Sobre corpos fronteiras e processos criativos híbridos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8666628

Palavras-chave:

Dança, Loucura, Processos criativos

Resumo

Esse artigo apresenta discussões levantadas em uma pesquisa de doutorado que investigou uma intervenção artística no campo da Saúde Mental, a partir de uma prática de dança desenvolvida com pessoas com transtornos mentais. O recorte deste texto apresenta algumas considerações sobre processos criativos como processos de subjetivação, discutindo a indissociabilidade entre processos artísticos e processos pedagógicos, estabelecendo, também, aproximações entre arte e clínica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Martins Reis, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Artes da Cena no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas. Dançarina, psicóloga e pesquisadora transdisciplinar.

Referências

COSTAS, A. M. R, Abrigos Poéticos. Revista Sala Preta, v. 1, n.11, São Paulo, 2011.

DIÉGUEZ, L. Um teatro sem teatro: a teatralidade como campo expandido. Revista Sala Preta, V.14, n.01, 2014.

GINOT, I. Penser les somatiques avec Feldenkrais – Politiques et esthétiques d’une pratique corporelle. Paris: Éditions L’Entretemps – lignes des corps, 2014.

GINOT, I. Para uma epistemologia das Técnicas de educação somática. Tradução de Joana Ribeiro da Silva Tavares e Marito Olsson-Forsberg. Revista O Percevejo online. Volume 02- N 02 – julho-dezembro/2010

GODARD, H. Olhar Cego: entrevista para Suely Rolnik. In. Lygia Clark: da obra ao acontecimento. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006.

GODARD, H. Gesto e Percepção. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia (Org.).Lições de Dança 3. Rio de Janeiro: UniverCidade, 1995. P. 11-35.

LIMA, E. Por uma arte menor: ressonâncias entre arte, clínica e loucura na contemporaneidade. Interface (Botucatu) [online]. 2006, vol.10, n.20, pp.317-329.

LOUPPE, L. Lygia Clark não para de atravessar nossos corpos in: ROLNIK, Suely. (Org.) Lygia Clark: da obra ao acontecimento. Somos o molde. A vocês cabe o sopro. (catálogo de exposição). São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006.

MILLER, J. Qual é o corpo que dança? Dança e educação somática para adultos e crianças. São Paulo: Summus Editorial, 2012.

ONETO, P. D. A que e como resistimos: Deleuze e as artes. In. Lins, D. (Org.). Nietzche/Deleuze: Arte e Resistência: Simpósio Internacional de Filosofia. Fortaleza, 2007. Rio de Janeiro: Forence Universitária, 2007.

PELBART, P. Vida nua, vida besta, uma vida.Trópico, 2007. Disponível em: http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/2792,1.shl. Acesso em: 15/12/2017.

PELBART, P. Vida Capital: Ensaios de Biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2003.

QUILICI, C. S. O ator performer e as poéticas da transformação de si. São Paulo: Annablume, 2015.

ROLNIK, S. Pensamento, corpo e devir - Uma perspectiva ético/estético/política no trabalho acadêmico. Palestra proferida no concurso para o cargo de Professor Titular da PUC/SP, realizado em 23/06/93, publicada no Cadernos de Subjetividade, v.1 n.2: 241-251. Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade, Programa de Estudos Pós Graduados de Psicologia Clínica, PUC/SP. São Paulo, set./fev. 1993

ROLNIK, S. Subjetividade em obra, Lygia Clark, artista contemporânea. Conferência proferida no Museu d’Art Contemporani de Barcelona.Publicado com o título, Arte cura? Lygia Clark no limiar do contemporâneo, in: Bartucci, Giovanna (org.). Psicanálise, Arte e Estéticas de Subjetivação, Imago, 2002.

ROLNIK, S. Por um estado de arte sem arte – a atualidade de Lygia Clark In TRANS. arts. cultures. Media, Vol. 1, no. 2, 1966. Passim, inc., New York; pp. 73-82. In Núcleo Histórico: Antropofagia e Histórias de Canibalismos, São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1998; pp. 456-467

ROLNIK, S. Arte cura? Híbridos de Lygia Clark. Núcleo de subjetividade, 1996

disponível em: http://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/Hibrido.pdf (visualização em 20/03/2018)

ROLNIK, S. Seminário Fronteiras, franjas e intervalos. Instituto de Artes UERJ, 2014.

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=bghAikhX1OE (última visualização em 17/04/2017)

SALVATIERRA, V. Micropolitique des affects somatiques. À propos d’une pratique de Feldenkrais en Appartements de coordination thérapeutique. In: GINOT, I. Penser les somatiques avec Feldenkrais – Politiques et esthétiques d’une pratique corporelle. Éditions L’Entretemps – lignes des corps. Paris. 2014.

TEIXEIRA, L. Conscientização do movimento: Uma prática corporal. São Paulo: Caioá Editora, 1998.

UNO, K. A Gênese de um corpo desconhecido. Trad. Crhistine Greiner. São Paulo: N-1 Edições, 2012.

VIANA, A. F. Dança e Autismo, espaços de encontro. Tese de doutorado defendida na Faculdade de Educação da UNICAMP, Campinas – SP, 2015.

Publicado

2021-12-09

Como Citar

Reis, B. M. (2021). Sobre corpos fronteiras e processos criativos híbridos. Conceição/Conception, 10(00), e021012. https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8666628

Edição

Seção

Artigos - Temas Livres