Inquietações

pandemia, crise, necropolítica, Artaud

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v9i00.8660589

Palavras-chave:

Pandemia, Necropolítica, Antonin Artaud

Resumo

Este artigo parte da pandemia por COVID-19, no Brasil de 2020, para propor uma reflexão que coadune conceitos como o de Necropolítica, Crise e Biopoder com o pensamento anár-quico de Antonin Artaud, figura-chave para os estudos teatrais, de modo a propor linhas de fuga ao momento atual, tentando pensar para além da crise. Articula-se aqui referências importantes do pensamento contemporâneo sobre a situação pandêmica com as inquietações que nos assolam enquan-to artistas e pesquisadores do Aporia - Grupo de pesquisas em Filosofia e Performance, discutidas virtualmente ao longo dos meses de isolamento social ocasionados pela pandemia.      

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana da Costa Dias, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutora em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Professora Associada da Universidade Federal de Ouro Preto.


Marina de Nóbile da Silveira, Universidade Federal de Ouro Preto

Bacharel em interpretação pela Universidade Federal de Ouro Preto. 

Ricardo Maia, Universidade Federal de Ouro Preto

 Bacharel em Jornalismo e Interptetação, ambos pela Universidade Federal de Ouro Preto. 

Luis Gustavo Ferigati Pereira , Universidade Federal de Ouro Preto

Bacharel em interpretação pela Universidade Federal de Ouro Preto. 

Pedro Methner Baldin, Universidade Federal de Ouro Preto

Graduando em Artes Cênicas na Universidade Federal de Ouro Preto. 

Referências

AGAMBEN, Giorgio. “O estado de exceção provocado por uma emergência imotivada”. In Revista IHU Online. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/596584-o-estado-de-excecao-provocado-por-uma-emergencia-imotivada. Acesso em: 27 de fevereiro. 2020.

ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. Trad: Teixeira Coelho. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

ARTAUD, Antonin. “Para acabar com o julgamento de Deus”. In WILLER, C. (tradução, seleção e notas). Escritos de Antonin Artaud. Porto Alegre: L&PM, 1983.

BADIOU, Alain. “Sobre a situação epidêmica”. In Blog da Boitempo. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2020/04/08/badiou-sobre-a-situacao-epidemica/. Acesso em: 08 de abril de 2020.

BARBOSA, Mariana (Org.). Pós-verdade e Fake News: Reflexões Sobre a Guerra de Narrativas. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

BAUMAN, Zygmunt. Vidas Desperdiçadas. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

BUTLER, J. O Capitalismo tem seus limites. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2020/03/judith-butler-sobre-a-covid-19-o-capitalismo-tem-seus-limites/. Publicado em 23 de maio de 2020. Acesso em: 06 de julho de 2020.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. “28 de Novembro de 1974. Como criar para si um corpo sem órgãos” In Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 2004.

DIEGUEZ, Flávio. “O homem é um vírus”. In Revista Super Interessante. Disponível em https://super.abril.com.br/ciencia/o-homem-e-um-virus/. Publicado em: 30 junho de 2002. Acessado em: 01 de julho de 2020.

ECO, Umberto. O Pêndulo de Foucault. São Paulo: Record, 1989.

ESPOSITO, R. Curados até o fim. Disponível em: https://literatura-italiana.blogspot.com/2020/04/curados-ate-o-fim-roberto-esposito.html. Acesso em: 06 de julho de 2020.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica: curso dado no Collège de France, 1978-1979. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

MARCELO, W. “Antonin Artaud liberto das amarras do juízo: o corpo-sem-órgãos como crítica ao pensamento ocidental”. In Revista Entrelinhas, v. 7, n. 2, jul./dez. 2013.

MIGNOLO, Walter D. The Darker Side of the Renaissance: Literacy, Territoriality, & Colonization. Michigan: University of Michigan Press, 2003.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N1 edições, 2018.

PÁL PELBART, Peter. O Avesso do Niilismo: cartografias do esgotamento - Cartography of Exhaustion: nihilism inside out (Edição bilingue). São Paulo: N-1 Edições, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, M. P.(Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2009.

SARAMAGO, José. Ensaio sobre a cegueira. São Paulo: Cia. das Letras, 2005.

SIQUEIRA, Vinícius. Bauman e o lixo humano: o refugo da globalização. Colunas Tortas. 2 de junho. 2013. Disponível em: https://colunastortas.com.br/bauman-e-o-lixo-humano-o-refugo-da-globalizacao/. Acesso em: 29 de maio de 2020.

SOARES, Marcelo et al. “Dados do SUS revelam vítima-padrão de Covid-19 no Brasil: homem, pobre e negro” In: ÉPOCA: portal de notícias. Disponível em: https://epoca.globo.com/sociedade/dados-do-sus-revelam-vitima-padrao-de-covid-19-no-brasil-homem-pobre-negro-24513414. Publicado em: 03 de julho de 2020.

SONTAG, Susan. A doença como metáfora. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

ZIZEK, Slavoj. Coronavírus é um golpe estilo “Kill Bill” para o capitalismo e pode levar à reinvenção do comunismo. Disponível em: http://agbcampinas.com.br/site/2020/slavoj-zizek-coronavirus-e-um-golpe-estilo-kill-bill-para-o-capitalismo-e-pode-levar-a-reinvencao-do-comunismo/. Publicado em: 25 de maio de 2020. Acesso em: 06 de julho de 2020.

Publicado

2020-11-20

Como Citar

DIAS, L. da C.; SILVEIRA, M. de N. da; MAIA, R.; PEREIRA , L. G. F. .; BALDIN, P. M. . Inquietações: pandemia, crise, necropolítica, Artaud . Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e020009, 2020. DOI: 10.20396/conce.v9i00.8660589. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8660589. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos Temáticos