21, 2000. DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v39i0.8636935

BISOL, L. A sílaba e seus constituintes. In: Neves, Maria Helena de Moura (Org.). Gramática do Português culto falado: novos estudos. Campinas: Editora da Unicamp, v.7, p. 701-742, 1999.

CÂMARA JR, J. Estrutura da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1970.

CLEMENTS, G. Place of articulation in consonants and vowels: an unified theory. Working papers of the Cornell phonetics laboratory, n. 5, p. 77-123, 1991.

BOOMER, D. S.; LAVER, J. D. M. Slips of the tongue. In: Ed. FROMKIN, V. A. (Org.). Speech Errors as Linguistic Evidence. The Hague: Mouton, 1973.

ESPADARO, M. Os lapsos de fala em Português Brasileiro sob a perspectiva da morfologia distribuída. 2018. 183f. (Dissertação de Mestrado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2018.

FROMKIN, V. A. The nonanomalous nature of anomalous utterances. Language. v. 47, p. 27-52, 1971. DOI: https://doi.org/10.2307/412187

GOLDSMITH, John. Autossegmental Phonology. Tese de Doutorado – Massachusetts Institute of Technology, Cambridge - Massachusetts, 1976.

GONÇALVES, C. A. Blends lexicais em português: não-concatenatividade e correspondência. Veredas, Juiz de Fora, v. 7, n. 1 e 2, p.149-167, 2003.

ILIOVITZ, E. R. Uma análise prosódica dos lapsos da língua. 2001.142 f. (Dissertação de Mestrado em Linguística) - Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2001.

ILIOVITZ, E. R. Fronteiras Linguísticas dos Lapsos da Língua. Letras & Letras. v. 23, n. 2, jul./dez., p. 81-110, 2007.

LEVELT, W. J.M. Speaking: From Intention to Articulation. Cambridge, MA: MIT Press, 1989.

NETO, N.A. Outras palavras: as palavras-valise entre revisões e sistematizações. Revista Tabuleiro de Letras, PPGEL, v. 10, n. 02, p. 46-64, 2016.

NÓBREGA, V.; MINUSSI, R. 2014. O tratamento da morfologia não-concatenativa pela morfologia distribuída: o caso dos blends fonológicos. Revista Letras, n. 91, p. 158-177, 2015. DOI: https://doi.org/10.5380/rel.v91i0.40094

PFAU, R. Grammar as processor. A Distributed Morphology account of spontaneous speech errors. Amsterdam: John Benjamins, 2009. DOI: https://doi.org/10.1075/la.137

SÂNDALO, M. F. Morfologia. In.: MUSSALIN, F. & BENTES, A. C. (Eds.). Introdução à Lingüística. São Paulo: Cortez, v. 1, p. 45-67, 2001.

SANDMANN, A. J. Morfologia Lexical. São Paulo: Contexto, 1990.

SELKIRK, E. The syllable. In: Hulst, Harry & Smith, Norval (Eds.) The Structure of Phonological Representations. Dordrecht: Foris, p. 337-383, 1982.

VIGÁRIO, Marina. Prosodic structure between the prosodic word and the phonological phrase: Recursive nodes or an independent domain?. The Linguistic Review, v. 27, n. 4, p. 485-530, 2010. DOI: https://doi.org/10.1515/tlir.2010.017

WARKER, J.; DELL, G. Speech errors reflect newly learned phonotactic constraints. Journal of Experimental Psychology: Learning Memory and Cognition, v. 32, n. 2, p. 387-398, 2006. DOI: https://doi.org/10.1037/0278-7393.32.2.387

Downloads

Publicado

2022-03-23

Como Citar

BALDUINO, A. M.; FREITAS, S.; ESPADARO, M. Aspectos fonológicos dos lapsos de fala: uma análise do processo morfofonológico de blending. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 64, n. 00, p. e022009, 2022. DOI: 10.20396/cel.v64i00.8666588. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8666588. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção Geral

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)