Ecoengajamento na dança

sabedorias ancestrais indígenas como fenômeno de resistência ao PL 490

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8667234

Palavras-chave:

Ecoengajamento, Dança, PL 490

Resumo

Este artigo compartilha considerações sobre as práticas de combate ao Projeto de Lei 490/2007 que regulamenta o marco temporal e altera a legislação da demarcação das terras indígenas no Brasil. O objetivo é elaborar reflexões críticas sobre a exploração colonial moderna como domínio de destruição e morte. Pretende-se, igualmente, chamar a atenção para o ecoengajamento nas danças como uma das políticas de fortalecimento das corporeidades indígenas em nosso país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Hugo Neves de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal da Paraíba. Artista e Pesquisador em Dança.

Referências

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón. Introdução. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (Orgs.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2020.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. São Paulo: Veneta, 2020.

GROSFOGUEL, Ramón. La descolonización de la economía política y los estudios postcoloniales: transmodernidad, pensamiento fronterizo y colonialidad global. In: Tabula Rasa, n. 4, 2006, p. 17-48.

KATZ, Helena. O que lateja na palavra pandemia. Copenhague – Rio de Janeiro: Zazie Edições, 2020.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze et al. (Orgs.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2020.

MARTINE, George; ALVES, José Eustáquio D.. Economia, sociedade e meio ambiente no século 21: tripé ou trilema da sustentabilidade? In.: Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, p. 433-460, set./dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepop/a/pXt5ZtxqShgBKDJVTDjfWRn/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 07 out. 2021.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 Edições, 2020.

MECKLIN, John (edit.). This is your COVID wake-up call: It is 100 seconds to midnight In.: Bulletin of the Atomic Scientists. Chicago, 2021.

PLEYERS, Geoffrey. Quatro Perguntas para as Ciências Sociais na Pandemia. In.: Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais, v. 1, n. 1, jan-jun/2020. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/realis/article/view/248022. Acesso em: 07 out. 2021.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. São Paulo: Boitempo, 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SIMAS, Luiz Antonio & RUFINO, Luiz. Encantamento: sobre política de vida. Rio de Janeiro: Mórula, 2020.

XAKRIABÁ, Célia. Não existe floresta em pé, com sangue Indígena no chão. São João das Missões, 21 set. 2021. Facebook: Célia Xakriabá. Disponível em: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=405241651169710&id=100050516348346. Acesso em: 07 out. 2021.

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Oliveira, V. H. N. de, Pinheiro, O., & Mawé, I. S. (2021). Ecoengajamento na dança: sabedorias ancestrais indígenas como fenômeno de resistência ao PL 490. Conceição/Conception, 10(00), e021015. https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8667234

Edição

Seção

Artigos Temáticos