Análise documental das políticas públicas de incentivo as práticas físico-esportivas e de lazer para as pessoas com deficiência no brasil.

  • Andresa Caravage Andrade Universidade de São Paulo
  • Marco Antonio Bettine de Almeida Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Políticas públicas. Pessoas com deficiência. Práticas físico-esportivas e de lazer. Rio-2016.

Resumo

A proposta deste estudo foi analisar e compreender as políticas públicas de incentivo às práticas físico-esportivas e de lazer para pessoas com deficiência: (1) Política Nacional de Esporte produzida pelo Ministério do Esporte e (2) Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência produzida pela então Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (CORDE), atual Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD). Os documentos foram avaliados de acordo com os critérios propostos por Cellard (2008): análise de contexto, análise do autor ou autores, autenticidade de confiabilidade do texto, natureza do texto e conceitos-chaves e lógica interna. A partir da avaliação desses documentos foi possível analisar criticamente o Caderno Legado Social que fez parte dos cadernos de candidatura do Brasil às Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016. Os principais resultados mostram que tanto a Política Nacional do Esporte quanto a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência prezam pela inclusão social, igualdade de oportunidades, qualidade de vida, participação social na tomada de decisões e a articulação de diversas esferas (pública e privada) para a concretização de políticas públicas eficazes. Conclui-se que embora os documentos analisados abordem a questão da pessoa com deficiência e atividades físico-esportivas e de lazer, muitas vezes esta relação não se mostra clara, isto se reflete no Caderno Legado Social e na forma superficial que as políticas públicas propostas para esta população são abordadas.

Biografia do Autor

Andresa Caravage Andrade, Universidade de São Paulo
Graduanda do Curso de Ciência da Atividade Física da EACH - USP
Marco Antonio Bettine de Almeida, Universidade de São Paulo
Professor da Universidade de São Paulo - EACH

Referências

COSTA, A. M; SOUSA, S. B. Educação física e esporte adaptado: história, avanços e retrocessos em relação aos princípios da integração/inclusão e perspectivas para o século XXI. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 25, n. 3, p. 27-42, maio 2004.

CASPERSEN, C. J.; POWELL, K. E.; CHRISTENSON, G. M. Physical activity, exercise, and physical fitness: definitions and distinctions for health-related research. Public Health Reports, v. 100, n. 2, p. 126-131, mar./apr. 1985.

FILGUEIRA, J. C. M. Importância dos legados de megaeventos esportivos para a política nacional do esporte: cidade, cidadania e direitos dos cidadãos. In: BRASIL. Ministério do Esporte. Legados de megaeventos esportivos. Brasília, 2008. p. 65-74.

COMITÊ PARAOLÍMPICO BRASILEIRO. Análise histórica dos Jogos Paraolímpicos. 2010. Disponível em: http://www.cpb.org.br/esportes/jogos-paraolimpicos. Acesso em: 09 abr. 2011

BRASIL. Ministério da Justiça. Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2007. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/corde/. Acesso em: 20 maio 2011.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. (Org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epidemiológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-316.

BRASIL. Ministério do Esporte. Caderno legado social. Brasília: Ministério do Esporte, 2009. Disponível em: http://www.esporte.gov.br/snear/rio2016/default.jsp. Acesso em: 09 abr. 2011.

BRASIL. Ministério do Esporte. Política Nacional do Esporte. Brasília: Ministério do Esporte, 2005. Disponível em: http://www.esporte.gov.br/cedime/default.jsp Acesso em: 09 abr. 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Tendências demográficas: uma análise dos resultados da amostra do censo demográfico 2000. Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: www.ibge.gov.br/home/estatistica/.../censo2000/.../tendencias.pdf Acesso em: 16 out. 2011.

SASSAKI, R. K. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. In: BRASIL. Ministério do Esporte. Mídia e deficiência. Brasília: Agência de Notícias dos Direitos da Infância: Fundação Banco do Brasil, 2003. p. 160-165. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/corde/. Acesso em: 07 jul. 2011.

LEME, A. F. P. Revisão descritiva do modelo East London para legados de jogos olímpicos e paraolímpicos. In: BRASIL. Ministério do Esporte. Legados de megaeventos Esportivos. Brasília, 2008. p. 211-216.

Publicado
2012-12-20
Como Citar
Andrade, A. C., & Almeida, M. A. B. de. (2012). Análise documental das políticas públicas de incentivo as práticas físico-esportivas e de lazer para as pessoas com deficiência no brasil. Conexões: Educação Física, Esporte E Saúde, 10(3), 42-60. https://doi.org/10.20396/conex.v10i3.8637646
Seção
Artigos