Análise cinesiológica do movimento chudan gyaku zuki

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v11i3.8637602

Palavras-chave:

Karate, Cinesiologia, Kata

Resumo

O objetivo deste trabalho é realizar uma análise cinesiológica do Gyaku Zuki (soco invertido do Karate). Tal técnica foi selecionada após a realização de um levantamento na literatura sobre sua freqüência de repetição nos Shiteigata das competições da World Karate Federation. Os grupos musculares predominantemente ativados são, no braço que golpeia, depressores, rotadores superiores e abdutores da cintura escapular, flexores e flexores horizontais do ombro, extensores do cotovelo e pronadores da radioulnar. O benefício mais claro desse estudo é possibilitar um treinamento de força direcionado para os grupos musculares apresentados, que atuam diretamente na execução do soco de Karate.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Brandel José Pacheco Lopes Filho, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEF-UFRGS). Membro do Centro de Estudos Olímpicos ESEF-UFRGS. Estudante de Pós-graduação (especialização) na Universidade Gama Filho.

Tiago Oviedo Frosi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestre em Ciências do Movimento Humano pela ESEF-UFRGS. Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEF-UFRGS). Participa do Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte e da Educação Física (NEHME).

Claudia Silveira Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduação em Licenciatura Em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993), graduação em Fisioterapia pelo Instituto Porto Alegre da Igreja Metodista (1990), mestrado em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999), aperfeiçoamento no Neuromuscular Research Center, Boston University (1993) e doutorado em Educação Física pela Universidade de São Paulo (2006). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação Física e Fisioterapia, com ênfase em cinesiologia e biomecânica, atuando principalmente nos seguintes temas: análise eletromiográfica, reabilitação, dinamometria isocinética, lesão, joelho, ligamento cruzado anterior.

Referências

NAKAYAMA, M. O Melhor do karatê: visão abrangente - práticas. São Paulo: Cultrix, 2000. V.1, 11 v.

FROSI, T. O.; OLIVEIRA, G. B.; TODT, N. S. Budô e olimpismo: a confluência de símbolos do oriente e do ocidente na busca de valores para a sociedade moderna. Revista Corpo em Movimento, Canoas, v. 6, n. 1, 2008.

WORLD KARATE FEDERATION (WKF). Regras de competição Kumite e Kata. Madrid, 2009.

ROSS, G. Japanse-english dictionary on-line. Disponível em: http://nihongo.j-talk.com/parser/search/index.php. Acesso em: 1 abr. 2009.

PAULA, G. G. Karate esporte: tática e estratégia. São Paulo: IBRASA, 1996. 280p.

LOPES FILHO, B. J. P.; FROSI, T. O. Cinesiologia dos Shiteigata Shōtōkan: análise do movimento Seiken Choku Zuki Chūdan. EFDeportes.com: revista digital, Buenos Aires, v. 16, n. 158, 2011.

CHAMBERS, J.; DUFF, B. Human weapon: Karate. History Channel. AETN, 2008. (1 DVD-Rom).

NUNAN, D. Development of a sports specific aerobic capacity test for karate: a pilot study. Journal of Sports Science and Medicine, n. 5. p. 47-53, jul. 2006.

MOREIRA, D.; RUSSO, A. F. Cinesiologia clínica e funcional. São Paulo: Atheneu, 2005.

NAKAYAMA, M. Karatê dinâmico. São Paulo: Cultrix, 2004.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2000.

NAKAYAMA, M. O melhor do karatê: Bassai, Kankū. São Paulo: Cultrix, 2000. v. 6. 11 v.

NAKAYAMA, M.O melhor do karatê: Gankaku, Jion. São Paulo: Cultrix, 2000. v. 8. 11 v.

JAPAN KARATE-DŌ FEDERATION (JKF). Karate-do Kata Kyohan Shiteigata: Kata model for teaching. Tóquio, 2008.

CAMPS, H.; CEREZO, S. Estudio técnico comparado de los Katas de karate. Barcelona: Alas, 2005.

NAKAZATO, J. et al. Okinawa Karate and Martial Arts with Weaponry. Okinawa: The Okinawa Prefecture, 2003. Disponível em: www.wonder-okinawa.jp/023/eng. Acesso em: 20 jun. 2005.

FUNAKOSHI, G. Karate-do Nyumon: texto introdutório do mestre. São Paulo: Cultrix, 1999.

FUNAKOSHI, G. Karate-do Kyohan: the master text. Tóquio: Kodansha International, 1973.

HIGAONNA, M. Traditional Karatedo Okinawa Goju-Ryu: performances of the kata. Tóquio: Minamato Researchs: Japan Publications, 1986. v. 2.

INGBER, A L. Karate: kinematics and dynamics. Holywood: Unique, 1981.

OYAMA, M. Mas Oyama's essential karate. Nova Iorque: Sterling, 1980.

LOWE, B. Mas Oyama’s karate: cómo se enseña en el Japón. Buenos Aires: Editorial Glem, 1967.

TOGUCHI, S. Okinawan Goju-ryu: fundamentals of Shorei-kan Karate. Burbank: Ohara, 1976.

THOMPSON, C. W.; FLOYD, R. T. Manual de cinesiologia estrutural. 14. ed. São Paulo: Manole, 2002.

SMITH, L. K.; WEISS, E. L.; LEHMKUHL, L. D. Cinesiologia clínica de Brunnstrom. 5. ed. São Paulo: Manole, 1997.

RASCH, P. J.; BURKE, R. K. Cinesiologia e anatomia aplicada: a ciência do movimento humano. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1977.

Downloads

Publicado

2013-09-19

Como Citar

Lopes Filho, B. J. P., Frosi, T. O., & Lima, C. S. (2013). Análise cinesiológica do movimento chudan gyaku zuki. Conexões, 11(3), 36–49. https://doi.org/10.20396/conex.v11i3.8637602

Edição

Seção

Artigo Original