Banner Portal
Indiscerníveis
PDF

Palavras-chave

Transversalidade
Montagem
Micrografia

Como Citar

DANILEVICZ, Vatsi; FERRERI, Marcelo de Almeida; BAPTISTA, Luis Antônio dos Santos. Indiscerníveis. Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 11, n. 00, p. e022001, 2022. DOI: 10.20396/conce.v11i00.8665846. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8665846. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este ensaio propõe um deslocamento entre as ciências ambientais e humanas na palavra micrografia, tendo em vista gerar um deslocamento metodológico, pautado na cartografia como referência conceitual, porém com ênfase nos imperceptíveis. Esse deslocamento é aqui uma dupla transversalidade, uma vez que é, simultaneamente, atravessamento e travessia. Pensamos em um avesso cartográfico, a partir de um objeto fronteiriço que é a análise da vida em microescala. O relevo que se produz neste desdobramento conceitual chamamos de micrografia, enquanto o devir de um conceito, o movimento de uma concepção utilizada originalmente em análises laboratoriais de microorganismos. Porém, aqui, em montagens que dispõem micro e macro escalas de imagens de partículas que interagem por intensidades, movimentos e afetos sem representá-los, mas entrelaçando reflexões em um meio heterogêneo. O foco está nas ligações entre matérias temporais, ancestralidade e contemporaneidade, virtualidades que se atualizam em singulares. O percurso não é totalizante ou generalizável, mas entrevê densidades que compõem corpos em heteronomia. Assim, rabiscamos montagens fotográficas sobre o pó e sob o pólen, partículas imperceptíveis que constituem os vivos e os mortos sem apaziguar seus ritmos e conflitos.

https://doi.org/10.20396/conce.v11i00.8665846
PDF

Referências

AUGÉ, Marc. Não-lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Tradução de Maria Lúcia Pereira. Campinas: Papirus, 1994.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira da Educação. N. 19, Rio de Janeiro: ANPED, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: 31 mai. 2021.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

DELEUZE, Gilles. Crítica e Clínica. São Paulo: Editora 34, 1997

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, v.3. São Paulo: Editora34, 2012a.

DELIGNY, Fernand. O aracniano. São Paulo: n-1 edições, 2018.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Quando as imagens tomam posição. O olho da história, I. Tradução Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Prólogo. In: FAROCK, H. Desconfiar de las imágenes. Buenos Aires; Caja Negra, 2014.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: n-1 edições, 2013.

GIDDENS, Anthony. Novas regras do método sociológico – Uma crítica positiva das sociologias compreensivas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

GUATTARI, Félix. Caosmose. (Oliveira, A. L. & Leão, L. C. Trads.) São Paulo: Editora 34, 1992.

KASTRUP, Virgínia. Políticas cognitivas na formação do professor e o problema do devir-mestre. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1273-1288, Set./Dez, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/bG374G5nJQ6jtVgCbb7Vsvb/abstract/?lang=pt. Acesso em: 31 mai. 2021.

LAPOUJADE, David. As existências mínimas. São Paulo: n-1 edições, 2017.

OEGGERLI, Martin. Polen: el amor esta en el aire. El estallido del color. In: National Geographic. Spain, 2018. Disponível em:

https://www.nationalgeographic.com.es/naturaleza/grandes-reportajes/el-estallido-del-color-2_1668/7. Acesso em: 31 mai. 2021.

PELBART, Peter Pál. Vida capital: ensaios de biopolítica. São Paulo, Brasil: Iluminuras, 2003.

PORTOCARRERO, Vera. As ciências da vida: de Canguilhem a Foucault. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009.

ROSSI, André. Da transferência à transversalidade: o devir dos conceitos e a variação do plano da clínica. 2007. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social). Programa de Pós Graduação em Psicologia do Departamento de Psicologia da Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2007.

SIMON, Steven. The best photos of the NIKON Small World Photomicrography 2017. In: National Geographic. Spain, 2017. Disponível em:

https://www.nationalgeographic.com.es/ciencia/actualidad/las-mejores-fotos-microscopicas-del-nikon-small-world-2017_11978/1. Acesso em: 31 mai. 2021.

SCOTT, Tracy. The best photos of the NIKON Small World Photomicrography 2017. In: National Geographic. Spain, 2017. Disponível em:

https://www.nationalgeographic.com.es/ciencia/actualidad/las-mejores-fotos-microscopicas-del-nikon-small-world-2017_11978/1. Acesso em: 31 maio 2021.

SUWALKI, Marek Miś de. The best photos of the NIKON Small World Photomicrography 2017. In: National Geographic. Spain, 2017. Disponível em:

https://www.nationalgeographic.com.es/ciencia/actualidad/las-mejores-fotos-microscopicas-del-nikon-small-world-2017_11978/1. Acesso em: 31 mai. 2021.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Vatsi Danilevicz

Downloads

Não há dados estatísticos.