Sobre ocupações e deslocamentos ou como organizar fúria e teoria em cena

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v9i00.8661718

Palavras-chave:

Corpo, Comunidade, Performatividade

Resumo

O presente artigo propõe um debate a partir de dois trabalhos com importante repercussão na cena teatral desde 2018: Isto é um negro? e Quando quebra queima. São experiências artístico-estético-políticas que trazem ao palco singularidades com potência para compor (outras formas de) comunidade. Performances de corpos muitas vezes invisibilizados, unidos pela vulnerabilidade que se converte em resistência. Em tempos de precariedade absoluta, na arte encontramos brechas para a existência de novos imaginários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Raquel, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atriz-pesquisadora e professora de teatro.

Virginia Laís de Souza, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

ARRAES, Jarid. Um buraco com meu nome. São Paulo: Ferina, 2018.

AZEVEDO, José Fernando Peixoto de. Eu, um crioulo. Disponível em: https://n-1edicoes.org/eu-um-crioulo. Acesso em: 07 set. 2020.

BERTH, Joice. Empoderamento. São Paulo: Pólen, 2019.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas – notas para uma teoria performativa de assembleia. Trad.: Fernanda Siqueira Miguens. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

CARNEIRO, Sueli. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir – história da violência nas prisões. Trad.: Raquel Ramalhete. 27 ed. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1986.

FREITAS, Angélica. Canções de atormentar. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

GREINER, Christine. Fabulações do corpo japonês e seus microativismos. São Paulo: n-1 edições, 2017.

HARNEY, Stefano & MOTEN, Fred. Pretitude e governança. Revista Arte e Ensaios, n. 37, março, 2019. (p. 113-121). Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/24607. Acesso em: 29 set. 2020.

hooks, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Trad.: Bhuvi Libanio. 12 ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2020.

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Trad.: Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação – episódios de racismo cotidiano. Trad.: Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MARTINS, Soraya. Outras rosas. Disponível em: https://mitsp.org/2019/outras-rosas-por-soraya-martins/. Acesso em: 07 set. 2020.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Trad.: Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Trad.: Renata Santini. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MOMBAÇA, Jota. Rumo a uma redistribuição desobediente de gênero e anticolonial da violência!. 2016. Disponível em: https://issuu.com/amilcarpacker/docs/rumo_a_uma_redistribuic__a__o_da_vi. Acesso em: 07 set. 2020.

PELBART, Peter Pál. O avesso do niilismo – cartografias do esgotamento. São Paulo: n-1 edições, 2013.

PIEDADE, Vilma. Dororidade. São Paulo: Nós, 2017.

PRECIADO, Paul B. Un appartement sur Uranus. Paris: Grasset, 2019.

RAQUEL, Fernanda. Emergências do corpo na cena contemporânea – a potência das falhas, desativações e impossibilidades. 2017. Tese de Doutorado. Comunicação e Semiótica - Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

SAISON, Maryvonne. Les théâtres du réel. Pratiques de la représentation dans le théâtre contemporain. Paris: L'Harmattan, 1998.

SHAKESPEARE, William. Hamlet. Trad.: Millôr Fernandes. Porto Alegre: L&PM, 2012.

SOUZA, Virgínia. Quando o monstro convoca a resistência biopolítica: estratégias comunicativas na arte e na vida. 2017. Tese de Doutorado. Comunicação e Semiótica - Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

Publicado

2020-12-23

Como Citar

Raquel, F., & Souza, V. L. de . (2020). Sobre ocupações e deslocamentos ou como organizar fúria e teoria em cena. Conceição/Conception, 9(00), e020022. https://doi.org/10.20396/conce.v9i00.8661718

Edição

Seção

Artigos Temáticos