Banner Portal
O “vírus comunista”
PDF

Palavras-chave

Fórmulas discursivas
Discurso conspiracionista
COVID-19

Como Citar

MORAIS, A. R. A. de; PIRIS, E. L. O “vírus comunista”: o papel das fórmulas discursivas na circulação do discurso conspiratório sobre a pandemia de Covid-19 no Brasil. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 65, n. 00, p. e023024, 2023. DOI: 10.20396/cel.v65i00.8670198. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8670198. Acesso em: 24 fev. 2024.

Resumo

Neste artigo analisamos o papel das fórmulas no discurso conspiratório sobre a pandemia de covid-19 no Brasil, explorando os traços da racionalidade conspiratória, as estratégias discursivas de manipulação e a circulação das fórmulas “vírus chinês”, “vírus comunista” e “comunavírus” na polêmica entre o governo brasileiro e seus adversários no combate à pandemia. O quadro teórico articula a concepção de fórmula discursiva postulada por Krieg-Planque (2010), a caracterização do discurso conspiratório proposta por Nicolas (2016) e as estratégias do discurso manipulatório apresentadas por Charaudeau (2022). A análise, de caráter qualitativo, focaliza 7 (sete) enunciados que circularam nas redes sociais e na imprensa brasileira entre março de 2020 e maio de 2021. Tais textos obtiveram bastante repercussão no período e ensejaram intensos debates públicos sobre as atitudes negacionistas do governo Bolsonaro e de seus seguidores em relação à gestão sanitária da pandemia.

https://doi.org/10.20396/cel.v65i00.8670198
PDF

Referências

AMOSSY, R. Argumentação e Análise do discurso: perspectivas teóricas e recortes disciplinares. Trad. E. L. Piris e M. O. Ferreira. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, v. 1, n. 1, p. 129-144, 2011. Disponível em: http://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/389. Acesso em: 15 mar. 2023.

AMOSSY, R. Apologia da polêmica. Trad. Rosalice Pinto et al. São Paulo: Contexto, 2017.

AVRITZER, L. Política e antipolítica: a crise do governo Bolsonaro. São Paulo: Todavia, 2020.

BUCCI, E. Existe democracia sem verdade factual? Barueri: Estação das Letras e Cores, 2019.

CHARAUDEAU, P. A manipulação da verdade: do triunfo da negação às sombras da pós-verdade. Trad. D. Cunha e A. L. Araújo. São Paulo: Contexto, 2022.

SOLANO, E. Eu voto no Bolsonaro porque ele vai mudar o Brasil: escutando os eleitores de Bolsonaro. In: AVRITZER, L.; STARLING, H. M.; BRAGA, P.; ZANANDSREZ, P. Pensando a democracia, a república e o estado de direito no Brasil. Belo Horizonte: Projeto República, 2019. p. 119-130.

KRIEG-PLANQUE, A. A noção de “fórmula” em análise do discurso: quadro teórico e metodológico. Trad. L. S. Salgado e S. Possenti. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

MBEMBE, A. Necropolítica. Trad. R. Santini. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MIGUEL, L. F. A reemergência da direita brasileira. In: SOLANO, E. (Org.). O ódio como política: a reinvenção da direita no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2018. p. 17-26.

NAPOLITANO, M; JUNQUEIRA, M. A. Como historiadores e professores devem lidar com negacionismos e revisionismos? NEGACIONISMOS E REVISIONISMOS: O CONHECIMENTO HISTÓRICO SOB AMEAÇA. Síntese dos debates do evento [...] Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. p. 1-4. Disponível em: https://abrir.link/sylPX. Acesso em: 15 mar. 2023.

NASCIMENTO, V. L. V.; PEREIRA, C. C. Q.; VIDAL, D. D. R. Covid-19, estigma e mídia: #eunaosouumvírus”. In: SPINK, M. J.; CORDEIRO, M. P.; BRIGAGÃO, J. I. M.; MALINVERNI, C. (Orgs.). Covid-19: versões da pandemia nas mídias. São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2021. p. 497-529.

NICOLAS, L. As teorias da conspiração como espelho do século: entre a retórica, a sociologia e a história das ideias. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, v. 12, n. 1, p. 255-279, 2016. DOI: https://doi.org/10.17648/eidea-12-1325. Acesso em: 15 mar. 2023.

OLIVEIRA, F. A.; FENERICK JÚNIOR, J. B. Cartografia das controvérsias em torno do termo “comuna vírus” no YouTube: contrastes com a Política Externa de Bolsonaro. Ciências Sociais Unisinos, v. 57, n. 1, p. 99-112, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.4013/csu.2021.57.1.09. Acesso em: 15 mar. 2023.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009. PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK, T. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

PLANTIN, Ch. Dictionnaire de l’argumentation: Une introduction aux études d’argumentation. Lyon: ENS Éditions, 2016.

PIOVEZANI, C. Bolsonaro fala às massas. In: PIOVEZANI, C.; GENTILE, E. A linguagem fascista. São Paulo: Hedra, 2020. p. 141-245.

PIRIS, E. L.; AZEVEDO, I. C. M. “Fique em casa” versus “O Brasil não pode parar”: interações argumentativas na pandemia de covid-19. In: PIRIS, E. L.; MASSMANN, D. (Orgs.). A argumentação nos discursos sobre a pandemia da covid-19. Maceió: EDUFAL, 2021. p. 32-45. Disponível em: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/123456789/8028. Acesso em: 15 mar. 2023.

QUINAN, R.; ARAÚJO, M.; ALBUQUERQUE, A. A Culpa é da China! O discurso sino-conspiratório no governo Bolsonaro em tempos de covid-19. Revista Eco-Pós, v. 24, n. 2, p. 151-174, 2021. DOI: http://doi.org/10.29146/ecopos.v24i2.27698. Acesso em: 15 mar. 2023.

SALAVASTRU, C. Stratégies d’efficacité utilisées dans les débats presidentiels télévisés. Hermeneia – Journal of Hermeneutics, Art Theory and Criticism, Iasi, Romênia, n. 24, p. 103-126, 2020. Disponível em: http://hermeneia.ro/wp-content/uploads/2020/05/08_Salavastru.pdf. Acesso em: 15 mar. 2023.

SENADO FEDERAL (BRASIL). Relatório Final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia - Instituída pelos Requerimentos nos 1.371 e 1.372, de 2021. Brasília, DF, 2021. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento/download/72c805d3-888b-4228-8682-260175471243. Acesso em: 15 mar. 2023.

SILVA, C. M. de M. O conceito de doxa (opinião) em Aristóteles. Linha D’Água, v. 29, n. 2, p. 43-67, 2016. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p43-67. Acesso em: 15 mar. 2023.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Cadernos de Estudos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.