Em busca de uma metodologia para analisar a alteridade na Arte

Palavras-chave: Arte. Alteridade. Corpo.

Resumo

O objetivo deste ensaio é testar outros modos de formular a noção de  alteridade, indagando as suas singularidades nas formas de vida e, sobretudo, nas experiências artísticas que a consideram um estado de criação. Isso porque, na arte, a diferença nem sempre gera confronto, mas instaura uma crise deflagrada pelo estranhamento daquilo que não é o mesmo e, assim, pode fazer emergir novos caminhos de criação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christine Greiner, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professora livre-docente do Departamento de Linguagens do Corpo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 

Referências

AGAMBEN, Giorgio. L’Usage du Corps, homo sacer IV, 2, trad. Joël Gayraud. Paris: Seuil, 2015.

AGAMBEN, Giorgio. Profanações, trad. Selvino J. Assmann. Boitempo, 2015

Butler Judith e Athena Athanasiou. Dispossession: the performative in the political. Cambridge: Polity Press, 2013.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. Metafísicas Canibais. São Paulo: N-1, 2015.

Changeux, Jean-Pierre. L’Homme Neuronal. Paris: Fayard, 1983.

DAMÁSIO, Antonio. O mistério da Consciência, do corpo e das emoções ao conhecimento de sim, trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DELEUZE, Gilles. “L’immanence: une vie...”, Philosophie n 47, 1995.

ESPÓSITO, Roberto. Immunitas, the Protection and Negation of Life, trad. Timothy Campbell. Cambridge: Polity Press, 2011.

GIELEN, Pascal. Criatividade e Outros Fundamentalismos, trad. Sharine Mello. São Paulo: Annablume, 2015.

GREINER, Christine. O Corpo, pistas para estudos indisciplinares. São Paulo: Annablume, 2005.

GREINER, Christine. O Corpo em Crise, novas pistas e o curto-circuito das representações. São Paulo: Annablume, 2010.

GREINER, Christine. Leituras do Corpo no Japão e suas diásporas cognitivas. São Paulo: N-1, 2015.

GREINER, Christine. “Alteridad como estado de creatión” in Pereze, Victoria Royos e Diégo Aguilló (eds) Componer el Plural. Barcelona: Mercat des Flors, 2016, p. 319-349.

KRAUSS, Rosalind. A Voyage on the North Sea: Art in the Age of the Post-Medium Condition. New York: Thames & Hudson, 2000.

MASSUMI, Brian. The power at the end of the economy. Durham: Duke University Press, 2014.

NEGRI, Antonio; HARDT, Michael. Multidão, guerra e democracia na era do império, trad. Clovis Marques. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SAFLATE, Vladimir. O circuito dos afetos, corpos políticos, desamparo e o fim do individuo. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

SIMONDON, Gilbert. L'individuation psychique et collective. Paris: Aubier, 1989.

VIRNO, Paolo. Gramática das Multidões, para uma análise das formas de vida contemporâneas, trad. Leonardo Palma. São Paulo: Annablume, 2015.

Publicado
2017-12-12
Como Citar
Greiner, C. (2017). Em busca de uma metodologia para analisar a alteridade na Arte. Conceição|Conception, 6(2), 10-21. https://doi.org/10.20396/conce.v6i2.8648519