Banner Portal
Conhecimentos teóricos sobre atividade física e obesidade em estudantes de educação física de uma universidade privada
PDF

Palavras-chave

Conhecimento
Atividade física
Obesidade
Estudantes

Como Citar

JESUS, R. F. de; COPETTI, J. Conhecimentos teóricos sobre atividade física e obesidade em estudantes de educação física de uma universidade privada. Conexões, Campinas, SP, v. 11, n. 4, p. 100–111, 2013. DOI: 10.20396/conex.v11i4.8637593. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637593. Acesso em: 22 fev. 2024.

Resumo

Investigou-se os conhecimentos teóricos de licenciandos de Educação Física sobre o tema atividade física e obesidade. Estudo quantitativo e de delineamento transversal, constituído por 60 estudantes. Os resultados mostram que 45% responderam parcialmente correta às doenças que a AF pode prevenir e/ou tratar; 53,4% responderam inadequadamente às que associadas à obesidade consideram-se fatores de risco; 41,7% responderam certo às atividades que colaboraram na prevenção e/ou tratamento de doenças. Concluiu-se que, sob as assertivas corretas, os acadêmicos apresentaram um entendimento mais acurado que as acadêmicas sobre a temática em estudo.

https://doi.org/10.20396/conex.v11i4.8637593
PDF

Referências

BOUCHARD, C. Atividade física e obesidade. Barueri: Manole, 2003.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina: Midiograf, 2006.

HALLAL, P. C. Padrões de atividade física em adolescentes de 10-12 anos de idade: determinantes precoces e contemporâneos. 2005. Tese (Doutorado em Epidemiologia) -Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2005.

GORGATTI, M. G.; COSTA, R. F. (Org.). Atividade física adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. Barueri: Manole, 2008.

BERNARDES, A. C.; PIMENTA L. P.; CAPUTO, M. E. Obesidade infantil: correlação colesterol e relação cintura-quadril. Programa de Pós-Graduação em Fisiologia e Avaliação Morfofuncional. Juiz de Fora, Universidade Gama Filho, 2004.

PELEGRINI, A.; PETROSKI, E. L. Excesso de peso em adolescentes: prevalência e fatores associados. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Londrina, v. 12, n. 3, p. 45-53, 2007.

MENESTRINA, E. Educação Física e saúde. Ijuí: Ed. da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3º e 4º ciclos - apresentação de temas transversais. Brasília, 1998.

PAIM, M. C. C.; MANFIO, J. B. O que pensam os professores de Educação Física sobre a importância da atividade física no contexto escolar. Revista Digital, Buenos Aires, n. 122, ano 13, jul. 2008. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd122/o-que-pensam-os-professores-de-educacao-fisica.htm. Acesso em: 21 ago. 2012.

FERREIRA, V. Educação Física: interdisciplinaridade, aprendizagem e inclusão. Rio de Janeiro: Sprint, 2006.

TRITSCHLER, K. Medidas e avaliação em Educação Física e esportes: de Barrow & McGee. São Paulo: Manole, 2003.

NICKEL, D. A.; CAETANO, J. C.; CALVO, M. C. M. Modelo de avaliação da atenção em saúde bucal. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clinica Integrada, João Pessoa, v. 9, n. 3, p. 373-379, 2009.

SILVA, D. A. S. Nível de atividade física e fatores associados em acadêmicos de educação física de uma universidade pública do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Londrina, v. 19, n. 3, p. 193-198, 2011.

HALLAL, P. C. et al.. Prática de atividade física em adolescentes brasileiros. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 3035-3042, 2010.

OLIVEIRA, C. C. M. Atividade Física de Lazer e a sua associação com as variáveis demográficas e outros hábitos relacionados à saúde em funcionários de banco estatal. 2000. 136 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2000.

TRICHÊS, P. B. M. Adolescentes com obesidade, Educação Física Escolar e barreiras da atividade física. Revista Digital, Buenos Aires, n. 149, ano 15, out. 2010. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd149/educacao-fisica-escolar-e-barreiras-da-atividade-fisica.htm. Acesso em: 03 set. 2012.

MAREGA, M.; CARVALHO, J. A. M. (Org.). Manual de atividades físicas para prevenção de doenças. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde: 10. ed. rev. São Paulo: EDUSP, 1994.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation on obesity. Geneva, 1998.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. P. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. Londrina: Midiograf, 1998.

OLIVEIRA, R. J. Saúde e atividade física: algumas abordagens sobre atividade física relacionada à saúde. Rio de Janeiro: Shape, 2005.

MCARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

BULL, F. C. et al. Beliefs and behaviour of general practitioners regarding promotion of physical activity. Australian Journal of Public Health, Canberra, v. 19, n. 3, p. 300-304, 1995.

ANDRADE, D. R. Atividade física e promoção de saúde: conhecimento e a prática dos profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde do município de São Caetano do Sul, São Paulo. 137 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

POSTON, W. S. C.; SUMINSKI, R. R.; FOREYT, J. P. Nível de atividade física e tratamento da obesidade severa. In: BOUCHARD, C. Atividade física e obesidade. Barueri: Manole, 2003. p. 339-357.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.