Repensar-se, reescrever-se: das possibilidades de escritura da pesquisa em artes da cena na academia

Palavras-chave: Escrita performativa. Escritura de jogo. Escrita acadêmica.

Resumo

Este artigo busca refletir sobre formas de escrever teses e dissertações na academia, como sendo correlatas com formas de pensar, conceber e produzir conhecimento. Desse modo, questiona e busca possibilidades de formas de escritura da pesquisa em artes da cena que possam ter maior correspondência com conteúdos, materialidades, processos e modos de expressão da área, tais como, o jogo, a fabulação e a performatividade. Para tal, partimos de estudos sobre a performatividade da linguagem (Austin), a crítica literária (Barthes), a filosofia (Nietzsche e Deleuze), abordando o processo de escritura da dissertação da autora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane de Campos Olendzki, Universidade Estadual de Campinas
Doutoranda em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas. Atriz, palhaça e professora de teatro.

Referências

AUSTIN, John Langshaw. How to do things with words. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1975.

BARRY, Peter. Beggining Theory: an introduction to literaly and cultural theory. New York, NY: Manchester University Press: Palgrave Macmillan, 2002.

BARTHES, Roland. A Preparação do Romance I: da vida à obra: notas de cursos e seminários no Collège de France, 1978-1979. São Paulo: Martins Fontes, 2005a.

BARTHES, Roland. A Preparação do Romance II: a obra como vontade: notas de curso no Collège de France 1979-1980. São Paulo: Martins Fontes, 2005b.

BARTHES, Roland. Aula (pronunciada dia 7 de janeiro de 1977). São Paulo: Cultrix,1989.

BARTHES, Roland. Crítica e verdade. São Paulo: Perspectiva, 2003.

DELEUZE, Gilles. Lógica do Sentido. São Paulo: Perspectiva, 2003.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a Filosofia. Rio de Janeiro: Rio, 1976.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? São Paulo: Ed. 34, 2000.

DERRIDA, Jacques. Assinatura, acontecimento, contexto. In: Derrida, J. Margens da filosofia. São Paulo: Papirus, 1991, p. 349-373.

NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich. Além do Bem e do Mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2005a.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim Falou Zaratustra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005b.

OLENDZKI, Luciane. Palhaçar: máscaras em uma patética-poética por rir. 2009. Sss f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

OTTONI, Paulo Roberto. Visão Performativa da Linguagem. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1998.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Texto, Crítica, Escritura. São Paulo, Martins Fontes, 2005.

PINEAU, Elyse Lamm. Nos Cruzamentos Entre a Performance e a Pedagogia: uma revisão prospectiva. In: EDUCAÇÃO & REALIDADE. Porto Alegre: UFRGS/ FACED 35(2): 89-113 maio/ago 2010.

RIBEIRO, Delfim Paulo. Investigação Baseada nas Artes: caminhos de metáfora e escrita performativa. In: Performa ’11 – Encontros de Investigação em Performance Universidade de Aveiro, maio de 2011.

SALOMÃO, Waly. Tarifa de Embarque. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

ZULAR, Roberto. Uma Visão Performativa da Crítica Genética. In: Revista de Letras, São Paulo, 47 (2): 39-56, jul./dez. 2007.

Publicado
2017-12-12
Como Citar
Olendzki, L. de C. (2017). Repensar-se, reescrever-se: das possibilidades de escritura da pesquisa em artes da cena na academia. Conceição|Conception, 6(2), 213-228. https://doi.org/10.20396/conce.v6i2.8648527