Banner Portal
Sinais de pontuação como símbolos linguísticos
PDF

Palavras-chave

Sinais de pontuação
Pontuabilidade
Sujeito

Como Citar

KLEPPA, Lou-Ann. Sinais de pontuação como símbolos linguísticos. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 65, n. 00, p. e023002, 2023. DOI: 10.20396/cel.v65i00.8672666. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8672666. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

Foi realizado um experimento com alunos universitários em que a tarefa era pontuar um texto curto. Mesmo conhecendo o texto, os alunos o pontuaram de maneiras singulares. Não só os sinais que incidem num mesmo lugar são vários, como os lugares em que incidem os sinais são vários. Essa multiplicidade de possibilidades observada indica que as unidades textuais não estão previamente delimitadas para os alunos e que há margem para escolha de sinais. Nesse texto, procuramos entender os sinais de pontuação como elementos que compõem um sistema em que há escolhas. Essas escolhas, no entanto, não são apenas sintaticamente motivadas: através do conceito de pontuabilidade de Bernardes (2002), encontramos um sujeito que pontua para o outro. Através das formulações teóricas de Nunberg (1990), Dahlet (1995 a 2006), Crystal (2015) e Bredel (2020) acerca do sistema de sinais de pontuação, chegamos ao inventário dos sinais de pontuação, suas funções e o papel do sujeito que pontua.

https://doi.org/10.20396/cel.v65i00.8672666
PDF

Referências

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha: Instituto Houaiss, 2018.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, p. 277-326, 2000.

BERNARDES, Ana Cristina de Aguiar. Pontuando alguns intervalos da pontuação. Tese de doutorado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 2002.

BREDEL, Ursula. Interpunktion. Heidelberg: Universitätsverlag Heidelberg, 2020.

CÂMARA Jr, Joaquim Mattoso. Dicionário de Lingüística e Gramática. Petrópolis: Vozes, 1986.

CHITTOLINA, Raphaela Machado Monteiro. Laços da pontuação: escritor e leitor em um mesmo sinal. REVEL, vol. 18, n. 34, p. 295-311, 2020.

COULMAS, Florian. Escrita e sociedade. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

CRYSTAL, David. Making a point: the pernickety story of English punctuation. London: Profile Books, 2015.

CRYSTAL, David. Dicionário de Lingüística e Fonética. Tradução e adaptação de Maria Carmelita Pádua Dias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

DAHLET, Véronique. As (man)obras da pontuação. Usos e significações. 1. ed. São Paulo: Associação Editorial Humanitas / Fapesp, 2006.

DAHLET, Véronique. A pontuação e sua metalinguagem gramatical. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 10, n.1, p. 29-41, 2002.

DAHLET, Véronique. Aquisição das línguas e pesquisas em pontuação. Tradução de Cristina Casadei Pietraróia. Linha D’Água, n. 14, p. 75-85, 1999.

DAHLET, Véronique. Pontuação, sentido e efeitos de sentido. In: XLV Seminário do GEL, 1998, Campinas. Estudos Lingüísticos. Anais do Seminário do GEL. São José do Rio Preto: UNESP/IBILCE, 1998. v. XXVII. p. 465-471.

DAHLET, Véronique. Pontuação, língua, discurso. In: XXIV Seminário do GEL, 1995, São Paulo. Estudos Lingüísticos. Anais de Seminários do GEL XXIV. São Paulo: GEL Est. de São Paulo, 1995. v. 1. p. 337-340.

DALLAROSA, Andreia Rodrigues Zoelner. A pontuação como movimentos do sujeito na escrita: pontos de reflexão. Dissertação. Mestrado em Linguagem, Identidade e Subjetividade. Ponta Grossa, 2013, 108pp.

FLUSSER, Vilém. ? O Estado de S. Paulo, 22 de outubro de 1965.

JUNKES, Terezinha Kuhn. Trajetória da pontuação: da frase ao interdiscurso. Tese de doutorado em Linguística. Florianópolis: UFSC, 1995.

JAKOBSON, Roman. Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1971.

KLEPPA, Lou-Ann. Onze sinais em jogo. Campinas: Editora Unicamp, 2019.

KLEPPA, Lou-Ann. Entre reticências e exclamações: usos de sinais de pontuação em peças publicitárias de 1952. Cadernos de Linguística, v. 2, n. 4, p. 1-23, 2021.

KLEPPA, Lou-Ann. Para ensinar os sinais de pontuação. Revista Diadorim, v. 24, n. 2, 2022 (no prelo).

KRAHN, Albert. A new paradigm for punctuation. Dissertation. University of Wisconsin – Milwaukee, 2014.

MELLO, Simone Homem de. Guilherme Mansur. Coleção Editando o Editor. São Paulo: EdUSP: Editora Laboratório Com-Arte, 2018.

NUNBERG, Geoffrey. The linguistics of punctuation. Monografia apresentada ao Center for the Study of Language and Information. Leland Stanford Junior University, 1990.

RIBEIRO, Emílio Soares. Um estudo sobre o símbolo, com base na semiótica de Peirce. Estudos Semióticos, v. 6, n. 1, 2010, p. 46-53. Disponível em: http://www.fflch.usp.br/dl/semiotica/es. Acesso em 09/02/2023.

ROCHA, O sistema de pontuação na escrita ocidental: uma retrospectiva. DELTA, vol. 13, n. 1, 1997.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 57ª ed., [1972] 2020.

TRASK, R. L. Dicionário de Linguagem e Lingüística. Tradução de Rodolfo Ilari. São Paulo: Contexto, 2008.

WATSON, Cecelia. Semicolon: The past, present, and future of a misunderstood mark. Londres: Harper Collins, 2019 (livro digital, com paginação por posição).

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Cadernos de Estudos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.