Jogadores juvenis de futebol submetidos a treinamento generalista e diferença na potência aeróbia em consequência de seu posicionamento tático em campo

Autores

  • Marcelo Ribeiro Ramos Faculdade de Minas
  • Cristiano Andrade Quintão Coelho Faculdade de Minas
  • Jairo Antonio da Paixão Universidade Federal de Ouro Preto
  • Guilherme Tucher Faculdade de Minas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v10i1.8637687

Palavras-chave:

Futebol. Consumo de oxigênio. Tática. Desempenho Físico.

Resumo

O presente estudo objetivou analisar se há diferença no VO2 máximo de jogadores juvenis de futebol em decorrência de seu posicionamento tático em jogo apesar de realizarem um treinamento físico generalista. Participaram desse estudo 27 futebolistas do sexo masculino da categoria juvenil de um clube de futebol com experiência competitiva de mais de dois anos na modalidade. O grupo foi dividido em zagueiros (G1; n=8), meio campistas e laterais (G2; n=10) e, finalmente, atacantes (G3; n=9). Para o desenvolvimento físico dos atletas, não houve especificação do treinamento entre as funções táticas assumidas em jogo. Torneios de menor importância também foram utilizados como forma de treinamento no início da temporada. O VO2máx foi avaliado através do teste de corrida de vai-e-vem aplicado no próprio campo de treinamento. Encontrou-se diferença significativa entre o VO2máx de G1 e G2 (p = 0,002) e entre G2 e G3 (p = 0,003). Não foi encontrada diferença no VO2máx entre G1 e G3 (p = 0,938). Os meio campistas e laterais apresentaram maior VO2 máximo mesmo que a condução do treinamento não privilegie diferenças em decorrência de sua função tática em campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Ribeiro Ramos, Faculdade de Minas

Faculdade de Minas - FAMINAS, Muriaé, Minas Gerais - Brasil

Cristiano Andrade Quintão Coelho, Faculdade de Minas

Faculdade de Minas - FAMINAS, Muriaé, Minas Gerais - Brasil

Jairo Antonio da Paixão, Universidade Federal de Ouro Preto

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, Ouro Preto, Minas Gerais - Brasil

Guilherme Tucher, Faculdade de Minas

Faculdade de Minas - FAMINAS, Muriaé, Minas Gerais - Brasil

Referências

EKBLOM, B. Applied physiology of soccer. Sports Medicine, Auckland, n.3, p. 50-60, 1993.

RIENZI, E. et al. Investigation of anthropometric and work-rate profiles of elite South American international soccer players. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, Torino, v. 40, n. 2, p. 162-169, 2000.

BANGSBO, J. BANGSBO, J.; MOHR, M.; KRUSTRUP, P. Physical and metabolic demands of training and match-play in the elite football player. Journal of Sports Sciences, London, v. 24, n. 7, p. 665-674, 2006.

MORTIMER, L. et al. Comparação entre a intensidade do esforço realizada por jovens futebolistas no primeiro e no segundo tempo do jogo de futebol. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 6, n. 2, p. 154-159, 2006.

DI SALVO, V.; BARON, R.; TSCHAN, H.; CALDERON MONTERO, F. J.; BACHL, N.; PIGOZZI, F. Performance characteristics according to playing position in elite soccer. International Journal of Sports Medicine, Stuttgart, v. 28, n. 3, p. 222-227, 2007.

BANGSBO, J. The physiology of the soccer--with special reference to intense intermittent exercise. Acta Physiologica Scandinavica: Supplementum, n. 619, p. 1-155, 1994.

LEAL JUNIOR, E. C. P. et al. Estudo comparativo do consumo de oxigênio e limiar anaeróbio em um teste de esforço progressivo entre atletas profissionais de futebol e futsal. Revista Brasileira Medicina do Esporte, São Paulo, v. 12, n. 6, p. 323-326, 2006.

CAMPEIZ, J. M.; OLIVEIRA, P. R.; MAIA, G. B. M. Análise de variáveis aeróbia e antropométricas de futebolistas profissionais: Juniores e juvenis. Conexões: Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, v. 2, n. 1, p. 1-9, 2004.

DENADAI, S. B. Índices fisiológicos de avaliação aeróbia: conceitos e aplicações. Ribeirão Preto: BSD, 1999.

BANGSBO, J. BARROS NETO, T. L.; TEBEXRENI, A. S.; TAMBEIRO, V. L. Aplicações práticas da ergoespirometria no atleta. Revista da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 695-705, 2001.

GARGANTA, J. Performance energético-funcional no futebol. 1997. Disponível em:

http www.marciofariacorrea.com.br. Acesso em: 22 ago. 2009.

DUARTE, M. F. S.; DUARTE, C. R. Validade do teste aeróbico de corrida de vai-e-vem de 20 metros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 9, n. 3, p. 07-14, 2001.

BURGER-MENDONÇA, M. et al. Variáveis ventilatórias em jogadores Coreanos juvenis de futebol: comparação entre posições em campo. Movimento & Percepção, Espírito Santo do Pinhal, v. 7, p. 178-190, 2007.

BALIKIAN, P. et al. Consumo máximo de oxigênio e limiar anaeróbio de jogadores de futebol: comparação entre as diferentes posições. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 32-36, 2002.

REILLY, T. Energetics of high-intensityexercise (soccer) with particular reference to fatigue. Journal of Sports Sciences, London, v. 15, p. 257-263, 1997.

ANJOS, R. Futebol: regras, esquemas táticos, posições e funções do goleiro ao ponta-

esquerda. São Paulo: Rumo, 1990.

BANGSBO, J.; NORREGAARD, I.; THORSOE, F. Active profile of competition soccer. Canadian Journal of Sports Medicine, Canada, v. 16, p. 110-116, 1992.

REILLY, T.; BANGSBO, J.; FRANKS, A. Anthropometric and physiological predispositions for elite soccer. Journal of Sports Sciences, London, 2000, v.18, p. 669-683.

DELLAL, A.; WONG, D.; MOALLA, W.; CHAMARI, K. Physical and technical activity of soccer players in the french first league with special reference to their playing position. International SportMed Journal, v. 11, n. 2, p. 278-290, 2010.

Downloads

Como Citar

Ramos, M. R., Coelho, C. A. Q., Paixão, J. A. da, & Tucher, G. (2012). Jogadores juvenis de futebol submetidos a treinamento generalista e diferença na potência aeróbia em consequência de seu posicionamento tático em campo. Conexões, 10(1), 38–49. https://doi.org/10.20396/conex.v10i1.8637687

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)