Ginástica laboral como promotora de qualidade de vida: avaliação de projetos e fatores críticos de sucesso

  • Ricardo Lima Bastos Universidade Estadual de Campinas
  • Gustavo Luis Gutierrez Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Ginástica laboral. Qualidade de vida na empresa. Fatores críticos de sucesso.

Resumo

É crescente entre as empresas a preocupação com sua imagem social e qualidade de vida do trabalhador. Da mesma forma é significante o crescimento dos programas de ginástica laboral nas empresas visando à melhora da saúde e da qualidade de vida do trabalhador, além do aumento da produtividade e redução de lesões e consequentemente o absenteísmo. Não são muitos os artigos sobre ginástica laboral e nestes poucos tem como tema principal os benefícios da ginástica laboral em diferentes facetas. Os profissionais de educação física, em grande parte, possuem um perfil diferenciado do ambiente corporativo fato que pode levá-lo a cometer equívocos na implantação e gerenciamento dos programas. Sendo assim, se torna importante e reflexão sobre o programa em conjunto com a empresa. Neste trabalho pretendemos conceituar os Fatores Críticos de Sucesso e refletir acerca da avaliação dos projetos de ginástica laboral em sua implantação e desenvolvimento, pois estas avaliações processuais são cada vez mais frequentes no âmbito empresarial com o objetivo de economizar tempo, dinheiro e atingir os objetivos em prazos cada vez mais curtos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Lima Bastos, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Educação Física - Bacharelado pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil(2010)
Gustavo Luis Gutierrez, Universidade Estadual de Campinas
Professor - Faculdde de Educação - Universidade Estadual de Campinas

Referências

PEROSSI, S. C. A Influência do programa de ginástica laboral na prevenção dos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT). 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

MORENO, E. Estudo do sono em trabalhadores noturnos e a realização da ginástica laboral. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

MASSOLA, R. M. Exercícios físicos na melhoria da qualidade de vida e da capacidade de trabalho e na prevenção da dor e da fadiga entre trabalhadores de fábrica. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

IRJA, H. Success of projects in different organizational conditions: project Management Journal, Finland, 2006.

GONÇALVES, A.; VILARTA, R. Qualidade de vida e atividade física: explorando teoria e prática. Barueri: Manole, 2004.

DUTZ, J. ; ROCHA, S. O modo de vida da mãe e a saúde infantil. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 55, 2002

BUSS, P. M. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência & Saúde Coletiva, v. 5, n. 1, p. 163-177, 2000.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO), 2011. Disponível em: http://www.who.int/en/. Acesso em: 23 set. 2011.

VARGAS N. Organização do trabalho e capital: um estudo da construção habitacional. 1979. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Produção) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1979.

CHANG JÚNIOR, J. Motivação através do reprojeto do trabalho. 1995. Dissertação (Mestrado em Qualidade) - Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

HELOANI, J. R. Organização do trabalho e administração: uma visão multidisciplinar. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

FIGUEREDO, F.; ALVÃO, C. M. Ginástica laboral e ergonomia. 2. ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2008.

GONÇALVES, A.; GUTIERREZ, G. L.; VILARTA, R. (Org.). Gestão da qualidade de vida na empresa Campinas: IPES, 2005.

SESI. Ginástica na empresa: subsídios técnicos para sua implantação. Brasília: 1996.

LIMA, V. Ginástica laboral: atividade física no ambiente de trabalho. São Paulo: Phorte, 2003.

ALVAREZ, B. R. Estilo de Vida e hábitos de lazer de trabalhadores após dois anos de aplicação de um programa de ginástica laboral e saúde. 2002. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

POLITO, E.; BERGAMASHI, E. C. Ginástica laboral: teoria e prática. 2. ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

CAÑETE, I. Humanização: desafio da empresa moderna: a ginástica laboral como um caminho. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1996.

VILARTA, R. (Org.). Qualidade de vida e fadiga institucional. Campinas: IPES, 2006.

FACANALI, R. A Influência da gestão empresarial na adesão à ginástica laboral. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso - Faculdade de Educação Física, Campinas, 2006.

MENDES, R. A.; LEITE, N. Ginástica laboral: princípios e aplicações práticas. São Paulo: Manole, 2004.

VILARTA, R.; GUTIERREZ, G. L. Qualidade de vida em propostas de intervenção corporativa. Campinas: IPES, 2007.

VANSAN, N. S. Saúde “versus” lucro: atividade física como fator de qualidade de vida e saúde do trabalhador, diminuindo o índice de absenteísmo e aumentando a produtividade da empresa. In: VILARTA, R; GUTIERREZ, G. L. (Org.). Qualidade de vida e propostas de intervenção corporativa. Campinas: IPES, 2007.

DANIEL, D. R. Management information crisis. Harvard Business Review, v. 39, n. 5, p. 111-121, sept./oct.1961.

ROCKART, J. A new approach to defining the chief executive’s information needs. Working Paper, n. 37. Massachusetts: Center for Information Systems Research, 1978.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Qualidade de vida no trabalho – QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

TOLEDO, J. C. et al. Fatores críticos de sucesso no gerenciamento de projetos de desenvolvimento de produtos em empresas de base tecnológica de pequeno e médio porte. Revista Gestão e Produção, São Carlos, v.15, n. 1, p. 117-134, 2008.

Publicado
2013-06-17
Como Citar
Bastos, R. L., & Gutierrez, G. L. (2013). Ginástica laboral como promotora de qualidade de vida: avaliação de projetos e fatores críticos de sucesso. Conexões, 11(2), 208-222. https://doi.org/10.20396/conex.v11i2.8637624
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>